Saúde mental

Esquecer um nome ou uma palavra significa que tenho demência?

  • PorLaurie Archbald-Pannone*
  • 15/01/2021 09:13
Demência pode ser um evento natural proveniente da idade avançada.
Demência pode ser um evento natural proveniente da idade avançada.| Foto: Bigstock

O número de casos de demência nos Estados Unidos está crescendo à medida que os baby boomers (termo que se refere aos nascidos entre 1946 e 1964) envelhecem, levantando questões para os próprios “boomers” e também para suas famílias, cuidadores e a sociedade.

A demência, que não é tecnicamente uma doença, mas um termo para a capacidade prejudicada de pensar, lembrar ou tomar decisões, é uma das mais temidas deficiências da velhice.

Siga o Sempre Família no Instagram!

A incidência aumenta drasticamente à medida que as pessoas chegam aos 90 anos. Cerca de 5% das pessoas de 71 a 79 anos têm demência, e cerca de 37% daqueles com cerca de 90 anos vivem com ela.

Os idosos podem se preocupar com sua própria perda de função, bem como com o custo do cuidado de alguém com demência. Um estudo de 2018 estimou que o custo vitalício dos cuidados de uma pessoa com Alzheimer, a forma mais comum de demência, é de 329.360 dólares. Esse número também deve aumentar no futuro, sem dúvida, sobrecarregando ainda mais as famílias e o sistema de saúde.

Também se voltou a falar mais sobre demência nos últimos meses por causa da recente eleição presidencial nos Estados Unidos. Alguns eleitores perguntaram se um ou ambos os candidatos poderiam ter a condição. Mas essa é uma pergunta justa de se fazer? Quando esses tipos de perguntas são feitas – adicionando mais estigma às pessoas com demência – isso pode isolar injustamente ainda mais essas pessoas e aquelas que cuidam delas. Precisamos entender a demência e o impacto que ela tem em mais de 5 milhões de pessoas nos Estados Unidos, que agora convivem com a condição, e seus cuidadores. Esse número deve triplicar até 2060.

Em primeiro lugar, é importante saber que a demência não pode ser diagnosticada à distância ou por alguém que não seja médico. Uma pessoa precisa de um exame médico detalhado para um diagnóstico.

Às vezes, imagens cerebrais são necessárias. E, esquecer uma palavra ocasionalmente – ou mesmo onde você colocou suas chaves – não significa que uma pessoa tem demência. Existem diferentes tipos de perda de memória e podem ter diferentes causas, como outras condições médicas, quedas ou até medicamentos, incluindo ervas, suplementos e qualquer coisa sem prescrição.

Os idosos se perguntam e se preocupam com os chamados momentos da velhice e com a perda de memória que percebem em si mesmos e nos outros. Vejo pacientes assim todas as semanas em minha clínica geriátrica, onde me contam suas histórias. Eles esquecem uma palavra, se perdem em uma história, perdem as chaves ou não conseguem se lembrar de um nome. Os detalhes variam, mas a preocupação é a mesma: isso é demência?

Perda de memória normal

À medida que envelhecemos, experimentamos muitas mudanças físicas e cognitivas. Pessoas mais velhas geralmente apresentam uma diminuição na memória de recordação. Isso é normal. Você já teve problemas para buscar um fato na parte posterior do seu "Rolodex da mente"? Suponha que você encontre alguém no supermercado que não vê há anos. Talvez você reconheça o rosto, mas só se lembre do nome mais tarde naquela noite. Isso é normal, parte das mudanças esperadas com o envelhecimento.

O que é mais problemático é esquecer o nome de alguém que você vê todos os dias; esquecer como chegar a um lugar que você visita com frequência; ou ter problemas com suas atividades da vida diária, como alimentação, vestir-se e higiene.

Quando você tem problemas de memória – mas eles não interferem em suas atividades diárias – isso é chamado de comprometimento cognitivo leve. Seu médico de atenção primária pode diagnosticar. Mas às vezes fica pior, então seu médico deve segui-lo de perto se você tiver comprometimento cognitivo leve.

