Listamos 7 chaves que podem fazer com que o casal viva bem o casamento, ainda que os problemas apareçam vez ou outra
Ter uma fé é crucial na decisão de manter o casamento a salvo de situações que nós mesmos acabamos criando por egoísmo.| Foto: Bigstock

Viver em harmonia no casamento pode até parecer fácil no começo da vida a dois, mas, se não houver disposição diária do casal, a situação pode desandar e virar um pesadelo. Isso porque, a vida conjugal requer escolhas diárias. É saber que tudo o que um faz impacta diretamente no outro, para o bem ou para o mal.

Siga o Sempre Família no Instagram!

André Cobos, conferencista e mestre em Ciências da Família, e especialista em teologia do corpo, conta em uma masterclass gratuita, sete chaves que podem fazer com que o casal viva bem o casamento, ainda que os problemas apareçam vez ou outra. Para ela, a fé em Deus é ponto crucial nessa decisão de manter o casamento a salvo de situações que nós mesmos acabamos criando por egoísmo. Confira.

  1. Escolha amar

    Quando se escolhe amar apenas uma pessoa no mundo, João Paulo II explica como esse sentimento deve ser: livre, fiel, total e fecundo. Andrea explica que o amor é livre porque ninguém é obrigado a dar ou receber amor e, se uma pessoa se permite fazer isso, é motivo de alegria para ela e para o outro. Ainda, o amor é fiel pois pessoas que se amam estão juntas nos bons e nos maus momentos. Amor é total porque a pessoa se dispõe a dar tudo que é, a abrir o coração, os sonhos e a privacidade para o outro. Por fim, o amor é fecundo, porque no casamento a vida conjugal origina vida biológica.

    Um relacionamento se constrói a partir de decisões, tomadas em conjunto e individualmente. Aqui no Sempre Família também já tratamos desse assunto ao falar sobre decisões inteligentes que fortalecem a relação. Amar o outro e tornar essa relação uma prioridade faz parte do processo.
  2. Escolha se comunicar melhor

    Para qualquer relacionamento, seja de trabalho, de amizade ou o romântico, comunicação é essencial. Um casamento feliz também precisa disso. Assertividade é uma característica importante de quem se comunica bem, porque saber dizer o que sente e saber ouvir o outro é o que faz uma conversa fluir e chegar à solução dos problemas. Também já tratamos de comunicação eficaz aqui no Sempre Família. Confira.
  3. Escolha cuidar e aumentar a intimidade entre conjugal

    A intimidade do casal engloba a vida sexual, a vida espiritual e a amizade. Na medida em que o tempo passa, normalmente o casal se torna mais íntimo. A convivência permite a percepção de pequenos detalhes que revelam os traços mais característicos da personalidade do companheiro. Reprimir a sexualidade não contribui em nada para o conhecimento do outro. Se a entrega é de corpo e alma o desejo de se doar e viver em comunhão é ótimo!

    A intimidade espiritual é o que faz o casal dividir crenças, falar sobre a fé. E alimentar esse sentimento é o que faz as pessoas experimentarem um amor verdadeiro.
  4. Escolha não cair na rotina

    É o que mais acontece entre os casais. A rotina faz parte da vida de todos, mas isso não pode afetar o casamento. São os pequenos detalhes que podem fazer a diferença na vida de quem se ama. Podem ser palavras, gestos, abraços e até um programa a sós com o cônjuge, de vez em quando. Tentar manter viva a mesma emoção do início do relacionamento é o que permite que o casal goste de estar junto em todos os momentos.
  5. Escolham ter um projeto de vida espiritual em comum

    Ter alguém que acredite nas mesmas coisas que você é o que permite um relacionamento mais profundo com Deus. Tenha alguém que te apoie nesse projeto, que caminhe junto até esse objetivo comum. Nesse aspecto a comunicação também é relevante porque é preciso estar claro que esse é um projeto de vida.
  6. Escolha curar suas feridas

    Esperar que outra pessoa preencha um vazio não é bom. É preciso ter em mente que cada um é responsável pela cura dos próprios e traumas e feridas. Com certeza uma ajuda profissional pode ser necessária em diversas situações, mas não se deve esperar que outra pessoa resolva isso por você. Estar bem consigo é estar mais próximo de Deus. É preciso curar as feridas do passado e não exigir do outro algo que ele ou ela não possa dar.
  7. Escolha a paz e não a guerra

    As diferenças entre o casal devem servir de alimento para que a relação seja complementar. Drama não ajuda em nada. É preciso ter sempre claro que o outro não faz o que faz com o intuito de machucar. A relação tem que ser madura a ponto de os envolvidos confiarem de olhos fechados no parceiro.

    O ideal é que o casal se esforce para ficar junto, mas que isso seja algo prazeroso e não um tormento. Quando os conflitos surgirem, pense se você gostaria de ouvir o que diz para o outro. Escolha amar, estar com o outro, crescer junto, viver em paz e não na guerra.
Deixe sua opinião