Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Prefeitura de Maringá
Crédito: Prefeitura de Maringá
Ranking

As 10 melhores cidades para se viver na região Sul, segundo a Firjan

Constam na lista das mais bem colocadas na região quatro cidades gaúchas, quatro paranaenses e duas de Santa Catarina

Há décadas o sul do país registra alto grau de desenvolvimento urbano, concorrendo diretamente com o sudeste nesse quesito. Mas quais seriam as cidades que mais avançaram social e economicamente nos últimos anos? Com dados do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgados em dezembro de 2015, listamos os municípios sulistas mais bem colocados no ranking.

O sistema de medição foi criado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e acompanha anualmente os números de cerca de 5 mil municípios brasileiros. São analisados três critérios:  Emprego & renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

Confira:

 1º Concórdia – SC (0,8933)

Crédito: divulgação/IBGE
Crédito: divulgação/IBGE

O topo da lista é ocupado pela terceira maior cidade de Santa Catarina – tem cerca de 72.073 habitantes. O município do oeste catarinense foi fundado por colonizadores vindos do Rio Grande do Sul e sua economia está concentrada no segmento agroindustrial, liderando a produção nacional de suínos e aves. Não por acaso, ali nasceu a Sadia. A maior bacia leiteira de Santa Catarina e o Centro Nacional de Pesquisa de Suínos e Aves também estão em Concórdia.

 

2º Lajeado – RS (0,8813)

Crédito: Prefeitura de Lajeado
Crédito: Prefeitura de Lajeado

O Município de Lajeado está localizado no Vale do Taquari, a 117 Km de Porto Alegre. A população, estimada em mais de 60 mil habitantes, é formada basicamente por descendentes de imigrantes alemães, italianos e portugueses. Considerada a Capital do Vale do Taquari, Lajeado está no centro do mais novo roteiro turístico do Rio Grande do Sul: a Rota dos Vales e Montanhas. A cidade tem ainda forte tradição no setor de pedras preciosas e recebe o suporte do Centro de Gemologia do SENAI, o único do país que prepara mão-de-obra especializada para lapidação de gemas, industrialização de ágatas e montagem de jóias.

 

3º Arroio do Meio – RS (0,8758)

Crédito: Prefeitura de Arroio do Meio.
Crédito: Prefeitura de Arroio do Meio.

A cidade que conta com 18.783 habitantes está localizada no interior do Rio Grande do Sul, às margens do Rio Taquari, e alcançou o terceiro lugar com IFDM de 0,8758. Distante 115 km da capital gaúcha, tem economia diversificada, com destaque para a avicultura, suinocultura e produção leiteira. O município também reúne empresas do setor coureiro, calçadista, de alimentos, de ração, de limpeza, de evaporadores, de móveis, de artefatos de pedras e olarias.

Nos pontos turísticos, um local que merece visitação é o Morro Gaúcho, cuja altura se aproxima dos 600 metros, e é constantemente utilizado para a prática do Voo Livre, pois permite uma visão panorâmica do Vale do Taquari, especialmente os municípios vizinhos.

 

4º Maringá – PR (0,8740)

Crédito: divulgação/UEM
Crédito: divulgação/UEM

Com mais de 357 mil habitantes, Maringá é uma cidade planejada, com avenidas largas, ampla área verde e excelente nível de qualidade de vida. É um dos poucos municípios do país que consegue conciliar crescimento econômico com preservação ambiental. Sustenta o título de Cidade Ecológica, por apresentar uma das maiores concentrações de área verde por habitante – 26,65 metros quadrados. São 90 alqueires de matas nativas, distribuídos por 17 bosques e milhares de árvores de diversas espécies plantadas ao longo das ruas e avenidas.

O município também foi recentemente incluso num ranking da revista Veja sobre os dez melhores municípios do interior para se viver. Na economia destaque para a agricultura – com a produção de soja, trigo, milho, algodão, cana de açúcar, café, alho, feijão, arroz e mandioca – indústria de confecção, alimentos, móveis e metalúrgica.

 

5º Apucarana – PR (0,8729)

Crédito: Governo do Estado do Paraná.
Crédito: Governo do Estado do Paraná.

Conhecida como “Cidade Alta”, Apucarana foi projetada em 1934 pela Companhia de Terras Norte do Paraná, que colonizou a região para que esta fosse um dos pólos intermediários da produção agrícola e abastecer Londrina e Maringá.

Com pouco mais de 120 mil habitantes, a cidade passou por ciclos importantes de desenvolvimento nos setores da madeira e café, mas a prosperidade da região sofreu um muito com fim do ciclo cafeeiro, precipitado pela geada de julho de 1975. Hoje, Apucarana é destaque nacional na área de brindes, principalmente na fabricação de bonés, que gera milhares de empregos.

