Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Prefeitura Municipal de Arapongas
Prefeitura Municipal de Arapongas
Virtudes e Valores

Idosa devolve R$ 6 mil que achou em cobertor doado

Cobertor foi entregue a ela durante a campanha do agasalho promovida prefeitura de Arapongas, no interior do Paraná

É a honestidade ou a falta dela que define quem a pessoa é. Se você encontrasse R$ 6 mil no meio da rua ou então dentro de um cobertor que recebeu como doação, o que faria com essa quantia considerável nas mãos? Algumas pessoas talvez pagassem as contas pendentes do mês e ainda fariam mais algumas comprinhas com o dinheiro que sobrasse.

Mulher rifa carro de trabalho para pagar cirurgia e ganhador devolve o prêmio

Mas não foi essa a atitude de Jaqueline de Oliveira, de 69 anos, ao encontrar uma boa quantia e dinheiro, no meio de um cobertor doado durante a campanha do agasalho promovida, pela prefeitura de Arapongas, no Paraná. Em julho deste ano fez um frio rigoroso em todo o estado e Jaqueline já havia ficado emocionada ao receber um cobertor novo. Mas quando chegou em casa, a surpresa foi ainda maior: ao abri-lo ela encontrou um envelope com R$ 6 mil.

Jaqueline é atendida há dois anos pelo Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) da Zona Sul de Arapongas e foi ali que recebeu o cobertor após uma das oficinas que participa. Mesmo sem saber a real quantia que havia dentro do envelope, prontamente voltou ao local e entregou o dinheiro. “Menos de uma hora depois de receber a doação, a Jaqueline voltou nos mostrando o que havia encontrado”, lembra Regiane Giroldo coordenadora do CRAS da Zona Sul.

O valor encontrado é cinco vezes maior do que a aposentada recebe mensalmente de aposentadoria (R$ 998). “Não é certo”, justificou Jaqueline à equipe do CRAS, ao entregar os R$ 6 mil. “Tivemos uma grande lição de honestidade e caráter”, reforça Regiane. O caso, é claro, chamou a atenção nas redes sociais. Diversas pessoas sugeriram que o dinheiro ficasse com a idosa, já que o dono não havia sido encontrado dentro do prazo estipulado pela prefeitura. Depois de um boletim de ocorrência registrado, o valor ficou sob a guarda da justiça.

 

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também