"Cookies4Cures"

Menina arrecada 100 mil dólares com biscoitos e ajuda crianças em tratamento de doenças raras

  • Por Equipe Sempre Família
  • 22/10/2020 16:28
Fundada pela pequena Dana Perella, de 10 anos, a Cookies4Cures já arrecadou cerca de 100 mil dólares para o financiamento de pesquisas para tratamentos de doenças infantis raras.
Fundada pela pequena Dana Perella, de 10 anos, a Cookies4Cures já arrecadou cerca de 100 mil dólares para o financiamento de pesquisas para tratamentos de doenças infantis raras.| Foto: Facebook/Cookies4Cures

“Para quem quer mudar o mundo, tenho dois conselhos: acredite em si mesmo e apenas comece”. A frase até parece ter sido dita por alguém com muitos anos de experiência, não é? Mas quem a disse foi Dana Perella, de apenas 10 anos. Apesar da pouca idade, a menina moradora de Boulder, no estado de Colorado, EUA, realmente está fazendo sua parte para tornar o mundo um lugar melhor – e inspirando milhares de pessoas a fazer o mesmo.

Siga o Sempre Família no Instagram!

Tudo começou quando Dana tinha 7 anos e sua melhor amiga, Mila, foi diagnosticada com uma doença rara e fatal chamada Batten, uma mutação genética que causa sintomas como convulsões e perda de habilidades motoras. Por ser uma doença sem tratamento eficiente até então, Mila precisava de um tratamento experimental que custaria muito dinheiro. Rapidamente, Dana decidiu ajudar a família de sua amiga fazendo aquilo que estava ao seu alcance: vender biscoitos.

Depois de três meses vendendo seus deliciosos cookies pela vizinhança, Dana conseguiu arrecadar a quantia de US$1000 (aproximadamente R$ 5.600) para ajudar no financiamento de pesquisas para a cura de Mila.

Cookies4Cures

E se começou a dar certo vendendo somente na vizinhança, por que não expandir sua missão para outros lugares e alcançar ainda mais pessoas? A pequena Dana decidiu então criar uma página de doações online com uma meta ainda maior. A iniciativa viralizou e ganhou até um nome oficial: Cookies4Cures (“cookies para curas”, em tradução livre). A partir de então, a menina passou a contar com a ajuda de sua mãe, Alexis, e de alguns amigos para fazer os biscoitos.

A organização sem fins lucrativos ganhou ainda mais notoriedade com a realização de pequenos eventos para conscientizar as pessoas sobre doenças raras. Durante os eventos, ao ser questionada sobre quanto custavam os cookies, Dana respondia cheia de confiança: “Pegue o que quiser e deixe o valor que faz seu coração se sentir bem”. Em pouco tempo, a Cookies4Cures arrecadou mais de US$ 56.000 (R$312.500, aproximadamente) para as pesquisas sobre a doença de Batten, proporcionando um tratamento para Mila.

Com o sucesso da iniciativa, Dana e sua mãe começaram a convidar qualquer pessoa disposta a ajudar na preparação dos cookies, já que agora os pedidos aumentavam a cada dia e elas poderiam ajudar ainda mais crianças com doenças raras. Outros familiares, amigos e professores se juntaram à Dana e sua mãe, formando uma equipe de quase 100 voluntários que vestiram a camisa da organização.

“O financiamento com base na ciência é a nossa missão”, diz Dana em entrevista ao portal Real Simple. “Quando não há cura, a única coisa a fazer é ajudar os cientistas a fazer pesquisas para encontrá-la. Financiamos pesquisas porque, para crianças com doenças raras, a pesquisa é esperança”.

Com três anos de existência, a Cookies4Cures já produziu e vendeu mais de 12 mil biscoitos, o que rendeu cerca de US$100.000 (R$558.000, aproximadamente) para o financiamento de pesquisas para tratamentos de doenças infantis raras. A incrível iniciativa da pequena Dana lhe rendeu até mesmo um prêmio no último mês setembro, o Prêmio Gloria Barron 2020, dedicado a jovens inspiradores da América do Norte que deram uma contribuição significativa às pessoas e ao planeta.

O foco da organização neste ano é arrecadar dinheiro para pesquisas sobre a Atrofia Muscular Espinhal (AME). “AME é uma doença rara em que os músculos ficam fracos. Nosso amigo Ben está com ela”, disse Dana ao portal. “Ele tem 16 anos, então agora nosso foco é ajudar o Ben e adolescentes como ele”. O sonho de Dana é conseguir arrecadar fundos para pesquisas sobre todas as doenças raras e, para isso, ela espera encontrar mais parceiros pelo caminho. “Espero poder inspirar mais pessoas a fazer a sua parte”, afirma a menina.

Dana e seu amigo Ben, que tem Atrofia Muscular Espinhal. | Foto: Facebook/Cookies4Cures
Dana e seu amigo Ben, que tem Atrofia Muscular Espinhal. | Foto: Facebook/Cookies4Cures

Para ajudar a Cookies4Cures, você pode acessar o site da organização e também acompanhá-los no Instagram.

Deixe sua opinião

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.