Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.
Ranking

As 15 melhores cidades para se viver em Minas Gerais

Listamos aqui as 15 cidades mineiras mais bem colocadas no ranking montado exclusivamente com os dados que compõem o último Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).

Minas Gerais é o segundo estado brasileiro em número de habitantes e o quarto com a maior área territorial do país. Listamos aqui as 15 cidades mineiras mais bem colocadas no ranking montado exclusivamente com os dados que compõem o último Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).

Basicamente, são levados em conta três itens: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). A partir dos cálculos de cada um desses fatores, se chega ao índice geral de IDHM, organizado no Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, divulgado em 2013.

A metodologia do índice foi adaptada do IDH Global pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pela Fundação João Pinheiro. Confira:

1.º Nova Lima (MG)

Crédito: Wikimedia Commons/Tatiana Dias.
Crédito: Wikimedia Commons/Tatiana Dias.

Com IDHM de 0,813, Nova Lima está encravada nas montanhas mineiras e muito próxima da capital Belo Horizonte. Com apenas 84 mil habitantes, os índices de educação são muito bons. A proporção de crianças de 5 a 6 anos na escola é de 99,47%, e de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental é de 90,89%. A cidade é hoje um polo turístico, gastronômico, cervejeiro – se destaca no cenário nacional pela produção de cervejas artesanais e é o município com a maior produção do setor em Minas, hoje o terceiro maior estado fabricante de cervejas artesanais do país – esportivo e cultural. As montanhas e as trilhas são convites para passeios e prática de atividades radicais.

 

2.º Belo Horizonte (MG)

Crédito: Wikimedia Commons.
Crédito: Wikimedia Commons.

A capital Belo Horizonte, com IDHM de 0,810, segunda colocada no ranking, é também reconhecida pelas políticas públicas voltadas para crianças, com destaques da Fundação Abrinq, como Cidade Amiga da Criança, e da Unicef como uma das melhores cidades para as crianças. Com uma população que ultrapassa os 2 milhões de habitantes, Belo Horizonte é a sexta cidade mais populosa do país e figura como a metrópole com melhor qualidade de vida na América Latina – de acordo com o Population Crisis Commitee, da ONU –  e é a 45.ª entre as 100 melhores cidades do mundo. Hoje a cidade tem o quinto maior PIB entre os municípios brasileiros e, de acordo com a classificação da revista América Economía, aparece como uma das 10 melhores cidades para fazer negócios da América Latina.

No que diz repeito ao turismo, Belo Horizonte tem importantes monumentos, parques e museus, como o Museu de Arte da Pampulha, o Museu de Artes e Ofícios, o Museu de Ciências Naturais da PUC Minas, o Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, o Mercado Central e a Savassi. Para quem gosta de boemia, BH também agrada, já que é nacionalmente conhecida como a “capital nacional do boteco”, por existirem mais bares per capita do que em qualquer outra grande cidade do Brasil.

 

3.º Uberlândia (MG)

Crédito: Prefeitura de Uberlândia.
Crédito: Prefeitura de Uberlândia.

Classificada como o segundo mercado consumidor de Minas Gerais, Uberlândia (com IDHM de 0,789) é uma das cidades que mais cresce no Triângulo Mineiro e em Minas Gerais, em especial nos setores de serviços e agronegócio. Ocupa a 27.ª posição (no Brasil) entre a melhores cidades para se fazer negócios e é a 6.ª cidade mineira com o maior desenvolvimento nas áreas de Saúde, Emprego e Renda e Educação. O município de Uberlândia se destaca ainda na vocação para o turismo de negócios. Com uma população de pouco mais de 600 mil habitantes, a cidade possui estrutura e posição geográfica privilegiada, localizada na rota de acesso aos grandes centros do país como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia e Brasília.

 

4.º Itajubá (MG)

Crédito: Wikimedia Commons.
Crédito: Wikimedia Commons.

Localizada no sul de Minas Gerais, às margens do Rio Sapucaí, na Serra da Mantiqueira, Itajubá (com IDHM de 0,787) está estrategicamente posicionada entre duas das mais importantes rodovias do país, a Rodovia Fernão Dias (60 km) e Rodovia Presidente Dutra (65 km). O município possui cerca de 100 mil habitantes, e suas atividades econômicas principais são a agropecuária e a industrial, nas áreas de mecânica fina, eletromecânica, e aeronáutica, esta última representada pela Helibrás, empresa fabricante de helicópteros. Mas é, sobretudo no ensino, em todos os níveis, que Itajubá se destaca. Os índices do fluxo escolar ultrapassam a média do estado de Minas Gerais. Apenas 1,03% da população é considerada extremamente pobre.

