Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

Não é só um rabisco: por meio de um desenho seu filho pode dizer muito

Traços fortes, cores escuras e repetição de temas podem sinalizar necessidade de ajuda, e talvez seja hora de buscar ajuda profissional

Desenhar é uma das formas de comunicação mais autênticas na infância. No início, os rabiscos podem não fazer sentido para os adultos, mas aos poucos as formas começam a se estruturar, os traços ficam mais firmes e os desenhos passam a ter significado.

O psicopedagogo Fábio Alexandre Pereira destaca que o desenho é uma dimensão simbólica vinculada as emoções, que gera interesse para a criança e faz parte do seu desenvolvimento. “O desenho pode veicular tanto aspectos positivos quanto negativos do desenvolvimento emocional. Desenhar deve ser incentivado e é importante que os pais propiciem um ambiente que favoreça essa expressão”, afirma.

Passividade e isolamento: sinais de que seu filho não anda bem emocionalmente

E é durante esses momentos lúdicos que as crianças expressam os sentimentos e emoções canalizadas, segundo a neuropsicóloga infantil Bruna Suzana Moreira. Por isso, o desenho é uma das ferramentas mais acessíveis para os pais se conectarem de forma lúdica com os filhos e os compreender melhor. Se a criança está triste e não quer falar o que aconteceu é possível, por exemplo, pedir para que ela desenhe como foi seu dia ou o que a deixou chateada.

É que, por meio do desenho, a criança pode representar sentimentos felizes e também revelar situações envolvendo solidão, crises de ansiedade, depressão, agressões físicas, abuso sexual, negligência, abandono e inúmeras outras possibilidades. “Esse recurso, apesar de não ser o único, é tão importante para nós profissionais, que conseguimos identificar se a criança vive em uma casa feliz ou não, se ela sente proteção nesse ambiente e até mesmo quem é a pessoa mais autoritária”, salienta.

Por meio do desenho, a criança pode representar sentimentos felizes e também revelar situações envolvendo solidão, crises de ansiedade, depressão, agressões físicas, abuso sexual, negligência, abandono e inúmeras outras possibilidades

A interpretação do que foi desenhado deve ser feita por um profissional. Inclusive, existem testes baseados em desenhos que só podem ser realizados por um psicólogo. O diagnóstico e a indicação do plano terapêutico são feitos após o levantamento do histórico da criança e a junção de outros fatores. O desenho não é utilizado de maneira isolada.

Mas nem todo desenho significa algo. Vale lembrar que o desenho faz parte da infância. “Às vezes a professora pede para desenharem o sol, então a maioria desses desenhos será apenas um sol normal. Mas pode ter uma criança que desenhe o sol com uma carinha triste. Nesse caso, representa algo que está canalizado nesse indivíduo”, esclarece Bruna.

Saiba quando buscar ajuda de um especialista

Apesar da interpretação ficar a cargo dos especialistas, os pais devem ficar atentos aos detalhes que podem indicar um pedido de socorro e a necessidade de buscar ajuda profissional. Os especialistas entrevistados pelo Sempre Família elencaram alguns sinais importantes:

Bigstock
Bigstock

–  Traços muito fortes e a maneira como o traçado é feito

–  Cores usadas, especialmente quando há o predomínio de tons escuros e do preto

– Repetição de temas

– Criança fala enquanto desenha, foca muito em uma pessoa, usa muito a borracha ou vira a folha o tempo todo

Além de observar as características do desenho, os pais podem perguntar sobre os detalhes, quem são as pessoas representadas e o que elas estão sentindo. Conforme o vínculo é fortalecido, a criança poderá contar mais detalhes. Se houver interesse em saber mais sobre o assunto, o Pereira indica o livro “Grafología Infantil: Cómo Detectar a Tiempo Problemas de la Niñez”, da autora Rosa Leonor Pera. A obra aponta diversos aspectos importantes para a compreensão do significado dos desenhos infantis.

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também