O que fazer para não criar um filho consumista

  • Por Equipe Sempre Família
  • 14/12/2019 06:50
David Veksler/Unsplash
David Veksler/Unsplash| Foto:

Resistir àquele produto sedutor – que até aparecer exposto nas prateleiras não parecia tão necessário –  não é uma dificuldade somente para os adultos. As crianças, inclusive, por terem menos controle sobre a própria vontade, sofrem ainda mais ao ouvir um não quando querem levar algo para casa. E é aí que, geralmente, surgem as birras.

Mas também não é para menos. Os pequenos são bombardeados com campanhas publicitárias fascinantes por todos os lados. Somado isso às dificuldades de muitos pais de impor limites aos filhos, o resultado não é nada saudável para as crianças.

Para evitar as birras ou até para “compensar” uma possível ausência no dia a dia dos filhos, alguns pais acabam comprando tudo o que os pequenos querem e contribuindo para um comportamento cada vez mais consumista.

Se você quer evitar que seu filho se torne um futuro consumista, confira essas dicas que te ajudarão a estabelecer hábitos mais saudáveis de consumo:

1. Aprenda a dizer NÃO

Crianças precisam entender que não podem ter todas as coisas que desejarem. Infelizmente, muitas famílias acreditam que ceder aos desejos dos pequenos é uma prova de amor. O sentimento de culpa por não ter tempo para ficar com as crianças também pode levar os pais a ter dificuldade de não atender a um pedido. Mas lembre-se que dizer não é fundamental para criar os filhos com disciplina, caráter e discernimento.

2. Dê tempo ao tempo

Não acelere as fases da vida. Crianças devem ser tratadas como crianças. Mesmo que seu filho peça, não compre produtos que possam incentivar seu pequeno a agir como se fosse uma pessoa mais velha. Isso é uma grande armadilha e pode trazer graves consequências para o futuro de seu filho.

3. Mostre que dinheiro não cai do céu

Ensine o valor do dinheiro. Quando a criança aprende que cada produto anunciado tem um preço e que o dinheiro para comprá-lo precisa ser ganho através de trabalho e economia, elas entendem melhor os “nãos” recebidos.

4. Doe o que não usa mais

Compre apenas o necessário. Por que manter caixas com centenas de brinquedos que a criança nem usa? O mesmo vale para roupas e calçados. Uma boa ideia é fazer uma limpeza periódica dos brinquedos e roupas da criança e doar aquilo que não é mais usado.

5. Tempo em família é essencial

Valorize os momentos em família. Passeios em parques, brincadeiras no quintal e jogos de tabuleiro com a participação do pai e da mãe ajudam a criança a desenvolver a criatividade e fortalecer os laços familiares. Com isso, seu filho compreenderá que o valor mais precioso está nas pessoas e não nas coisas.

6. Oriente e ensine

Quando estiverem assistindo televisão, acompanhe os anúncios publicitários junto com seu filho. Você pode também aproveitar uma ida ao mercado ou um passeio ao shopping para conversar sobre hábitos de consumo. Como as crianças ainda não conseguem perceber o viés persuasivo dos comerciais e das vitrines, a orientação de um adulto pode ajudá-las a ver essas mensagens de forma mais crítica.

7. Cuidado com a TV e com o celular

Limite o tempo de exposição à televisão e ao celular. Essas são as maiores fontes de mensagens publicitárias e por isso as crianças que ficam muito tempo expostas a essas telas acabam recebendo muito mais apelos publicitários.

***

Recomendamos também:

***

Acompanhe-nos nas redes sociais: Facebook Twitter | YouTube

Deixe sua opinião

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.