Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Criança lendo
Pixabay
Educação dos filhos

5 dicas para estimular o hábito da leitura desde a infância

Ler com os filhos desde os primeiros meses de vida, deixar livros em locais acessíveis da casa e dar o exemplo são alguns passos para criar bons leitores

Com apenas três anos e sem conhecer nem mesmo as vogais, Letícia já é apaixonada por leitura e se diverte com os livros que tem. “Ela enjoa de todos os brinquedos, mas dos livros, não”, relata a mãe Fernanda Nunes Fernandes. Segundo ela, a menina adora folhear as páginas coloridas, descrever as figuras e ouvir histórias. “Esse é seu momento preferido do dia, principalmente porque é a hora que recebe toda minha atenção”, afirma.

Ler em voz alta para o bebê estimula a inteligência, diz estudo

No entanto, nem toda criança aguarda ansiosa pelo momento com os livros, e frases como “não gosto de ler” ou “isso é chato” se tornam cada vez mais frequentes“. De acordo com a psicóloga e escritora Rima Awada, isso ocorre, principalmente, quando os próprios pais enxergam a prática como uma obrigação enfadonha. “Se a leitura não estiver presente no espaço familiar desde cedo, será mais difícil fazer com que os filhos desenvolvam esse hábito”.

Arquivo pessoal/Fernanda Fernandes
Arquivo pessoal/Fernanda Fernandes

Por isso, o primeiro passo para incentivar crianças e adolescentes a se apaixonarem pelos livros é a conscientizar os pais. “Fica difícil mostrar que a leitura é importante se o pai e a mãe não acham isso”, afirma a especialista, que aponta o exemplo em casa como algo fundamental para a formação de bons leitores. “Se esforce, leia, espalhe seus livros pela casa e fale sobre o que está lendo nas refeições em família. Trate desse universo com paixão e isso contagiará a criança”, garante.

Fernanda é prova de que isso funciona. Desde pequena, ela via a mãe — avó da Letícia — rodeada de livros e ficava encantada com as histórias. “Aprendi a gostar dessa maneira e faço o mesmo hoje com minha filha”, relata a paranaense, que leu para a menina durante toda a gestação, continuou desde os primeiros meses de vida e já percebeu os resultados.

“Se esforce, leia, espalhe seus livros pela casa e fale sobre o que está lendo nas refeições em família. Trate desse universo com paixão e isso contagiará a criança”.

Aguçar essa curiosidade é essencial para incentivar o hábito da leitura já na primeira infância e isso deve ser estimulado ainda mais entre a alfabetização e a adolescência. Para isso, a psicóloga separou algumas dicas simples que podem ser colocadas em prática pelos pais.

1. Leia com seu filho

Dedicar tempo semanalmente para ler em família promove um momento de diversão à criança, diminui o estresse dos pais e ainda estreita significativamente o vínculo que eles têm com os filhos. “A leitura conjunta desenvolve criatividade, empatia e amor”, afirma a psicóloga,  que é autora de títulos infantis como “Layla, a menina Síria”. 

Além disso, a prática ajuda crianças e adultos a organizarem sua visão de mundo e formarem opiniões. “É uma maneira de reinterpretar tudo aquilo que a sociedade já nos entrega codificado, fechado em um rótulo”. Então, é importante sempre comentar a respeito do que for lido e ouvir o que todos os membros da família têm a dizer.

2. Diminua o tempo dedicado aos equipamentos eletrônicos

Muitos pais afirmam que não conseguem dedicar tempo para leitura porque possuem diversos compromissos e não sobra espaço na rotina para essa prática. “Mas como temos tempo para usar tantos aparelhos eletrônicos?”, questiona Rima. De acordo com ela, é necessário controlar o tempo dedicado a esses aparelhos e orientar os filhos a fazerem o mesmo.

Dessa forma, eles diminuirão o tempo que passam nas telas do celular, tablets ou da televisão e conseguirão dedicar alguns minutos à leitura. Isso deve ocorrer mesmo que a criança participe de outras atividades e a ajudará no desenvolvimento da atenção e foco.

Arquivo pessoal/Fernanda Fernandes
Arquivo pessoal/Fernanda Fernandes

3. Deixe os livros em local acessível

Outro detalhe fundamental para incentivar o hábito da leitura é facilitar o acesso aos livros. Para isso, é necessário tirar as publicações infantis das caixas ou do alto das prateleiras e deixá-las em locais visíveis, ao alcance dos pequenos. “Mantenha os títulos à vista na sua casa e em ambientes que a família passa mais tempo. Assim, fica fácil para você e seus filhos lembrarem dos livros”, afirma a terapeuta, que faz questão de colocar essa dica em prática.

“Tenho dois meninos, um de dois anos e outro de sete, e eles sempre estão mexendo com livros”, relata a mãe que espalha obras por todos os cômodos da residência. “Temos livros até na cozinha. Então, enquanto eu preparo a refeição, eles estão lendo”.

4. Apresente opções aos filhos

Ajudar a criança a encontrar suas preferências de leitura também estimula o gosto pelos livros porque a faz perceber que leitura não á algo monótono e que proporciona, sim, diversão e prazer. “Eu, por exemplo, só passei a gostar de ler depois que me apaixonei por um estilo, um autor, uma escrita”, relata a estudante Júlia Duda Lourenço, de 16 anos.

Segundo a adolescente, que afirma ter lido mais de 200 livros em quatro anos, o hábito só foi criado depois que a leitura deixou de ser uma obrigação e ela “se encontrou” nas obras. “Comecei a gostar com 12 anos, quando meus pais me trouxeram um livro da autora norte-americana Cassandra Clare. Após ler algumas páginas, me apaixonei”.

9 histórias clássicas que transmitem valores às crianças

Segundo a psicóloga, essa paixão pode ocorrer logo no primeiro livro que a criança recebe ou demorar para ser desenvolvida. Por isso, é importante oferecer opções aos filhos. “Mostre títulos clássicos, contemporâneos, textos simples e complexos, com mais ou menos ilustrações, poesias e lendas”, orienta a especialista. “Com maior variedade, o pequeno tem mais chance de construir suas preferências”, completa.

5. Incentive a participação em rodas de leitura

Para os adolescentes, outra maneira de incentivar o gosto pelos livros é a participação em rodas de leitura organizadas de forma informal e divertida. Esses encontros podem acontecer na escola, em casa, com a família ou em clubes e centros comunitários para chamar a atenção dos participantes.

Além disso, a terapeuta garante que uma boa conversa sobre o que acabou de ser lido ajuda a estimular a reflexão. “ Quanto mais à vontade o adolescente se sentir diante de um grupo e de um livro, maior será seu engajamento. Mais prazer, menos obrigação”, garante.

 

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no  Twitter.

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também