Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Casamento e Compromisso

As 36 perguntas capazes de fazer um casal se apaixonar em apenas uma conversa

Psicólogo norte-americano teria elaborado a lista ideal de questões para gerar o máximo de intimidade e conhecimento mútuo em apenas 45 minutos

Já imaginou se um cientista tentasse criar em laboratório as condições ideais para que uma pessoa se apaixonasse por outra no menor tempo possível? Pois isso já foi feito, 20 anos atrás, pelo psicólogo Arthur Aron, professor da Universidade de Stony Brook, em Nova York. Tratam-se de 36 perguntas que, em uma conversa a dois, prometem criar o máximo de intimidade e conhecimento mútuo em apenas 45 minutos.

Na verdade, a ideia de Aron – que é casado há 40 anos – era elaborar um método capaz de aproximar duas pessoas quaisquer, não apenas interesses românticos. “A ideia era aproveitar o que sabíamos até o momento sobre como se desenvolveu uma amizade”, disse o psicólogo ao jornal El País. “Buscávamos criar um sentimento de proximidade no menor tempo possível”. O estudo foi publicado em 1997 com o título “A geração experimental de proximidade interpessoal”.

O questionário usa diversos elementos para gerar essa sensação de proximidade. “Por exemplo, o fato de que duas pessoas se abrem de forma gradual. Por isso, as perguntas começam centradas em questões triviais para depois passar a assuntos mais íntimos”, explica Aron. “Outro aspecto do questionário é a importância de ter algo em comum com a outra pessoa, bem como a ideia de que uma delas precisa sentir que a outra gosta dela”.

9 sinais de que sua vida amorosa está passando por uma crise

Em 2015, as perguntas voltaram à tona quando uma colunista do jornal The New York Times, Mandy Len Catron, contou em um texto que resolveu aplicar a técnica. “Era um conhecido da universidade com o qual eu cruzava de vez em quando”, escreveu. “Ficamos duas horas passando o iPhone de um para o outro na mesa, fazendo as perguntas de maneira alternada”.

“Criou-se essa espécie de intimidade acelerada que lembra um acampamento de verão: ficar a noite toda acordada com um novo amigo, contando detalhes sobre nossas vidas”, contou Catron, que no final das perguntas propôs ao seu amigo que ficassem se olhando nos olhos por quatro minutos. Deu certo? Sim: os dois começaram a namorar. “É difícil dar todo o mérito a esse estudo, mas as perguntas nos ofereceram um caminho para uma relação que sentimos como voluntária e livre”, escreveu ela.

Vamos, enfim, às tais perguntas, projetadas para criar mais intimidade entre conhecidos, amigos, namorados ou até mesmo a esposos. Recomenda-se reservar 45 minutos para a conversa, 15 para cada grupo de perguntas. Os participantes leem de forma alternada, em voz alta, cada pergunta, mas ambos respondem a todas.

 

Grupo I

  1. Se pudesse escolher qualquer pessoa no mundo, quem você convidaria para jantar?
  2. Gostaria de ser famoso? De que forma?
  3. Antes de fazer uma ligação telefônica, você ensaia o que vai falar? Por quê?
  4. Para você, como seria um dia perfeito?
  5. Quando foi a última vez que cantou sozinho? E para outra pessoa?
  6. Se pudesse viver até os 90 anos e ter o corpo ou a mente de alguém de 30 durante os últimos 60 anos de sua vida, qual das duas opções escolheria?
  7. Você tem uma intuição secreta sobre como vai morrer?
  8. Diga três coisas que acredita ter em comum com seu interlocutor.
  9. Por quais aspectos de sua vida você se sente mais agradecido?
  10. Se pudesse mudar algo em como foi educado, o que seria?
  11. Use quatro minutos para contar a seu companheiro a história de sua vida com todo o detalhe possível.
  12. Se amanhã você pudesse acordar com uma nova habilidade ou qualidade, qual seria?

 

Grupo II

  1. Se uma bola de cristal pudesse contar a verdade sobre você, sua vida, o futuro ou qualquer outra coisa, o que você lhe perguntaria?
  2. Há algo que há muito tempo deseja fazer? Por que ainda não fez?
  3. Qual é a maior conquista que conseguiu em sua vida?
  4. O que mais valoriza em um amigo?
  5. Qual é sua lembrança mais valiosa?
  6. Qual é sua lembrança mais dolorosa?
  7. Se você soubesse que vai morrer daqui a um ano de maneira repentina, mudaria algo em sua maneira de viver? Por quê?
  8. O que significa a amizade para você?
  9. Que importância o amor e o afeto têm em sua vida?
  10. Compartilhem, de forma alternada, cinco características que consideram positivas em seu companheiro.
  11. Sua família é próxima e carinhosa? Acha que sua infância foi mais feliz que a dos demais?
  12. Como você se sente a respeito de sua relação com a sua mãe?

 

Grupo III

  1. Diga três frases usando o pronome “nós”. Por exemplo, “nós estamos neste lugar sentindo…”
  2. Complete esta frase: “Gostaria de ter alguém com quem compartilhar…”.
  3. Se você fosse se tornar amigo íntimo de seu companheiro, divida com ele algo que seria importante que ele soubesse.
  4. Diga a seu companheiro o que mais gostou nele. Seja muito honesto e diga coisas que não diria a alguém que acaba de conhecer.
  5. Divida com seu interlocutor um momento embaraçoso de sua vida.
  6. Quando foi a última vez que você chorou na frente de alguém? E sozinho?
  7. Conte a seu interlocutor algo que o faz gostar imediatamente dele;
  8. Há algo que seja muito sério e que não se deve fazer piadas a respeito?
  9. Se fosse morrer esta noite sem possibilidade de falar com ninguém, o que você lamentaria não ter dito a uma pessoa? Por que não disse até agora?
  10. Sua casa está pegando fogo com todas suas coisas dentro. Depois de salvar seus entes queridos e seus bichos de estimação, sobra tempo para fazer uma última incursão e salvar um único objeto. Qual escolheria? Por quê?
  11. De todas as pessoas que formam sua família, qual morte seria mais dolorosa para você? Por quê?
  12. Divida um problema pessoal e peça a seu interlocutor que conte como ele ou ela teria agido para solucioná-lo. Pergunte também como ele acha que você se sente em relação ao problema que contou.

 

Com informações de Hacer Familia.

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

 

Leia também