Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
forceps (1)
Atualidades

Bebê morre após lesão provocada por fórceps durante o parto

“Vi que ela não tinha chorado e pedi para vê-la. Foi nesse momento que ouvi o médico dizendo: 'Tirem essa criança daqui'”, contou a mãe.

Um casal procurou a polícia depois que o seu bebê morreu, apenas três horas após o seu nascimento, no sábado (19/08), na Santa Casa de São Roque (SP). Segundo a mãe, Roseli Pereira da Silva, e o pai, Adilson da Silva, que moram em Mairinque (SP), a pequena Eloah Christine sofreu uma lesão grave no pescoço durante o parto normal devido ao uso de um fórceps.

A certidão de óbito da criança foi registrada como causa da morte desconhecida. No entanto, segundo a Polícia Civil, o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) pode constatar a causa da morte. O laudo demora, pelo menos, dez dias. Já a Santa Casa de São Roque informou que demitiu o médico que fez o parto e abriu uma sindicância para apurar o caso. A Polícia Civil vai pedir a exumação do corpo e todos os documentos do pré-natal e da internação da mãe.

“Escutei o ruído que fez quando o trituravam”, diz modelo arrependida de ter abortado

Roseli, de 43 anos, contou ao G1 que deu entrada na unidade na manhã de sexta-feira com fortes dores. No local, ela teria sido orientada por um médico obstetra a voltar para casa e que o incômodo “seria por conta de gases”. “Eu sentia dores a cada dez minutos, doía muito e não conseguia voltar para casa daquele jeito. Mesmo o médico dizendo que não estava na hora da minha filha nascer, a minha família não deixou que eu fosse liberada”, disse Roseli.

O médico insistia para que o parto fosse normal. “Eu tinha indicação da ginecologista do postinho da cidade, que acompanhou minha gravidez, para que o parto fosse cesárea, não natural. Acho que por conta da minha idade, poderia ser um parto arriscado”, contou a diarista.

Horror: câmera escondida revela o que a indústria do aborto fala nos bastidores

O parto durou cerca de duas horas. “Não estava aguentando mais, não tinha forças e o bebê não saía. Quando eu escutei o médico pedindo para pegarem [o fórceps] eu pedi pelo amor de Deus que não usasse. Foi horrível”, relatou Roseli. Ela disse que a menina teve uma fratura no pescoço e sobreviveu durante três horas com uma tala no pescoço, respirando com ajuda de aparelhos.

“Vi que ela não tinha chorado e pedi para vê-la. Foi nesse momento que ouvi o médico dizendo: ‘Tirem essa criança daqui’. Nem o raio X me mostraram”, contou a mãe, que continua internada, sem previsão de alta.

O pai da criança afirma que a mulher teve uma gestação tranquila e desconfia de negligência médica. “Não tinha nada para dar errado. A dor que eu estou sentindo não desejo para pai nenhum”, disse Adilson.

 

Assista à reportagem da TV TEM sobre o caso.

 

Com informações do G1.

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

1 Comentário
  1. É sempre assim. Eles nunca sabem o que aconteceu e sempre colocam a culpa em nós as mães e pais.
    Perdi meu BB com 34 semanas de gestação. Depois de te tem me socorrido o hospital militar me mandou pata um dos melhores hospitais de Curitiba o Santa Cruz cheguei as 09;30 E a médica de plantão me encaminhou para o centro cirúrgico. Mas adivinha ? A parte administrativa do hospital não deixou e com isso perdi meu BB que esperei por dez anos para ter. Estou a 7 anos numa briga judicial . Meu filho enterrado em uma capela de amigos .o perito já fez o laudo culpando o hospital mais mesmo assim nada acontece. Indignada cada dia mas com essa situação.

Leia também