Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Sociedade

Defender a família é obrigação do chefe de Estado, diz Putin sobre lei que pune propaganda gay

O presidente da Rússia garantiu que a lei não é discriminatória e que seu objetivo é proteger as crianças.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, defendeu a lei que veta a promoção da homossexualidade entre menores de idade no país. Putin falou sobre o assunto na série The Putin Interviews, um documentário em quatro episódios dirigido por Oliver Stone, o premiado diretor de Platoon e As Torres Gêmeas, que estreou em 12 de junho na televisão norte-americana.

“Há uma lei que proíbe a propaganda da homossexualidade dirigida a menores de idade. A lógica dessa lei é dar às crianças a oportunidade de crescer tranquilamente, sem que nada influencie em suas consciências”, explicou Putin. “Uma vez crescido, aí sim pode tomar qualquer decisão sobre organizar sua vida, inclusive a pessoal e sexual. Segundo nossa lei, aos 18 anos você se torna adulto e então já não há nenhuma restrição”.

Rússia bloqueia sites de pornografia e aconselha: busque alguém na vida real

Promulgada em 2013, a lei prevê que pessoas que “promoverem relações sexuais não tradicionais” entre menores de 18 anos podem ser multadas em até 5 mil rublos – o equivalente a 286 reais – ou até presas. Já empresas e escolas podem ser multadas em até 500 mil rublos – cerca de 28 mil reais.

O assunto voltou à tona na semana passada, quando o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos acusou a lei de ser discriminatória e de encorajar a homofobia. Quando a lei foi promulgada, uma pesquisa do instituto Vtsiom mostrou que 88% dos russos aprovavam a proibição da propaganda homossexual e que 54% acreditavam que a homossexualidade devia ser punida. A homossexualidade deixou de ser crime na Rússia em 1993.

 

Obrigação de chefe de Estado

Putin quis deixar claro que não considera que exista discriminação por parte do governo em relação às pessoas homossexuais. “Não temos nenhum tipo de limitação nem perseguição baseadas na sexualidade. Mais: muitos manifestam abertamente a sua orientação sexual não-tradicional e nós continuamos a manter contato com eles”, disse o presidente, de 64 anos.

“Muitas dessas pessoas obtêm bons resultados em suas ocupações. Muitos recebem até mesmo prêmios e medalhas estatais por seus resultados. Eles não têm nenhum tipo de restrição”, asseverou Putin.

Stone então perguntou: “Mesmo no Exército? Quer dizer, se você estivesse em um submarino e tivesse que tomar banho ao lado de um homem que você sabe que é gay, isso seria um problema?” Putin riu e respondeu: “Eu preferiria não tomar banho com ele. Para que provocar? Além disso, sou mestre em judô e sambo [uma arte marcial russa]”, disse, gargalhando.

“Posso afirmar que, como chefe de Estado, considero que minha obrigação é defender os valores tradicionais e familiares”, afirmou o presidente. “Por quê?”, perguntou Stone. “Porque o casamento entre pessoas do mesmo sexo não produz descendência, enquanto nós devemos cuidar da taxa de natalidade do país. Devemos reforçar a família. Porém, isso não significa que haja pessoas que devem ser perseguidas”, respondeu Putin.

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também