Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Reprodução/BBC
Reprodução/BBC
Casamento e Compromisso

Ela teve braços e pernas amputados mas entrou caminhando na igreja em seu casamento

Por conta de uma gripe, Amanda Flores teve infecção generalizada e amputou braços e pernas; ao sair do coma foi pedida em casamento, mas isso só se concretizaria se ela pudesse entrar andando na igreja

Frank Bordoy e Amanda Flores se conheceram em 2013 e diante de tantas coincidências percebidas entre eles, como o fato de serem divorciados e terem, cada um, dois filhos com menos de sete anos, acharam que aquele seria um recomeço para os dois. Mas quando a vida parecia estar tomando o rumo para a felicidade, Amanda adoeceu e teve braços e pernas amputados.

Acontece que no final de 2014, quando Amanda e Bordoy já moravam juntos, ela começou a sentir fortes dores na garganta, teve laringite e uma tosse que não cessava. Para os médicos aqueles eram sintomas de gripe. Só que ela não tinha fim. Até que, na véspera do Natal daquele ano, Bordoy precisou leva-la ao hospital com urgência e as enfermeiras tiveram que elevar os níveis de oxigênio no sangue de Amanda que estavam muito baixos. Ela entrou em coma naquele dia. “A gente estava feliz, se conhecendo, quando peguei esse resfriado”, contou Amanda à BBC.

Depois de uma série de exames descobriu-se então que a inflamação na garganta dela não havia sido tratada corretamente. Isso fez com que uma infecção generalizada acontecesse. Logo depois seus órgãos começaram a parar e o sangue já não chegava chegar até seus membros inferiores e superiores. Os médicos sugeriram então que, para que ela sobrevivesse, as pernas e braços fossem amputados.

Jovem que lutava contra câncer casa-se em hospital e morre 18 horas depois

Em janeiro de 2015 Amanda já não tinha braços e pernas. Bordoy permaneceu ao lado dela durante todo o processo de amputação e recuperação. A nova vida de Amanda seria bastante pesada dali em diante e sua família chegou a chamar Bordoy para uma conversa, onde queriam livrá-lo de qualquer culpa caso ele quisesse partir. Mas ele não foi.

Quando Amanda acordou do coma em fevereiro, Bordoy fez o pedido de casamento e ela prontamente aceitou. Mas havia uma condição: isso só se concretizaria se ela pudesse entrar andando e segurando um buquê no dia da cerimônia. Começou então um árduo trabalho de reabilitação nos quatro meses que se seguiram. Houve momentos em que a depressão tomou conta de Amanda e ela até considerou o suicídio. Mas ela não cedeu a esses impulsos.

Após se adaptar às próteses, em 11 de agosto de 2018 ela entrou na igreja caminhando e segurando o buquê como desejava. Mas isso não foi o bastante. Amanda ainda conseguiu dançar com Bordoy em sua festa.

Assista ao vídeo:

 

Com informações de New York Times e BBC.

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também