Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bispos africanos e um padre no Vaticano, em 2009. Foto: CNS/Paul Haring.
Bispos africanos e um padre no Vaticano, em 2009. Foto: CNS/Paul Haring.
Religião

O futuro da Igreja Católica está na África, revelam estatísticas divulgadas pelo Vaticano

Na contramão da maior parte do mundo, o continente africano mostra um crescimento vertiginoso do catolicismo em seu território.

Novas estatísticas divulgadas pelo Vaticano na última quinta-feira (06/04) mostram que em nenhum outro lugar do mundo o catolicismo se expande tanto quanto na África, confirmando o papel promissor do continente no futuro da Igreja Católica. Entre 2010 e 2015, o número de católicos na África cresceu 19,4%, passando de 186 para 222 milhões.

A Europa, por sua vez, se manteve estável, com um crescimento de pouco mais de 800 mil fiéis no mesmo período. Na América e na Ásia, registra-se um crescimento considerável de respectivamente 6,7% e 9,1%, que está, porém, alinhado com o crescimento demográfico de ambos os continentes.

As estatísticas, publicadas no Anuário Estatístico, dizem respeito ao ano de 2015. No mundo todo, o número de católicos aumentou 1% de 2014 para 2015, chegando a 1,285 bilhão. O número corresponde a 17,7% da população mundial.

A África é, ainda, o continente onde o número de freiras mais cresceu – 7,8% no período. Somente a Ásia também registrou crescimento nesse número, enquanto todos os outros continentes mostraram uma redução no número de religiosas. O continente africano é também o único que registrou aumento no número de seminaristas: 7,7%, enquanto a América registrou uma queda de 8,1% e a Europa de 9,7%.

Quanto à porcentagem de católicos dentro de cada continente, as estatísticas mostram que apenas 3,2% dos asiáticos são católicos. Na América, este número chega a 63,7%, enquanto na Europa é de 39,9%. Na Oceania, 26,4% da população é católica, e na África, 19,4%.

Praticamente metade – 49% – dos católicos do mundo estão na América, continente de origem do atual papa, Francisco. Outros 22,2% estão na Europa e 17,3% estão na África. 11% estão na Ásia, enquanto a Oceania conta com apenas 0,8% dos católicos do mundo.

O Brasil continua sendo o país com maior número absoluto de católicos, com 172,2 milhões – o que significa dizer que um em cada quatro católicos da América está no Brasil. Em seguida vêm o México, as Filipinas, os Estados Unidos, a Itália, a França, a Colômbia, a Espanha, a República Democrática do Congo e a Argentina.

Clero

As estatísticas mostram que o número de clérigos em todo mundo é de 466.212. Destes, 5.304 são bispos, 415.656 são padres e 45.255 são diáconos – a categoria que mais cresceu, 14%, desde 2010. A maior parte do episcopado do mundo está na América: são 37,4% dos bispos de todo o mundo. A Europa vem depois, com 31,6%, enquanto a Ásia tem 15,1% e a África 13,4%. A Oceania tem apenas 2,5%.

De 2014 para 2015, o número de padres aumentou no mundo todo, exceto na Europa, onde a diminuição foi tão grande que fez com que o número total de padres no globo sofresse um decréscimo. Nesse período, a Europa perdeu 2,5 mil padres, enquanto a África e a Ásia ganharam, cada uma, 1,1 mil. A América ganhou 47 padres e a Oceania, 82.

***

Recomendamos também:

Papa Francisco: não hesitem em recorrer aos exorcistas quando necessário

McDonalds criou o McFish para atender católicos que não comiam carne às sextas-feiras

Como a fé cristã lidaria com a descoberta de vida extraterrestre?

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também