Crianças precisam de regras suficientes para se sentirem seguras e protegidas, entre elas regras que promovem moralidade e segurança
Crianças precisam de regras suficientes para se sentirem seguras e protegidas, entre elas regras que promovem moralidade e segurança| Foto: Bigstock

Por mais que muita gente ache normal e não se incomode com o comportamento das crianças na casa dos outros, há uma parcela bem grande de pessoas, donos dessas casas, inclusive, que não aceita que essas visitas pulem no sofá, façam bagunça e saiam correndo ou gritando de um lado para o outro.

Siga o Sempre Família no Instagram!

Ainda, em tempos normais quando as crianças podem estar umas nas casas das outras para brincar, elas precisam saber o que comportamentos vindos da família do amiguinho, podem não ser seguras. Assim ela evita qualquer dano à sua integridade física, por exemplo.

E é por isso que é tão importante instruir os filhos e estipular regras claras a respeito de comportamentos que são toleráveis e aqueles que estão fora dos limites. "As crianças precisam de regras suficientes para se sentirem seguras e protegidas", explica Amy Morin, psicoterapeuta e professora na Unirvesidade Northeastern, de Boston, no estado norte-americano de Massachusetts, para o site VeryWell Family.

Ela sinaliza, apenas, que é importante saber dosar a quantidade de regras que são passadas de uma vez e como isso é feito. "Se forem muitas ou extremamente rígidas podem sufocar o desenvolvimento da criança", explica. Mas independentemente da idade, cinco regras são fundamentais:

  1. As que promovem a segurança

    Segurança física e emocional permitem que as crianças fiquem livres para explorar os próprios talentos. Exemplos como “não atender a porta sem um adulto por perto”, “não pular na mobília”, “compartilhar sentimentos com respeito” ou “usar palavras amáveis” podem garantir um ambiente seguro.
  2. As que promovem a moralidade

    Pedir desculpas e não machucar os outros são lições que os filhos devem ouvir sempre. Assim como dizer a verdade e tratar a todos com justiça. Só que dar o exemplo é o melhor meio de fazer as crianças entenderam a importância disso. Elas aprendem muito mais na prática do que simplesmente ouvindo o que os pais dizem.
  3. As que desenvolvem hábitos saudáveis

    Rotina faz bem e é importante. Se a criança se acostumar a sempre escovar os dentes depois do café da manhã, vai fazer isso sempre. Assim como fazer a tarefa de casa ao voltar da escola. O hábito se constrói todos os dias até se tornar algo natural, que já faz parte do comportamento. Esse tipo de coisa reduz disputas pelo poder e, consequentemente, as discussões com os filhos.
  4. As que promovem habilidades sociais

    Interagir com outras pessoas também é algo que pode ser ensinado. Estimular que irmãos compartilhem brinquedos ou revezem durante os jogos são formas de promover essa habilidade. Limitar o uso das telas e tornar a mesa do jantar um local livre de aparelhos eletrônicos também ajuda na interação social.
  5. As que preparam para o mundo real

    Não é fácil ser adulto e assumir responsabilidades. Por isso, regras que realistas que sejam ensinadas desde quando elas são pequenas, vão prepará-las para aquela fase futura da vida.

    Tarefas domésticas simples, como ajudar com a louça, já podem ser estimuladas desde os primeiros anos de vida. É uma forma de fazer as crianças entenderem que fora de casa não terão os pais para resolver todo e qualquer problema. Gastar dinheiro com sabedoria e economizar também são lições essenciais na vida adulta.

Dicas para criar uma lista de regras domésticas

  • A lista de obrigações pode ser feita por escrito e com os filhos por perto para elaborá-la. Isso estimula as crianças a cumprir os itens estipulados.
  • Lembrar sempre de que dar o exemplo é o melhor método de ensino. Não adianta querer que o filho aprenda a arrumar a própria cama se os pais não fazem isso. Todos na casa devem estar aptos a cumprir a lista de tarefas. Se houver alguma exceção, o ideal é conversar e explicar o porquê.
  • Reconhecer os erros também é uma forma de ensinar lições importantes. Todo mundo erra e as crianças precisam saber disso. Assim como precisam normalizar que pedir desculpas faz parte da vida. Quando alguém descumprir as regras combinadas, o ideal é que haja algum tipo de consequência, pois é assim que, da próxima vez, as pessoas pensarão melhor antes de fazer algo em desacordo com a lista.
  • Repensar e rever as regras à medida que o tempo passa e os filhos crescem, também é fundamental. O mundo está em constante mudança e na casa da gente não é diferente. Ser positivo com relação às novidades é bom pra todo mundo.

semprefamilia

Deixe sua opinião