 

6º Westfalia – RS (0,8673)

Crédito: Prefeitura de Westfalia.

O jovem e pequeno município de Westfália, criado há apenas 19 anos, tem apenas 2.793 habitantes. A história da cidade, que faz parte da Colônia Teutônia, começou com a chegada de imigrantes alemães. Quase 60% da população mora no meio rural e a base principal da economia é a produção primária, com destaque para a produção leiteira, a suinocultura, a avicultura de corte e avicultura de postura. Após a implantação recente de programas de incentivo, a produção local assistiu o aumento de suas receitas em níveis acima do previsto.

 

7º Panambi – RS (0,8666)

Crédito: Prefeitura de Panambi/Luíza W. Gebert

Com pouco mais de 38 mil habitantes, Panambi – nome de origem indígena que significa Vale das Mariposas Azuis – está na região noroeste do Rio Grande do Sul e pertence à região turística do Yucumã. A povoação, de origem portuguesa, ocorreu a partir de 1820 e recebeu décadas depois várias famílias de imigrantes alemães.

Hoje Panambi é também conhecida como Cidade das Máquinas devido ao potencial de seu grande e diversificado parque industrial, com destaque para as ferrarias, serrarias e outras oficinas artesanais, que fazem da cidade o principal polo da indústria metal mecânica da região.

 

8º São Bento do Sul – SC (0,8648)

Crédito: divulgação.
Crédito: divulgação.

São Bento do Sul, com IFDM de 0,8648, tem como principal vocação o setor madeireiro, que moldou ranchos, cercas e vendas no início de sua história. Antes das indústrias vieram as serrarias, carpintarias, barricarias, tamancarias e marcenarias. Da imbuia, do pinheiro e da canela eram produzidos móveis, cabos de ferramentas, equipamentos para agricultura e carroças. Hoje o município é conhecido como Capital Nacional dos Móveis.

 

9º Cianorte – PR (0,8647)

Crédito: Prefeitura de Cianorte.
Crédito: Prefeitura de Cianorte.

Com uma população estimada em76.456 habitantes, Cianorte é referência no mercado de moda no Brasil há quase três décadas. Por meio de incentivos fiscais, o município atraiu marcas famosas do Brasil e do exterior, que passaram a transferir para a cidade suas confecções locais a produção de suas peças.

As grifes da cidade, aos poucos, também se expandiram e conquistaram o reconhecimento que a tornaram a Capital do Vestuário. Cianorte, hoje, é responsável por 20% de todo jeans comercializado no país, o que representa 12 milhões de peças por mês.

 

10º Campo Mourão-PR (0,8643)

Crédito: Governo do Estado do Paraná
Crédito: Governo do Estado do Paraná

Localizado no Centro-Oeste paranaense, Campo Mourão está nas rotas de integração para os principais centros urbanos do país e do Mercosul. Predominantemente agrícola, tem no plantio de soja e milho seus principais produtos. O agronegócio é representado por duas cooperativas agrícolas de projeção nacional e uma unidade da maior processadora de carnes do mundo. Destaque também para a produção frigorífica de carne de frango e empresas do segmento industrial – alimentos, adesivos, eletrônica e têxtil.

*****

Confira também:

As 10 melhores cidades para se viver no Norte do Brasil

As 15 melhores cidades do Paraná para se viver

As 10 melhores cidades do Nordeste para se viver

As 10 melhores grandes cidades do Brasil para se criar os filhos

As 15 melhores cidades para se viver em Santa Catarina

As 15 melhores melhores cidades para se viver no Rio Grande do Sul

As 20 melhores cidades de São Paulo para se viver

As 11 melhores cidades do mundo para se viver

As 15 melhores cidades para se viver no estado do Rio de Janeiro

 

4 Comentários
  1. Estou estupefato de saber como Concórdia cresceu. Só pode ser o maior crescimento de uma cidade da história, em todo mundo. Deixou pra trás cidadezinhas como Blumenau, São José, Chapecó, Criciúma, Itajaí, Jaraguá do Sul, Palhoça, Lages, Balneário Camboriú, Brusque, Tubarão, São Bento do Sul, Camboriú, Caçador e Navegantes. Saltou do 18º lugar para terceiro. Com sua população de 73 mil habitantes, é maior que Blumenau, com seus ralos 343 mil. Impressionante!!!

  2. Legal a matéria, mas perdeu a credibilidade pra mim hora que citou Concórdia como a terceira maior cidade do estado. Por favor, pesquisem antes, tem dezenas de cidades maiores pelo estado de SC como por exemplo: Joinvile com aproximadamente 500 mil habitantes; Blumenau; Florianópolis; São José; Palhoça, Criciuma; Chapecó; Balneário Canboriu; Laguna entre outras maiores.

Leia também