"Não quero que tenham fome"

Menina vende biscoitos para pagar lanche de 123 colegas

Katelynn Hardee, de cinco anos, pediu à mãe para iniciar o “negócio” depois de ouvir os pais de um colega falarem que não tinham dinheiro para pagar despesas escolares da criança

  • Por Gazeta do Povo
  • 16/12/2019 17:12
A menina Katelynn Hardee, de cinco anos, vendendo biscoitos.
A menina Katelynn Hardee, de cinco anos, vendendo biscoitos.| Foto: Facebook/Breeze Hill Elementary School PTA

Com um estande de vendas bem organizado em frente à escola, garrafas térmicas repletas de chocolate quente e vários biscoitos com temas natalinos à disposição de seus clientes, o “negócio” da pequena Katelynn Hardee, de cinco anos, poderia aumentar seus presentes de Natal com facilidade este ano. No entanto, em vez de usar o lucro das vendas para comprar algo que desejasse, a menina usou todo o valor para pagar dívidas que mais de 100 colegas tinham no restaurante da escola. “Não quero que as pessoas tenham fome", disse a garota em entrevista à NBC de San Diego, nos Estados Unidos.

Katelynn estuda na Escola Breeze Hill, no município de Vista, e ficou conhecida na última sexta-feira (13) após a instituição divulgar fotos da ação voluntária. Nas imagens, a aluna do Jardim da Infância aparece atrás de um balcão feito com caixas de madeira, onde expõe seus produtos. Além disso, a “loja solidária” chama atenção por ser montada ao ar livre e oferecer dois sabores de chocolate quente para quem deseja se aquecer e contribuir com a atividade social. “E fiz biscoitos com imagens de floquinhos de neve e árvores de natal”, contou, envergonhada, à NBC.

Só que a timidez apresentada em frente às câmeras não é realidade no dia a dia da menina, que sempre está acompanhada de seus colegas e até ouviu os pais de um deles dizer que não teria condições financeiras para pagar uma atividade realizada na escola. Essa situação deixou a garota preocupada e, de acordo com sua mãe, ela chegou em casa perguntando o motivo de parte das crianças em sua classe terem dinheiro, e outras não. “Aí eu disse que algumas não têm a mesma sorte que nós, mas que é gentil dar quando podemos", contou a moradora do estado da Califórnia, que se surpreendeu com a atitude imediata da criança.

Segundo Karina, sua filha lhe perguntou em seguida se elas poderiam montar uma barraca para vender chocolate quente e biscoitos com o objetivo de doar todo o dinheiro que recebessem, e a mãe decidiu fazer a ideia acontecer. Em pouco tempo, as duas iniciaram a produção dos itens para venda, pensaram em como fariam o estande e colocaram a ideia em prática, arrecadando o suficiente para ajudar 123 alunos da instituição.

Preocupação nacional

De acordo com a reportagem divulgada pela NBC News no último sábado (24), a ação da pequena Katelynn ocorreu em meio a uma preocupação nacional a respeito do pagamento de refeições em escolas públicas dos Estados Unidos. Lá, muitos estudantes não conseguem arcar com os custos do café da manhã e almoço nas escolas, e recebem refeições alternativas enquanto não acertam a dívida.

Por isso, Karina e sua filha usaram o lucro obtido com a venda de chocolate quente e biscoitos para pagar o almoço de estudantes carentes da Escola Breeze Hill, emocionando pais e funcionários. "É realmente inspirador ver a compaixão e a natureza generosa de Katelynn utilizadas para ajudar os menos afortunados", disse Jamie Phillips, diretora de nutrição infantil do distrito escolar de Vista, em entrevista à NBC.

Deixe sua opinião

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.