 

5.º Lavras (MG)        

Crédito: Prefeitura de Lavras.
Crédito: Prefeitura de Lavras.

Um dos pontos fortes de Lavras (com IDHM de 0,782) é o bom nível educacional da sua população. Além das opções culturais oferecidas pelos museus, teatros e campi das universidades locais, a cidade conta com diversas atrações culturais, tais como a Igreja do Rosário – construída no século 17 e tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional – o Parque Florestal Quedas do Rio Bonito, a Serra do Campestre (ou da Bocaina) – ponto mais alto do município, de onde é possível avistar São Thomé das Letras – e o Recanto do Sagrado Coração de Jesus, casa de retiro e eventos da paróquia de Santana de Lavras.

 

6.º Poços de Caldas (MG)    

Crédito: Wikimedia Commons.
Crédito: Wikimedia Commons.

Poços de Caldas (com IDHM de 0,779) é também conhecida como “Capital Regional” em função da centralidade que a cidade desempenha sobre outros municípios da região no processo de distribuição de bens e serviços, já que ela polariza diretamente outras 23 pequenas cidades no entorno. Parte considerável das atividades econômicas do município gira em torno do turismo, graças à fama de suas fontes de águas minerais usadas em diversas terapias. Por estar próxima de São Paulo, Campinas, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, o fluxo de turistas oriundos desses grandes centros é expressivo, e ajuda a movimentar o comércio local e ainda a produção de doces artesanais e de objetos decorativos em vidro fundido que lembram os de Murano, na Itália. Poços de Caldas também é conhecida pela qualidade dos sabonetes que fabrica. Alguns chegam a ter produção quase artesanal.

 

7.º Juiz de Fora (MG)

Crédito: Prefeitura de Juiz de Fora.
Crédito: Prefeitura de Juiz de Fora.

Juiz de Fora (com IDHM de 0,778) tem cerca de 500 mil habitantes, um PIB per capita de R$ 6,2 mil e uma das mais altas expectativas de vida do Brasil. Estrategicamente localizada entre os maiores mercados consumidores do país, ocupa lugar de destaque em Minas em qualidade de vida e investimentos. Juiz de Fora também se destaca no ranking de desenvolvimento humano da Organização das Nações Unidas (ONU). A renda per capita ultrapassa os R$ 1.050, uma das mais altas do país e os índices de escolaridade são maiores que a média mineira.

 

7.º Varginha 

Crédito: Diego Gazola/Fundacao Cultural de Varginha.
Crédito: Diego Gazola/Fundacao Cultural de Varginha.

Localizada a 318 Km de Belo Horizonte, Varginha (IDHM de 0,778) tem cerca de 120 mil habitantes e fica na porta de entrada do circuito do Lago de Furnas. Está estrategicamente situada na metade do caminho entre São Paulo e Belo Horizonte, o que facilita o escoamento de sua produção de café e outros produtos através de sua estação aduaneira, único porto seco do sul de Minas. Ficou mundialmente conhecida em janeiro de 1996, quando duas irmãs viram uma criatura humanoide, o que mobilizou ufólogos, autoridades e atraiu curiosos. Varginha também é movimentada pelos moradores da região, que buscam serviços que não encontram em suas cidades de origem.

 

9.º Lagoa Santa 

Crédito: Prefeitura de Lagoa Santa.
Crédito: Prefeitura de Lagoa Santa.

Lagoa Santa (IDHM de 0,777) pertence à região metropolitana da capital mineira, Belo Horizonte. Além de suas belezas naturais, a cidade é mundialmente reconhecida devido à variedade de descobrimentos fósseis que constituem o rico acervo arqueológico da região. A origem da cidade está ligada às propriedades das águas ali encontradas. Segundo crenças locais, a lagoa que dá nome ao local possui minerais com propriedades curativas, muito visitadas por pessoas para melhorar a saúde banhando-se na lagoa. A paisagem é protegida por lei e é considerada Área de Proteção Ambiental. É uma boa pedida para quem busca um lugar bonito, tranquilo e promissor para viver. Hoje possui aproximadamente 50 mil habitantes, boa parte formada por militares que trabalham no Parque de Material Aeronáutico, instalado na cidade desde 1935.

 

10.º Itaú de Minas 

Crédito: Prefeitura de Itaú de Minas.
Crédito: Prefeitura de Itaú de Minas.

