Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Divulgação/Governo da Polônia
Divulgação/Governo da Polônia
Sociedade

Polônia fará plebiscito para incluir valores e herança cristã na Constituição

Iniciativa do governo pretende fortalecer a identidade cultural do país contra influências exteriores

O presidente da Polônia, Andrej Duda, anunciou na última sexta-feira (20/07) que o governo deve realizar um plebiscito para consultar a população a respeito de mudanças a serem feitas na Constituição do país, que foi promulgada em 1997. Entre as perguntas que o povo responderá está a possibilidade do documento fazer referência explícita aos valores e à herança cristã polonesa.

A consulta deve ocorrer nos dias 10 e 11 de novembro, quando o país celebra o centenário da reconquista de sua independência, que ocorreu após o fim da Primeira Guerra Mundial. Além de fortalecer a identidade cristã da nação, o governo também pretende saber o que a opinião pública pensa sobre a permanência da Polônia na União Europeia, na OTAN, sobre questões relacionadas à aposentadoria e sobre as atribuições do presidente da república.

Vídeo de polonesas contra o feminismo viraliza: “Não queremos que nos digam o que devemos ser”

“O resultado do plebiscito não será vinculativo, mas servirá como indicador das mudanças que a sociedade polonesa quer para sua Constituição”, declarou o Duda ao anunciar a iniciativa. Agora, o Senado deve votar na próxima semana se aprova as datas propostas pelo presidente para a realização do plebiscito.

Ao lado da Hungria, a Polônia tem se destacado nos últimos anos pela adoção de políticas que protejam a identidade cultural do país contra pressões exteriores, vindas especialmente da União Europeia e da ONU. O país optou por não receber de forma indiscriminada imigrantes islâmicos, tem investido em políticas que estimulem o aumento da natalidade entre os próprios poloneses e tornou-se um dos maiores aliados dos Estados Unidos na Europa desde que Donald Trump chegou à presidência norte-americana.

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também