Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Curiosidades

Quem foi Jules Rimet, o homem que criou a Copa do Mundo motivado pela doutrina social cristã

Presidente da FIFA entre 1921 e 1954, Rimet foi um dos reformadores sociais católicos impulsionados pela encíclica de Leão XIII, Rerum Novarum.

Jules Rimet. O nome não é estranho para um brasileiro: foi o troféu erguido pelos campeões mundiais de futebol desde a criação da Copa do Mundo até que houvesse um país tricampeão, que, como estipulado, levaria definitivamente a taça para casa – foi o que aconteceu com o Brasil em 1970. Por descuido da CBF, porém, a peça foi roubada em 1983 e acabou derretida. O nome, porém, pode evocar histórias bem mais inspiradoras do que esse vexame. Trata-se da trajetória do advogado francês que, inspirado pela doutrina social cristã, foi o idealizador da Copa do Mundo.

Rimet nasceu em 1873 e começou a se envolver com o futebol aos 24 anos, quando fundou em Paris um clube de esportes chamado Red Star. O futebol era um dos esportes praticados no clube – e, de fato, o Red Star F.C. foi pentacampeão nacional e hoje joga na segunda divisão do futebol francês. A essa altura, porém, o advogado já tinha uma formação bem consolidada e um objetivo claro em mente: usar o esporte para promover a justiça e a paz.

5 jogadores da Copa do Mundo que não têm medo de mostrar a sua fé

Nascido em Theuley, uma vila no leste da França, era filho de fazendeiros que precisaram vender as suas terras devido à crise econômica que assolou o país com a sua derrota na Guerra Franco-Prussiana (1870-1871). Com o pai e a mãe tentando ganhar a vida em Paris, Rimet cresceu aos cuidados de seu avô em sua cidade natal, até os 10 anos de idade, quando a crise alcançou também o seu avô, obrigando-o a vender o seu moinho.

Rimet então se juntou aos seus pais no bairro proletário de Gros-Caillou, na capital francesa. Foi nesse contexto que o jovem, aos 17 anos, consciente da miséria enfrentada pelas classes trabalhadoras e dos fracassos do liberalismo econômico – e sem qualquer simpatia pelo marxismo – recebeu em 1891 a publicação da encíclica Rerum Novarum, do Papa Leão XIII, marco fundamental da doutrina social da Igreja.

Atuação

O jovem, que havia sido coroinha e membro de coral em Theuley, começou a participar da associação local de trabalhadores católicos para mergulhar no debate sobre as necessárias reformas trabalhistas da época. Com seus colegas de escola católicos – com quem costumava praticar kickboxing e barres, um jogo francês de origem medieval –, Rimet deu início a uma organização que oferecia assistência social e médica aos mais necessitados e fundou uma revista dedicada à divulgação do pensamento social de Leão XIII.

10 filmes inspiradores sobre esporte

O Red Star fundado por Rimet se diferenciava dos clubes franceses da época em dois aspectos: afastava-se do anticlericalismo de esquerda presente nos outros grupos e não fazia discriminações de classe entre os seus membros. De fato, diferentemente do Barão de Coubertin – o fundador dos Jogos Olímpicos modernos –, Rimet acreditava que o esporte deveria ser praticado de forma profissional, abrindo-o assim a todas as classes.

Sete anos depois da fundação do clube, em 1904, Rimet participou da fundação da Fédération Internationale de Football Association, a FIFA. A entidade tinha vagos planos de organizar um torneio mundial de futebol, mas acabou voltando os seus esforços para a organização de um campeonato amador como parte das Olimpíadas. A I Guerra Mundial (1914-1918) acabou frustrando de vez a expectativa de um campeonato profissional de nível global.

Para Rimet, porém, a experiência da guerra – ele serviu no exército francês durante o combate – era mais um motivo para investir na ideia de um campeonato mundial que contribuísse para promover a amizade entre as nações. Ele assumiu a presidência da Federação Francesa de Futebol em 1919 – um ano após o fim da guerra – e da FIFA em 1921. Nove anos depois, Rimet conseguiu concretizar o seu sonho, realizando a primeira Copa do Mundo, sediada no Uruguai.

7 dicas para aproveitar os jogos da Copa do Mundo em família

Ele permaneceu na presidência da entidade até 1954, organizando as Copas do Uruguai (1930), da Itália (1934), da França (1938), do Brasil (1950) e da Suíça (1954). Foi o presidente que ficou mais tempo à frente da FIFA, totalizando 33 anos no cargo. Durante o seu mandato, o número de países representados na entidade subiu de 12 para 85. Dois anos depois de se aposentar, Rimet foi indicado ao Nobel da Paz. Veio a falecer no mesmo ano, em Suresnes, nos arredores de Paris, aos 83 anos.

Com esse currículo, não é difícil imaginar como a comercialização massiva do futebol, o envolvimento da FIFA em casos de corrupção e as denúncias de abusos trabalhistas na preparação da Copa de 2022 teriam decepcionado Rimet muito mais do que o sumiço da taça que levava o seu nome – como, aliás, sugeriu o seu neto, Yves Rimet, em entrevista ao The Independent em 2006. Ainda assim, provavelmente o inventor da Copa do Mundo teria mantido a esperança de, por meio do esporte, contribuir para a paz entre as nações, sobretudo nos momentos turbulentos em que vivemos.

 

Com informações de Catholic Herald.

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também