Um estudo norte-americano avaliou os benefícios em adicionar uma camada na máscara caseira feita com o tecido da meia-calça
Estudo avaliou os benefícios em adicionar uma camada do tecido na máscara caseira| Foto:

A máscara facial pode não proteger totalmente quem usa de se infectar pelo novo coronavírus, embora ajude a segurar a disseminação da doença. Uma camada extra no item, no entanto, pode aprimorar essa proteção, desde que feita com o tecido certo, conforme sugere um estudo novo, publicado na quarta-feira (22).

Duas pesquisadoras da Universidade de Northeastern, nos Estados Unidos, coordenaram a pesquisa que avaliou que a meia-calça poderia ser a peça que faltava. Loretta Fernandez e Amy Mueller verificaram que, usando o tecido de nylon da meia-calça por cima da máscara, o item se tornou mais protetivo, pois foi mais eficaz em filtrar as partículas minúsculas presentes no ar, como o vírus, além de manter a máscara firme contra a pele.

É sabido que, quando o item fica mais "solto" no rosto, a função também é prejudicada. Estima-se que, nesse caso, o equipamento filtre menos de 60% das partículas no ar, e esse fator foi um dos resultados reforçados no estudo.

Tão protetivo quanto máscaras industrializadas

Junto da equipe de estudantes de engenharia, as pesquisadoras utilizaram equipamentos que calcularam a quantidade de partículas que passavam pelas máscaras caseiras avaliadas (além de três versões vendidas comercialmente). Como esses equipamentos exibiam muitos valores por segundo, foi necessário um esforço do grupo em assistir, pausando a cada segundo, e registrar os dados encontrados.

Para comparar os resultados, a pesquisa levou em consideração a proteção de uma máscara da marca 3M. E a caseira, somada à meia-calça, demonstrou uma proteção tão significativa quanto, senão até maior em alguns casos, do que o item comparativo.

A pesquisadora Loretta Fernandez fazendo uso da máscara com a adição da meia calça por cima e tendo as partículas que passam pelo equipamento testadas. Foto: Universidade de Northeastern
A pesquisadora Loretta Fernandez fazendo uso da máscara com a adição da meia calça por cima e tendo as partículas que passam pelo equipamento testadas. Foto: Universidade de Northeastern

"As máscaras caseiras usadas como foram projetadas sempre tiveram taxas mais baixas de remoção de partículas do que as máscaras 3M. (...) O uso de uma camada de meia de nylon aumentou a eficiência da filtragem de partículas, para cinco das dez máscaras de tecido, em relação [à eficiência da] máscara cirúrgica da 3M", descrevem as pesquisadoras no artigo, publicado na plataforma medRxiv.

Até mesmo as máscaras cirúrgicas convencionais apresentaram uma filtragem melhor com a adição da meia-calça. Dos 75% de proteção que esse equipamento garantia, a camada extra levou a 90%. "Adicionar uma camada que mantém a máscara firme ao rosto vai melhorar a função de qualquer uma dessas máscaras. Isso porque o quão protetiva elas são não depende apenas do material que será usado para fazer a filtragem, mas também quão bem a máscara sela o rosto", afirma Fernandez, em entrevista à imprensa local.

semprefamilia

Deixe sua opinião