Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Pais e filhos

Como reagir a sentimentos negativos em relação à gravidez

Ainda que as mães desejem aproveitar ao máximo a gestação, esse é um tempo cheio de altos e baixos, e é preciso cuidar com os pensamentos negativos que podem aparecer

Para algumas mulheres, a gravidez acaba proporcionando alguns momentos desafiadores. Sejam os enjoos frequentes, os comentários indesejados que se ouve de familiares e até pessoas estranhas, ou a preocupação com o futuro daquele novo ser que está se formando. E ainda que desejem aproveitar ao máximo a gestação, as situações aqui descritas podem fazer com que esse período seja cheio de altos e baixos, e é preciso cuidar com os pensamentos negativos que podem aparecer.

Tenha paciência com você mesmo

Ser mãe é uma grande mudança na vida. E isso vale para as mães de primeira, segunda, terceira, quarta vez. Algumas mulheres conseguem se adaptar facilmente à nova realidade, mas outras passam por um processo bem mais longo e complexo. E isso não depende só dela, mas é afetado também pela cultura familiar, por sua saúde e o apoio que recebe. E não pense que essa demora em se ajustar é uma fraqueza. Entenda que é uma mudança de grandes proporções.

Seja realista em suas expectativas

A gestação em si e o pós-parto são momentos em que as emoções oscilam bastante e os hormônios estão em uma montanha-russa. Nada será como antes. E além disso, evite comparar-se a pessoas próximas que tiveram uma rápida recuperação e adaptação à gravidez e à chegada do bebê. Pode ser que sua mãe, sua melhor amiga ou sua irmã queiram lhe dizer como enfrentar esse momento, mas lembre-se de buscar compreender quem é você e como lida com mudanças, para então organizar sua nova rotina.

Escolha amar

Há mães que sofrem com a depressão pós-parto e outras que levam um período maior para conseguir se relacionar bem com seus bebês, por exemplo. Nesses momentos, as mulheres que passam por isso costumam sentir-se culpadas por não sentirem afeto por seus filhos, então, é preciso lembrar que o amar é uma escolha diária e aquela criança que está ali precisa de você. Amar é se levantar para alimentar o bebê, mesmo cansada, é trocar mais uma fralda quando for necessário, é estar ali para o que der e vier.

 

Com informações de Aleteia

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também