Verminoses são comuns, atingem qualquer classe social e a quantidade de informações equivocadas a respeito delas é grande
Verminoses são comuns, atingem qualquer classe social e a quantidade de informações equivocadas a respeito delas é grande| Foto: Bigstock

A criança se diverte brincando com terra, saboreando areia quando vai ao parquinho e engatinhando por todos os cômodos da casa. Além disso, basta derrubar um alimento para que, antes que seus pais percebam, recolha a comida rapidamente e coma. “São situações do cotidiano, pois os pequenos estão o tempo inteiro com as mãos no chão e colocando coisas na boca”, relata a mãe Fernanda Souza Salvi, que se esforça para transmitir bons hábitos de higiene aos cinco filhos, mas sabe que um pouco de sujeira também faz parte da infância.

“A gente ensina eles a lavarem as mãos antes de comer, passamos álcool em gel quando vamos ao parque, não entramos com sapato sujo dentro de casa e tomamos muito cuidado para evitar doenças, mas sabemos que uma ou outra alguma doença pode ocorrer”, garante a curitibana, ao citar conhecidas verminoses como a lombriga, solitária, amarelão e a sarna, que atingem adultos e crianças em qualquer ambiente ou classe social.

E esses problemas são tão comuns que há dezenas de mitos em relação ao assunto, o que confunde pais e professores a respeito de suas causas, sintomas e medidas de tratamento. Por isso, o pediatra Luiz Renato Valério, do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, responde aos principais questionamentos sobre eles e pede agilidade ao tratá-los. Afinal, “o parasita pode seguir diferentes caminhos pelo corpo, chegando até mesmo às vias aéreas e tornando o quadro muito mais grave”, alerta.

  1. É possível pegar uma verminose ao sentar em um banco contaminado?

    De acordo com o especialista, as verminoses que causam desconfortos intestinais não são contraídas dessa forma. No entanto, a falta de higienização em um banco pode, sim, levar à transmissão de parasitas cutâneos como a escabiose – conhecida como sarna. “Se uma pessoa infectada sentar nesse banco e outra, logo em seguida, também sentar ali, poderá adquirir a doença”.
  2. Os vermes são mais comuns em áreas rurais?

    O que interfere na transmissão, segundo o médico, são as condições de higiene precárias e a falta de saneamento básico, então é possível adquirir parasitoses dentro da cidade ou fora dela. Por isso, é necessário incentivar os filhos a sempre caminharem com calçados, não pisarem em terrenos úmidos e nem se aproximarem de valetas ou regiões de esgoto. “E, claro, manter a higiene das mãos após tocar em objetos sujos”.
  3. Posso contrair uma verminose ao comer fora de casa?

    A maneira mais comum de contágio é por meio da ingestão de água ou alimentos contaminados. Com isso, é preciso garantir que a comida seja manipulada e higienizada adequadamente em casa e também nos restaurantes que frequentar. “A dica é procurar locais limpos e observar como é a limpeza do banheiro, pois isso diz muito sobre o estabelecimento”, orienta o pediatra.
  4. A criança com vermes come muito doce?

    Como o paciente perde o apetite, é possível que ele aceite com mais facilidade ingerir alimentos que gosta e, com isso, a chance de uma criança aceitar doces coloridos e com embalagens sedutoras é maior. No entanto, isso não é, necessariamente, um sintoma. “Eles costumam ter, na verdade, um apetite bastante seletivo, ruim e em quantidades inadequadas”, explica Valério.
  5. Quem tem lombriga pode vomitar ao ficar com vontade de comer algo?

    Segundo o pediatra, os principais sinais de parasitoses intestinais são distensão abdominal, dor de estômago, náuseas e vômitos, mas não há comprovação científica de que uma criança com verminose fique enjoada quando sentir o desejo de comer alguma coisa. “Evidentemente que aquela com menor poder aquisitivo pode, em algum momento, ter vontade de determinado alimento e até dizer que está com uma dor abdominal”, afirma o médico. “Mas isso será apenas uma tentativa de ganhar o que pediu”, completa.
  6. É comum o paciente apresentar manchas brancas na pele?

    Algumas manchas podem estar ligadas à parasitose, mas, na maioria dos casos, ocorrem devido a outros problemas relacionados a doenças de pele ou deficiências nutricionais. Por isso, não é possível dizer que uma marca branca no rosto tenha relação direta com vermes e nem afirmar que toda verminose apresentará manchas entre seus sintomas.
  7. Barriga grande e coceira no bumbum são sinais de verminose intestinal?

    Além de sintomas comuns como náusea e falta de apetite, a criança com alguma parasitose intestinal apresenta, sim, inchaço abdominal e coceira no ânus. Por isso, diante desses sinais e de outros como irritabilidade, perda de peso, tosse, chiado no peito, diarreia ou constipação, é importante buscar um especialista.
  8. Só o exame de fezes pode confirmar o diagnóstico?

    Sim, e a coleta das amostras deve ser realizada três vezes. De acordo com o médico, isso facilita a identificação do verme causador do processo infeccioso. Então, “o ideal é realizar hoje, amanhã e também depois de amanhã”, afirma Valério, ao citar também a importância de o paciente relatar na primeira consulta os sintomas relacionados à diarreia. “Em algumas parasitoses, por exemplo, as evacuações costumam ser líquidas ou quase líquidas com pedaços de alimentos que não foram digeridos, e há certa urgência para chegar ao banheiro”.
  9. É importante tomar um medicamento vermífugo uma vez por ano?

    De acordo com o pediatra, o uso de um antiparasitário anualmente auxilia na prevenção de verminoses, assim como os demais cuidados relacionados à higiene. No entanto, é necessário sempre entrar em contato com o pediatra para saber qual remédio é o mais indicado e a quantidade adequada para cada idade.

semprefamilia

Deixe sua opinião