Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
babies
Defesa da Vida

Depois de 17 anos tentando engravidar, mulher dá à luz sêxtuplos

A espera valeu a pena e os três meninos e três meninas nasceram saudáveis.

O casal Ajibola e Adeboye Taiwo passaram quase duas décadas tentando ter filhos. Originários da Nigéria, mas residentes nos Estados Unidos, em 2016 eles finalmente descobriram que Ajibola tinha engravidado. Em novembro, conseguiram ouvir quatro coraçõezinhos batendo em seu primeiro ultrassom.

Em uma nova consulta, descobriram, porém, que estavam esperando não um nem quatro filhos, mas seis. “Eu estava animado”, disse Adeboye à CNN. “Pela primeira vez estávamos esperando bebês”.

Uma gestação de sêxtuplos é extremamente rara e delicada. Em 2015, aconteceram 4 milhões de partos nos Estados Unidos. Apenas 24 deles deram à luz quíntuplos ou grupos maiores.

Grávida de trigêmeos toma difícil decisão para não perder o bebê mais frágil

Assim que ficou confirmado que Ajibola esperava seis bebês, um time de 40 profissionais começou a fazer treinamentos de parto e exercícios de ressuscitação para garantir que tudo correria bem no grande dia.

“Um dia de trabalho típico inclui um ou talvez dois bebês prematuros, geralmente com tempo entre os dois. Nós tínhamos que coordenar nossos colegas para seis bebês prematuros vindo ao mundo ao mesmo tempo”, disse a doutora Susan Lanni, do Virginia Commonwealth University Medical Center, em Richmond, onde aconteceu a cesárea.

Os três meninos e três meninas nasceram após 30 semanas de gestação, no dia 11 de maio. O menor nasceu com 737 gramas e o maior com 1,332 quilos. Eles ainda estão na UTI neonatal, enquanto crescem um pouquinho mais, mas estão todos bem. Ajibola recebeu alta uma semana depois do parto.

“Espero que o menor dos meus seis filhos cresça e diga: ‘Eu era tão pequeno, olhe para mim agora’”, disse a supermamãe.

 

Com informações da CNN.

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também