Itaú de Minas (IDHM de 0,776), município situado no sudoeste de Minas Gerais, a 360 km da capital mineira, surgiu com o nome de Córrego do Ferro. 100% de suas crianças entre cinco e seis anos frequentam a escola e a expectativa de vida chega 76,7 anos. Sua história está misturada com a história de sua indústria cimenteira. No município, encontra-se a maior fábrica de cimento e cal da América Latina. E, confirmando sua vocação industrial, a região possui uma das mais importantes jazidas de calcário, administrada pelo Grupo Votorantim. Atualmente, além de sua infraestrutura industrial, destaca-se pelos seus eventos. A festa do Peão Boiadeiro, por exemplo, tem rodeios, shows musicais de artistas consagrados, parques de diversões e barracas.

 

11.º Viçosa 

Crédito: Prefeitura de Viçosa.
Crédito: Prefeitura de Viçosa.

Com mais de 75 mil habitantes, a população do município (IDHM de 0,775) é predominantemente urbana, mais de 92%, e cerca de 50% são estudantes dos diferentes ciclos – desde o fundamental até o superior. Trata-se de uma cidade essencialmente vocacionada para a educação, com destaque para a Universidade Federal de Viçosa, fundada em 1926 pelo então presidente da República Arthur da Silva Bernardes, nascido na cidade. Atrai várias pessoas do Brasil e de outros países por conta dos eventos científicos e acadêmicos realizados em torno da universidade (aproximadamente 500 por ano). Sua população é composta na sua maioria por jovens, o que confere uma dinâmica à cidade, além do grande número de festas que se realizam durante a semana.

 

12.º Pouso Alegre 

Crédito: Wikimedia Commons.
Crédito: Wikimedia Commons.

Pouso Alegre (IDHM de 0,774) está inserida em um polo regional no extremo sul de Minas Gerais junto com outras 40 cidades. Posicionada às margens da Rodovia Fernão Dias, Pouso Alegre situa-se no centro do eixo comercial Belo Horizonte–São Paulo. Numa região que é o corredor do transporte de 20% da produção industrial de Minas Gerais e São Paulo. A cidade é o maior entroncamento rodoviário do sul de Minas. Diariamente, centenas de pessoas vêm a Pouso Alegre à procura de serviços e comércio oferecidos pelo município. Hoje, é a décima maior cidade de Minas Gerais e a segunda do sul de Minas, com um crescimento superior a 30% na última década, de acordo com o censo do IBGE. Com mais de 127 mil habitantes, o município tem uma população jovem – 71% na faixa de 10 a 49 anos. Pouso Alegre possui um extenso e variado parque industrial, com empresas que operam em diferentes ramos de atuação, cujas fontes geradoras de recursos econômicos são, principalmente, a agropecuária, o comércio e a indústria. A cidade possui empresas brasileiras e multinacionais de grande porte, além de outras pequenas e médias indústrias de diversos segmentos. São aproximadamente 700 unidades industriais, 1.500 unidades agropecuárias e mais de 4.500 unidades comerciais e de serviços, que garantem a maior arrecadação de ICMS do sul de Minas Gerais.

 

13.º Araguari 

Crédito: Prefeitura de Araguari.
Crédito: Prefeitura de Araguari.

Posicionada em local estratégico e interligada a todo o território nacional por meio de rodovias ou ferrovias, Araguari (IDHM de 0,773) é a terceira cidade do Triângulo Mineiro. Além de valorizar suas tradições culturais, como o folclore, o artesanato e a culinária típica, Araguari é lar da maior região do café do país. A beleza natural do município apresenta um grande potencial turístico e ecológico. São mais de 100 cachoeiras naturais, grutas, áreas de mata virgem e reservas ecológicas intactas com fauna e flora exuberante. Além dessas, são inúmeras as opções de lazer nos lagos das hidrelétricas que cercam o município.

90% das lavouras são para produção de um dos cafés de melhor qualidade do Brasil e do mundo. Destaque ainda para as lavouras de soja, laranja, milho, acerola e uva que são colhidas e processadas pela indústria local, que inclui três das maiores empresas de suco do país que produzem 70% de todo o suco consumido no Brasil. Araguari também é a maior produtora de tomate do Estado, inclusive o de longa vida.  Possui também um rebanho misto de 145 mil cabeças de gado e diversos frigoríficos que completam o setor agropecuário.

 

14.º Uberaba 

Crédito: Wikimidia Commons.
Crédito: Wikimedia Commons.

