Foto: Reprodução/CNN
Foto: Reprodução/CNN| Foto:

Incentivado pela “Semana da Bondade” realizada anualmente em sua escola, o estudante Keoni Ching, de oito anos, decidiu fabricar e vender chaveiros para arrecadar dinheiro e pagar parte da dívida que seus colegas de baixa renda tinham no restaurante da instituição. No entanto, a ação superou suas expectativas e ele arrecadou mais de 4 mil dólares – o equivalente a R$ 20 mil –, quitando o débito de seus amigos e também dos alunos de outras seis escolas da cidade de Vancouver, no estado norte-americano de Washington.

Em entrevista à CNN na última terça-feira (4), o garoto contou que teve a ideia depois de ver seu jogador favorito – Richard Sherman – doar mais de 27 mil dólares para cobrir dívidas de almoço de estudantes dos Estados Unidos. Com isso, o menino decidiu iniciar a venda dos chaveiros que montava com o objetivo de contribuir também.

Só que ele não imaginava que notícias a respeito de sua ação atravessariam o país e que pessoas de diversos estados começariam a fazer pedidos para ajudá-lo. "Enviamos chaveiros para o Alasca, Rhode Island, Minnesota, Arizona e todo o país", contou a mãe April Ching à CNN.

Segundo ela, uma idosa chegou a encomendar 100 dólares em chaveiros personalizados para distribuir em sua cidade, enquanto várias pessoas pagaram voluntariamente bem mais que o valor de 5 dólares solicitados para cada item. “Foi absolutamente incrível quanto apoio a comunidade demonstrou em todo o projeto”, afirmou.

“Foi absolutamente incrível quanto apoio a comunidade demonstrou em todo o projeto”, afirmou.

Dessa forma, o garoto arrecadou 4.015 dólares com a venda de aproximadamente 300 chaveiros e entregou o valor ao diretor da Escola Benjamin Franklin no início deste mês. Desse total, cerca de 25% ficou com a instituição para quitar as dívidas dos colegas de Keoni, enquanto o restante foi dividido entre outros seis colégios da região.

Ainda segundo a reportagem divulgada pela CNN, o projeto voluntário ocorreu em meio a uma preocupação nacional a respeito do pagamento de refeições em escolas públicas nos Estados Unidos. Lá, muitos estudantes não conseguem arcar com os custos do café da manhã e almoço na instituição de ensino que frequentam, e recebem refeições alternativas por conta disso. Há casos, inclusive, de crianças que pegaram seu almoço no restaurante da escola e foram obrigadas a devolver o alimento devido aos débitos que tinham.

Por isso, Keoni e outros norte-americanos têm se mobilizado para ajudar alunos com dificuldades financeiras, e muitos estados já aprovaram leis que proíbem a ação de negar uma refeição quente a estudantes com dívidas no restaurante da escola. Afinal, ajudar outras pessoas "torna o mundo um lugar melhor", garantiu o menino à CNN.

semprefamilia

Deixe sua opinião