Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Reprodução
Reprodução
Virtudes e Valores

Mulher ao doar rim ao ex-marido: “Não estava preparada para meus filhos perderem o pai”

Apesar de o casamento não ter dado certo, os dois, que se conheciam desde a adolescência, mantiveram a amizade pelo bem das filhas

Infelizmente alguns casamentos não duram para sempre. E quando isso acontece, os psicólogos aconselham os casais a fazer o possível para minimizar o impacto dessa ruptura na vida dos filhos. Os britânicos Dan Pyatt e Kelly Hope seguiram a recomendação à risca e a maior prova de que mantiveram um bom relacionamento mesmo após o divórcio foi o ato de generosidade de Kelly: doar um rim ao ex-marido para que as filhas não ficassem sem o pai.

Amigos desde os 11 anos, Dan e Kelly começaram a namorar aos 18 e se casaram 13 anos mais tarde – em 2007. O diagnóstico de um problema renal veio em 2008, quando o casal esperava a segunda filha, e eles foram alertados de que dentro de uma década, no máximo, ele precisaria de um transplante. “Em um fim se semana ele passou mal, fomos ao hospital e após uma biopsia descobrimos uma Nefropatia por IgA”, lembrou Kelly em entrevista ao Mirror.

Professor adota aluno para mantê-lo em lista de espera de transplante

A doença, que causa inflamação e lesões nos rins, não havia sido detectada em mais nenhum membro da família de Dan. Tanto que, no início, o casal achava que as dores que ele sentia tinham relação com o trabalho exaustivo como motorista de aplicativo em Londres.

Sem cura, a doença poderia ser controlada ao longo dos anos. Por isso, Dan recebeu remédios para proteger os rins e foi preciso também alterar a rotina alimentar de todos. Frequentemente, ainda, Dan precisou ir até o Guy’s Hospital para ser monitorado. Em 2012, por conta do excesso de trabalho e outras incompatibilidades que estavam tornando a convivência em casa tóxica, o casal se separou.

Apesar disso, eles estavam determinados a não perder a amizade e oferecer o que pudessem às filhas, para que elas se desenvolvessem bem. Mesmo em casas separadas, Kelly continuou acompanhando Dan em suas consultas de rotina no Guy’s Hospital. “Ele tinha diálise três vezes por semana, seis horas por dia, e isso afetava seu relacionamento com as meninas”, contou Kelly. “Eles não tinham tempo de qualidade, por conta da doença, e isso me entristecia. As meninas não poderiam ficar tanto tempo longe do pai”.

A doação de amor

Equilibrando como podia o convívio com as filhas, tendo a ajuda de Kelly, Dan recebeu uma notícia ainda mais preocupante em 2017. É que seria necessário um transplante tão logo fosse possível, pois seu quadro clínico era crítico. “Ele não gostava de nos contar sobre o avanço da doença”, recordou Kelly, explicando que naquele ano o ex-marido entrou na lista de doadores falecidos.

Só que um ano depois de ingressar na lista, Dan não havia recebido nenhuma ligação com boas notícias e seu caso só piorava. Foi então que Kelly decidiu fazer testes para ver se eram compatíveis. Os exames mostraram que havia um risco de transplante por conta da questão sanguínea, mas que o tecido dos dois era compatível. “Diante da gravidade do problema de Dan, decidimos tentar mesmo assim”, disse Kelly. “Não estava preparada para meus filhos perderem o pai”.

Mãe doa rim ao filho adotivo e salva a vida da criança

Em agosto de 2018, então, Dan e Kelly entraram em cirurgia. As filhas do casal, com 15 e 10 anos, apoiaram incondicionalmente e os levaram até a porta da sala onde o procedimento aconteceria. Cinco dias depois, apesar dos riscos, Dan saiu do hospital bem, apenas com comprimidos antirejeição.

Segundo o casal, essa experiência os aproximou de uma maneira diferente.  “Foi realmente um ato altruísta colocar sua própria vida em risco para ajudar alguém. Kelly sempre será minha heroína”, contou o orgulhoso Dan. “Para mim, eu estava doando um rim ao pai dos meus filhos e ao melhor amigo que tenho desde os 11 anos. Podemos não estar casados ​​agora, mas ainda somos uma família e eu tive que fazer esse sacrifício para manter nossa família unida”, finalizou Kelly.

***

Recomendamos também:

***

Acompanhe-nos nas redes sociais: Facebook Twitter | YouTube

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também