Localizada na região do Triângulo Mineiro, Uberaba (IDHM de 0,772) tem cerca de 318 mil habitantes e IDHM de 0,772. A cidade é conhecida como a capital mundial do gado Zebu, raça que foi introduzida por criadores da cidade no final do século 19, após a importação das primeiras matrizes da Índia. É um polo na criação, desenvolvimento genético e comercialização do zebu, e foi escolhida como sede da principal e maior central de inseminação pecuária do país: Alta Genetics. É na cidade que acontece a Expozebu, maior feira de gado Zebu em todo o mundo. O potencial turístico da cidade de Uberaba é vasto, indo desde a exploração do artesanato ao patrimônio histórico cultural, como, por exemplo, sua religiosidade, representada pelas antigas Igrejas Católicas e pelo Espiritismo, tendo como ícone, Francisco Cândido Xavier – “Chico Xavier”, um dos filhos mais famosos da cidade. Uberaba oferece atividades de ecoturismo nas áreas verdes e cachoeiras. Destaque também para o sítio paleontológico de aporte nacional.

 

15.º Araxá 

Crédito: Wikimedia Commons.
Crédito: Wikimedia Commons.

Conhecida pela história de Dona Beja, personagem apresentada em novelas e filmes, Araxá tem forte vocação turística. Uma de suas grandes atrações é o Grande Hotel, um marco da hotelaria brasileira inaugurado em 1944 e fechado 50 anos depois. Reaberto em 2002, manteve preservado todo o glamour original, com grandes salões e lustres de cristal. As famosas termas funcionam hoje como um verdadeiro spa, oferecendo, além dos banhos terapêuticos de águas sulfurosas e de lama, muitas massagens, acupuntura, sauna e duchas. Araxá também é procurada para a prática de atividades de aventura. A cidadezinha é uma das portas de entrada para o Parque Nacional da Serra da Canastra, repleto de cachoeiras, paredões de pedra e trilhas pela mata.

A mineração é a maior fonte geradora de divisas, dando sustentação econômica para o município, que conta com empresas de grande porte – a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), que explora o ferro-nióbio; e Vale Fertilizantes, que se dedica em Araxá à exploração de rocha fosfáltica e fertilizantes fosfatados. A partir da instalação dessas empresas, surgiram novas indústrias com o consequente fluxo imigratório. A agropecuária, a indústria, o comércio, o turismo e a prestação de serviços de outros setores também são importantes fontes geradoras de recursos.

Leia também

As 10 melhores cidades com praia para se viver no Brasil

As 10 melhores cidades para se viver no Norte do Brasil

As 10 melhores cidades do Centro-Oeste para se viver

As 15 melhores cidades do Paraná para se viver

As 10 melhores cidades do Nordeste para se viver

As 10 melhores grandes cidades do Brasil para se criar os filhos

As 15 melhores cidades para se viver em Santa Catarina

As 15 melhores melhores cidades para se viver no Rio Grande do Sul

As 20 melhores cidades de São Paulo para se viver

As 11 melhores cidades do mundo para se viver

As 15 melhores cidades para se viver no estado do Rio de Janeiro

As 10 melhores cidades de Pernambuco para se viver

As 10 melhores cidades da Bahia para se viver

39 Comentários
  1. Boa Tarde!
    Sobre a cidade de Pouso Alegre, alguém pode me informar se realmente é uma boa cidade pra se morar, em se tratando de serviços?

    Ps: Sou do litoral de São Paulo, atualmente moro em Caruaru- PE, mas pretendo dentre em breve, me mudar para Mina Gerais (nessa região próximo à São Paulo), e estou fazendo algumas pesquisas.
    Se alguém puder ajudar, fico grato!

  2. Sera que o IDH municipal é o unico indicador pra avaliar os 853 municipio mineiros e assim classificar os15 melhores municipios de MG.
    Pois então, o Observatorio das cidades, junto a UFRJ realizou a compilacao de dados dos 5570 municipios brasileiros trazendo a tona a classificacao de todosceles.
    Minha terra natal, Rio DoceMG, foi classificada na 36° colocacao dentre todos os municipios brasileiros e esta ranqueada em 6° lugar dentre os 853 municipios mineiros em em Qualidade de Vida onde varios indicadores foram avaliados.
    E aí o que tem a dezer?????

