Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

O que não dizer ao seu filho quando ele está triste

Mais do que palavras e conselhos, um simples abraço pode ser suficiente quando seus filhos estiverem atravessando uma fase difícil

Muitas vezes, na educação dos filhos, os pais não precisam dizer nada. Mais do que palavras e conselhos, um simples abraço é o suficiente. É papel dos pais serem resilientes e compreensivos em um momento de sofrimento dos filhos. Reconheçam que o que eles estão passando é realmente difícil, diante do conhecimento que ele têm sobre o mundo.

3 técnicas de comunicação que podem fortalecer o vínculo familiar

Para isso, evitar cair no erro de repetir frases como como “Está tudo bem, há problemas maiores do que este”, que só desanimam e maximizam ainda mais os problemas enfrentados pelos pequenos, é essencial. A escritora norte-americana Anna Brink, listou os principais comentários que são comuns a alguns pais e mães, mas que precisam ser evitados quando os filhos estiverem atravessando uma fase ruim. Confira:

1. “Isso é o que você precisa fazer” (Corrigindo o problema)

Quando você diz aos seus filhos como resolver o problema, você tira oportunidade de ele crescer com a experiência. Eles não podem aprender com as situações da vida, sejam elas boas ou ruins, se não permitirmos que eles realmente as vivenciem. “O sofrimento e a frustração têm caráter pedagógico, para que o indivíduo saiba lidar com isso durante a vida”, explicou Rossandro Klinjey em entrevista recentemente publicada aqui no Sempre Família.

2. “Ei, você tem muitos opções melhores do que esta que te faz sofrer” (Ignorando o problema)

O problema não pode ser ignorado. Se algo ruim aconteceu na escola, por exemplo, e isso está afetando o desempenho dele, tente ouvi-lo e encontre uma solução junto à professora. Mudar de assunto para ignorar seu sofrimento não vai acrescentar em nada. Isso não fará o problema desaparecer. Enfeitar um problema, tentando ignorar suas consequências não faz com que a dor desapareça, pelo menos não permanentemente.

3. “Está tudo bem, há problemas maiores do que este” (Minimizando o problema)

Para os adultos lidar com algumas decepções ao longo da vida pode ser fácil, mas para as crianças essa pode ser uma tarefa muito difícil. Então, quando elas ficam chateadas por alguma razão é importante que os pais não minimizem o problema. Em vez de dizer “Está tudo bem”, ajude-as a serem resilientes, para assim se adaptarem às mudanças e adversidades do dia a dia, valorizando e ouvindo o que ela tem a dizer. Sua insistência em dizer que tudo está bem não vai magicamente fazer com que seus sentimentos desapareçam.

4. “Bem, eu lhe disse para não fazer isso” (Piorando o sentimento)

Às vezes, por tantas frustrações ou desapontamentos na vida com a situação em que o filho se encontra, os pais entram no modo “eu falei”. E isso é prejudicial. É fato que os pais sempre alertam os filhos dos possíveis erros ou perigos. São preocupações naturais, mas enfrentar o problema dizendo: “Se ele tivesse acabado de me ouvir, isso não aconteceria”, não resolverá nada. É que compartilhar a essa sua perspectiva sobre o problema pode agravar ainda mais a situação, fazendo com que seu filho sinta não só tristeza, mas vergonha também.

 

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também