Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.
Ranking

Conheça os 10 países mais felizes do mundo

A ONU produziu um relatório entre 2012 e 2014 com 158 países para formular a lista com os 10 países mais felizes do mundo. No relatório, especialistas em economia, psicologia e estatística descrevem como as medidas de bem-estar podem ser utilizadas de forma eficaz para avaliar o progresso das nações

Você sabe quais são os países mais felizes do mundo? A Organização das Nações Unidas (ONU) produziu um relatório entre 2012 e 2014 com 158 países para formular essa lista. No relatório, especialistas em economia, psicologia e estatística descrevem como as medidas de bem-estar podem ser utilizadas de forma eficaz para avaliar o progresso das nações.

Os fatores considerados para listá-los são: PIB per capita; expectativa de vida saudável; apoio social (alguém com quem você pode contar mediante imprevistos); confiança (medida pela ausência de corrupção no âmbito privado e estatal); liberdade para fazer escolhas na vida e generosidade (medido por doações recentes, ajustadas pelas diferenças em renda). Confira a lista com os 10 países líderes no ranking da felicidade:

1.º Suíça

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

Com lindas paisagens e uma população que respeita e preserva a natureza, a Suíça é também um exemplo no que diz respeito à educação e à cordialidade de seu povo. Aqui os salários são bem distribuídos, os impostos relativamente baixos e quase não há desemprego. O ar é puro, o transporte público é de qualidade e as ruas são limpas e bem conservadas. Outro ponto positivo é a funcionalidade do sistema público de saúde que contribui para a qualidade de vida da população e para a alta expectativa de vida: 85 anos.

2.º Islândia

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

Apesar de extremante fria e com a maior parte do ano em completa escuridão, a pequena e isolada Islândia se destaca pela sensação de acolhimento encontrada no centro familiar e nas relações de amizade. Em outras palavras, os islandeses sabem compartilhar e celebrar a vida. O fato de a ilha ser diminuta favorece a proximidade entre seus habitantes, já que não há estranhos por lá. Com um rendimento médio anual de 23.043 dólares, o alto nível de participação cidadã é também um ponto de destaque. A Islândia ainda é um dos países com menos poluição e quase não se ouve falar em criminalidade.

3.º Dinamarca

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

São 43 mil quilômetros quadrados onde vivem quase 6 milhões de pessoas. Considerada uma das nações mais modernas do mundo e com uma média de rendimentos de 24.580 dólares, a Dinamarca tem 89% de seus habitantes reconhecendo que suas experiências positivas são maiores que as negativas. Lá apenas 2% dos trabalhadores acredita trabalhar mais horas do que deveria. Isso porque para os dinamarqueses impera a “regra dos três oitos”: num dia normal, são necessárias oito horas de trabalho, oito horas de lazer e oito horas de repouso.

4.º Noruega

Crédito: Bisgtock
Crédito: Bisgtock

Sem um salário mínimo determinado e com salário médio de 31.459 dólares por ano, os noruegueses têm uma boa conciliação entre o trabalho e o tempo pessoal, sendo que apenas 3% acreditam trabalhar mais horas do que deveriam. O país é extremamente seguro, e 93% dos habitantes diz conhecer alguém com o qual poderia contar em um momento de necessidade. Na tranquila Noruega os habitantes ganham bem e têm tempo para gastar seu dinheiro. O ensino é completamente gratuito até mesmo na universidade.

5.º Canadá

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

Os 35 milhões de pessoas que vivem neste país têm como línguas oficiais o francês e o inglês: por isso é que toda a informação no país, incluindo rótulos, está escrita nos dois idiomas. O salário médio é de 28.194 dólares e a população demonstra um alto nível de satisfação em geral, além de uma boa conciliação vida x trabalho. O Canadá detém 7% das reservas mundiais de água doce renovável, segundo a Agência Internacional de Energia (IEA), distribuída em seus 25 mil lagos, e tem 50% da população de ursos polares que vivem na Terra.

6.º Finlândia

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

É um país bastante desenvolvido em termos econômicos e de qualidade de vida e ocupa o primeiro lugar do Índice de Prosperidade de Legatum. A Finlândia possui ainda um bom sistema de proteção social, um dos mais eficientes sistemas de educação do mundo e um sistema de saúde de alta qualidade, que contribui para uma elevada expectativa de vida. Foi na Finlândia que nasceu a sauna e no país existem três milhões de salas para isso. Um número que ganha outra dimensão quando sabemos que a população é só de cinco milhões de habitantes.

7.º Holanda

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

Na Holanda, também conhecida como Países Baixos (já que 40% do território fica abaixo do nível médio da água do mar) as pessoas trabalham 1.379 horas ao ano, segundo o relatório da OCDE, média bem menor que o resto do mundo com 1.776 horas anuais de trabalho. A média de rendimentos é de 25.497 dólares por ano. A Holanda é conhecida também pelos campos de flores, moinhos de vento, mercados de queijo, sapatos de madeira e os canais de Amsterdam. Outras marcas do país são as milhares de bicicletas e o maior porto do mundo, localizado em Rotterdam.

8.º Suécia

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

Na Suécia 87% dos adultos têm ensino médio completo, e o país é reconhecido pela igualdade de direitos, pela baixa criminalidade e pelos níveis sociais quase que equiparados. Lá, vereadores e deputados não recebem salário. Os impostos são revertidos a favor da população, que tem gratuidade no atendimento médico e odontológico. O rendimento médio do sueco é de 26.242 dólares.

9.º Nova Zelândia

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

A Nova Zelândia é um país moderno e industrializado, com uma economia bastante competitiva. Tem um elevado índice de desenvolvimento humano e de qualidade de vida, que inclui sistema educativo de qualidade e um elevado padrão de respeito aos direitos humanos. O país é conhecido também por favorecer o empreendedorismo e a geração de negócios e por ser um dos três países menos corruptos do mundo. Com paisagens incríveis, a Nova Zelândia tem cidades consideradas as mais habitáveis do mundo, dado o seu bom estado de conservação.

10.º Austrália

Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.

A Austrália já figura nesta lista de felicidade há um tempo e, de acordo com a revista britânica The Economist, quatro das 11 melhores cidades do mundo para viver estão lá (https://www.semprefamilia.com.br/as-11-melhores-cidades-do-mundo-para-se-viver/). Com um rendimento médio anual de 28.800 dólares, a Austrália alinha perfeitamente a conciliação vida x trabalho, uma boa saúde, boas condições de acesso à moradia, segurança cidadã etc. Um dos símbolos do país é a Grande Barreira de Coral, com cerca de 2500 recifes que abrigam milhares de espécies da vida marinha ao longo de 2.900 km. É a maior estrutura viva do mundo. É também um país onde se desenvolve muita tecnologia: além das caixas pretas dos aviões, que foram inventadas em meados do século passado, os australianos também são responsáveis pela invenção do ouvido biônico, em 1979.

Fonte: http://worldhappiness.report/overview/

Leia também

As 10 melhores cidades para se viver no Espírito Santo

As 10 melhores cidades para se viver no Norte do Brasil

As 10 melhores cidades do Centro-Oeste para se viver

As 15 melhores cidades do Paraná para se viver

As 10 melhores cidades do Nordeste para se viver

As 10 melhores grandes cidades do Brasil para se criar os filhos

As 15 melhores cidades para se viver em Santa Catarina

As 15 melhores melhores cidades para se viver no Rio Grande do Sul

As 20 melhores cidades de São Paulo para se viver

As 11 melhores cidades do mundo para se viver

As 15 melhores cidades para se viver no estado do Rio de Janeiro

 

3 Comentários
Leia também