  3. BH? Tá de brincadeira que BH é a melhor cidade para se viver!! Centro de BH extremamente perigoso; cidade rodeada de favelas tipo Serra e Papagaio, tráfico de drogas intenso, trânsito nas avenidas é insuportável. Se for cortar caminho pelos bairros, seu carro vai acabar em poucos meses. Nunca vi tanta rua mal feita, esburacada, remendada e sem planejamento. Detesto BH. Graças a Deus moro aqui ha 7 meses e já estou saindo deste inferno. Tenho familia em Araxá, cidade top, espero muito poder ir trabalhar lá. Não falo mal de BH porque não sou acostumado com cidade grande. Venho de Brasilia e sei como é se viver numa capital, mas BH bate récorde de violência, falta de respeito, cidade suja, fedorenta, extremamente dificil de se andar e se localizar. Vc procura um aluguel, quando acha o prédio ou casa são velhos, condominio quase mais caro que o aluguel, ruas barulhentas e custo de vida altissimo pelo que se consegue. Critique quem quiser, é minha opinião, e conto os minutos para sair daqui. Obs: trabalho com segurança pública e sei do q estou falando quando lido diariamente com essa área.

  4. Bem gosto muito de minha cidade JUIZ DE FORA mais vejo que atualmente o SR PREFEITO NADA TEM FEITO NA QUESTÃO A SAÚDE OS HOSPITAIS HÁ UMA CARENCIA GRANDE DE MATERIAIS PARA TRABALHARMOS EM PRO AOS DOENTES TENDO EM VISTA QUE O HHOSPITAL DE EMEGENCIA ESTA INACABAVEL NA ZONA NORTE MAIS QUANTO AO INCINIO NOSSA FACULDADE FEDERAL PARA MIM ESTA MUITO BOA EM TODAS AS ÁREAS DE ESTUDO PRINCIPALMENTE NA ÁREA DE SAÚDE TEMOS EXCELENTES PROFISSIONAIS QUE FAZEMA DDIFERENÇA ESPERO SIM VER UMA JUIZ DE FORA MELHOR PARA 2017 QUE NOSSOS FILHOS E NETOS TENHAM ORGULHO DESTA CIDADE . MÉDICO SOCORRISTAS,JUIZ DE FORA À RIO DE JANEIRO

  5. Nem sempre o IDH representa muita coisa, e se a pessoa realmente levar em consideração esse índice pra escolher onde vai morar, está um tanto quanto “lascado”. Me admira por exemplo uma cidade como Viçosa constar nessa lista, embora seja arrumadinha, o cara que precisar de algum serviço público, vai ter que ir em Ubá ou Ponte Nova, cidades que não constam na lista e também não são lá essas coisas. Muitas cidades-polo fora da lista: Valadares, Ipatinga, Divinópolis… Cidades um milhão de vezes mais importantes em suas regiões e com muito mais serviços que Viçosa, Arguari, Lavras e Itajubá.

  6. Recentemente visitei algumas cidades importantes do Sul de Minas, e não vi nada demais. Tirando Varginha e Poços de Caldas, cidades como Lavras e Itajubá achei super-comum. Viçosa?? brincadeira né. Me admira cidades como Ipatinga, Divinópolis, não aparecerem nessa lista.

    • Eh Diego olha onde a hipocrisia pode chegar … Você deve ser um belorizontino que só olha essa capital e acha q interior não tem nada. Educação realmente deve ser um lixo por isso de quase todas as crianças que começam a estudar menos de 2% para antes de se formar índices de criminalidade infinitamente menor que os de BH sem contar que a federal daqui figura entre as mais importantes de Minas … Acho q devia procurar se informar melhor antes de criticar algum lugar ou alguém

    • É muito verdade o que você diz. Lavras não poderia nunca estar entre as 15 melhores cidades para se viver, porque é a cidade dos carteis, dos monopólios, das queimadas que sujam a s casas de todos, dos péssimos atendimentos no comércio, do altíssimo IPTU, dos preconceitos e não é uma cidade hospitaleira porque lá, “ninguém conhece ninguém”. Tem fama de cidade dos ipês mas não se vê sequer um pé pelo município.

      • Lavras sempre faz festas e/ou comemorações nas madrugadas. Ligam o potente alto-falante à toda até as 6 da manhã e ninguém consegue dormir,. Isso sem falar que é uma cidade que mais mantém cachorros presos à correntes ou grades de alpendres que devido aos latidos, ninguém consegue dormir, sem falar na solidão que os bichinhos ficam porque o dono nunca está junto dele.

      • Concordo plenamente com você Taza Lupo. A gente trabalha duro de segunda à sexta-feira, mas quando chega a noite de sexta, ninguém dorme devido as farras e gritarias pela cidade, como se não bastasse os latidos de cachorros presos quase que o dia todo, diariamente. Não dá !!! Você tem toda razão ! Lavras NUNCA poderia fazer parte desta lista.

Leia também