Vida familiar

5 dicas para uma comunicação mais eficaz em casa

  • PorRossana Bittencourt, especial para o Sempre Família
  • 11/02/2021 17:35
Adiar discussões ou adotar uma postura mais enfática e direta, sem empatia e compaixão, pode tornar a família incomunicável.
Adiar discussões ou adotar uma postura mais enfática e direta, sem empatia e compaixão, pode tornar a família incomunicável.| Foto: Bigstock

Quase que todo casal já passou por uma situação em que a comunicação falhou e uma coisa boba, que parecia inofensiva, se tornou um problema imenso. Não importa se é um namoro, casamento ou se o casal tem filhos ou não, qualquer relacionamento está sujeito a ser mais complicado quando os envolvidos não conversam direito.

Siga o Sempre Família no Instagram!

A psicóloga e terapeuta Clarice Ebert explica que na maior parte das vezes o problema não é nem a falta de comunicação porque, segundo ela, até o silêncio passa uma mensagem. A questão é que adiar discussões ou adotar uma postura mais enfática e direta, sem empatia e compaixão afeta o casal e todos que estão próximos, inclusive os filhos. “Com o passar dos anos a pessoa se acostuma com essa comunicação disfuncional e essa dinâmica nem sempre é favorável”, reforça Clarice.

A terapeuta ainda ressalta que mesmo que um casal seja muito apaixonado, sempre há diferenças. Seja em gostos pessoais ou no direcionamento da educação dos filhos, por exemplo, o diálogo é o principal responsável pela harmonização dessas discrepâncias. E é sob essa ótica que comunicação assertiva ganha importância. “Falta de diálogo contribui para a situação ficar rodando sem ações práticas”, afirma Clarice. Por isso solucionar problemas só é possível com uma boa conversa.

A especialista em comunicação, Thayse Leonardi, é incisiva ao dizer: “A comunicação é o único caminho para construir relacionamentos sólidos”. Para ela comunicar vai muito além de simplesmente expressar algo ou apenas falar, passar uma mensagem. Primeiro é preciso saber ouvir e até analisar o impacto das coisas que são ditas. Mais do que uma técnica ou uma mudança de postura, ser assertivo pode ficar mais fácil, com essas cinco dicas.

  1. Escuta atenta

    Antes de querer dizer algo, é preciso aprender a ouvir, alerta Thayse. A escuta não é apenas esperar a vez de falar. Saber qual é a necessidade por trás da fala do outro, o desejo que ele ou ela tem que a relação não atende, é fundamental para que a resposta seja mais assertiva.
  2. Controle das emoções

    Ao falar, controlar as emoções impacta positivamente. Com certeza um momento em que se está prestes a explodir não é um bom momento para se comunicar. Especialmente se o receptor da mensagem for o responsável pelo motivo da ira. “É melhor que eu me afaste, respire fundo e me acalme”, orienta Thayse.
  3. Saber onde se quer chegar

    Outro ponto importante é sempre saber qual é o objetivo da mensagem que se quer transmitir. “Quando vamos ter uma conversa difícil com o marido ou com o filho é importante ter clareza sobre o tema abordado e onde queremos chegar”, exemplifica. Responda mentalmente o que sobre o que se espera depois dessa conversa, como você gostaria de se sentir ao fim dela e como o outro deverá se sentir. É o que ajuda a evitar agressividade ou culpar o outro e também sair da postura passiva.
  4. Verbalizar em 3 etapas

    Ao verbalizar a situação, há três passos que podem ajudar. O primeiro é descrever o fato com objetividade, sem juízo de valor ou adjetivos. “Apontar a crítica faz com que o outro se feche e em vez de diálogo vai haver conflito”, enfatiza Thayse. Depois o que deve ser externalizado é o impacto que a atitude do outro tem sobre quem está comunicando algo. O terceiro passo é perguntar o que seria possível fazer para solucionar a questão. Essa pergunta provoca o engajamento do outro, diferentemente de dar uma ordem.
  5. Linguagem corporal

    A expressão facial e o tom de voz devem estar alinhados com a mensagem que se quer transmitir. “Eu não posso estar numa postura autoritária. Deve ser aberta e receptiva, olhando nos olhos, sem rancor”, ensina ela.

É claro que na teoria é bem fácil explicar como ser assertivo, mas as duas especialistas concordam que isso tudo é um exercício diário e que mudar o perfil de comunicação requer esforço. E para quem ainda tem dúvidas sobre a efetividade de uma comunicação mais empática e assertiva, Clarice garante: “O diálogo pode fazer milagres dentro do relacionamento”.

Deixe sua opinião

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.