Você deseja observar o momento de qualquer prejuízo. Houve um declínio gradual? Ou aconteceu de repente? Você também deve discutir isso com seu médico, que pode recomendar o MoCA, ou teste de Avaliação Cognitiva de Montreal, que rastreia problemas de memória e ajuda a determinar se mais avaliações são necessárias.

Além disso, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças relacionam os problemas nessas áreas como possíveis sinais de demência:

  • Memória
  • Atenção
  • Comunicação
  • Raciocínio, julgamento e resolução de problemas
  • Percepção visual além das mudanças típicas de visão relacionadas à idade

Problemas mais graves

Quando a perda de memória interferir nas atividades diárias, consulte seu médico para saber o que fazer e como se certificar de que você está seguro em casa.

Existem vários tipos de perda grave de memória. A demência tende a ser uma progressão lenta que ocorre ao longo de meses ou anos. O delírio é mais repentino e pode ocorrer ao longo de horas ou dias, geralmente quando você tem uma doença aguda. A depressão também pode causar alterações na memória, principalmente à medida que envelhecemos.

Demência e outros problemas cerebrais

A demência de Alzheimer é o tipo mais comum de demência, seguida pela demência vascular. Eles têm sintomas semelhantes: confusão, perder-se, esquecer amigos íntimos ou familiares ou incapacidade de fazer cálculos como o saldo do talão de cheques. Certas condições médicas – distúrbios da tireoide, sífilis – podem causar sintomas de demência, e tipos menos comuns de demência podem ter diferentes tipos de sintomas. A doença de Alzheimer tem um conjunto distinto de sintomas frequentemente associados a certas mudanças no cérebro.

Concentrar-se na segurança e na supervisão adequada, especialmente em casa, é fundamental para todas as pessoas com demência. Seu médico ou assistente social pode ajudá-lo a encontrar apoio. Também é importante estar ciente de dois outros fatos que podem levar à diminuição do funcionamento mental: delírio e depressão.

Delírio, uma mudança rápida na cognição ou funcionamento mental, pode ocorrer em pessoas com uma doença médica aguda, como pneumonia ou mesmo infecção por Covid-19. O delírio pode ocorrer em pacientes no hospital ou em casa. O risco aumenta com a idade ou lesões cerebrais anteriores; os sintomas incluem diminuição da capacidade de atenção e problemas de memória.

A depressão pode acontecer a qualquer momento, mas é mais comum com o envelhecimento. Como você pode saber se está deprimido? Aqui está uma definição simples: quando seu humor permanece baixo e você perdeu o interesse ou a alegria nas atividades que antes amava.

Às vezes, as pessoas têm episódios recorrentes de depressão; às vezes, é o luto prolongado que se transforma em depressão. Os sintomas incluem ansiedade, desesperança, baixa energia e problemas de memória. Se você notar sinais de depressão em si mesmo ou em uma pessoa querida, consulte seu médico. Se você estiver pensando em se machucar, ligue para o 188 para obter ajuda imediatamente do Centro de Valorização da Vida.

Qualquer uma dessas condições pode ser assustadora. Mas ainda mais assustador é a demência não reconhecida. Você deve, aberta e honestamente, discutir as mudanças que você percebe em sua memória ou pensamento com seu médico. É o primeiro passo para descobrir o que está acontecendo e garantir que sua saúde esteja a melhor possível.

E, como acontece com qualquer doença ou grupo de doenças, a demência não é uma “falha de caráter” e o termo não deve ser usado para criticar uma pessoa. A demência é um diagnóstico médico sério – pergunte a quem a tem, aos entes queridos que cuidam deles ou a qualquer um que os trata. Ter demência é um desafio. Aprenda o que você pode fazer para apoiar as pessoas com demência em sua própria comunidade.

*Laurie Archbald-Pannone é professora associada de medicina e geriatria na Universidade de Virgínia.

©2021 The Conversation. Publicado com permissão. Original em inglês.

Deixe sua opinião

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.