Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

5 dicas para criar um filho otimista

Quando se aprende ainda na infância a ser otimista, a busca pela felicidade na vida adulta se torna mais simples

Certamente você conhece alguém que está sempre motivado, com um sorriso solto e que contagia todos à sua volta, ainda que esteja passando por diversos problemas. E talvez você pense: “Como é que essa pessoa consegue se comportar dessa maneira, mesmo passando por dificuldades?” Pois saiba que a pessoa otimista é assim por seu esforço, mas também pela criação que teve. Muito da visão que ela tem do mundo em que vive, vem de berço, da maneira como seus pais encaravam a vida e do quanto isso o influenciou. E você sabia que os otimistas são muito mais propensos a viver além dos 100 anos?

Todos querem descobrir o caminho da felicidade, mas poucos são aqueles que o encontram. É que a felicidade pode estar nas pequenas vitórias diárias e se não houver uma boa dose de otimismo dentro de você, ela será imperceptível. Por isso, tantos adultos se sentem frustrados ao longo da vida. Se vocês, pais, querem ajudar seus filhos a verem o mundo, no futuro, com os olhos da esperança, comecem já a influenciá-los. Separamos aqui, cinco dicas inspiradas em uma lista de Vicki Glembocki, do site Parents, que podem ser úteis.

1. Pare de reclamar

O pessimismo é um caminho com muitas desvantagens. Quando alguém só reclama, todos se afastam porque podem ser contaminados por pensamentos negativos e frustrações daquela pessoa que só murmura o tempo todo. Quanto mais as crianças que tomam os pais como referência de comportamento. Dizer algo como “Nós nunca chegaremos lá” é característico de um pessimista. Quanto mais você se lamentar sobre problemas financeiros ou sobre dias difíceis no trabalho, mais provável é que seus filhos aprendam a fazer a mesma coisa. Em vez disso, tente falar sobre as coisas que dão certo como “um grande projeto meu foi aprovado no trabalho hoje”. Uma dica: durante um jantar, com a família reunida, sugira que cada um conte a melhor e pior coisa que aconteceu com eles naquele dia. Ao invés de resmungar sobre os problemas, o objetivo é focar no positivo.

2. Ter expectativas em níveis inadequados

Não espere de você além daquilo que pode dar conta. Quando se cria expectativas inatingíveis em determinado momento da vida, frustrar-se será inevitável. Dê um passo de cada vez em busca de seus objetivos e vença uma tarefa de cada vez, celebrando cada vitória. Faça o mesmo com seus filhos, estimulando e valorizando cada atitude tomada por eles. Atribua tarefas diárias como arrumar a cama, organizar a mochila da escola e parabenize cada vez em que eles completarem o que foi pedido. As crianças não desenvolverão uma atitude otimista ao mostrarem seu potencial.  Mas assim como sugerimos a vocês, as expectativas devem estar adequadas à idade delas, para que compreendam como passo a passo elas podem caminhar longe.

3. Encoraje-o e não seja superprotetor

Desencorajá-lo de fazer uma atividade porque ele pode não ser tão habilidoso quanto as outras crianças enfraquece sua confiança o torna pessimista em relação a si mesmo. Permita que ele tenha pequenos momentos de independência, para ver o quando consegue fazer sozinho, deixe que ele sofra algumas quedas na vida para tornar-se mais forte e procure sempre incentivá-lo a seguir em frente, pois dias melhores certamente virão.

Além disso, não seja um pai superprotetor. Quando seu filho está tentando falar uma palavra nova ou demorando muito para encaixar uma peça em um quebra-cabeça, é fácil intervir rapidamente. Mas esse comportamento só reforça o sentimento de que seu pequeno não é capaz de vencer sozinho.

4. Vá à luta com ele

Esteja pronto a enfrentar as batalhas de seu filho com ele. Isso não quer dizer que você precise superprotegê-lo. A ideia é que seu filho possa ver em você alguém a quem recorrer quando não tiver forças para seguir. Quando ele disser que não se sente inteligente, que não consegue realizar determinada tarefas, dê as instruções necessárias para que ele vença essa batalha. Para isso, tente mudar a perspectiva do seu filho: “Sei que você ainda não entende esse assunto, mas com o tempo e mais estudo, sei que compreenderá”. Essa simples frase poderá mudar a chave na mente de seu pequeno e apontar para um caminho de superação.

5. Seja realista na medida certa

Parece estranho sugerir realismo quando se deseja criar uma criança otimista. Mas imagine a seguinte cena: sua família acaba de se mudar e seu filho está triste porque deixou seus amigos para trás. Então você tem a ideia de dizer o quando ele é incrível e especial e que logo fará novos amigos. Parece o certo a se fazer, não é mesmo? Mas e se ele demorar mais tempo do que imaginava para encontrar novas crianças para se relacionar? Talvez ele não se ache mais alguém incrível ou especial. O otimismo, na verdade, requer pensar de forma realista mais do que positivamente. Se ele compreender sua realidades estiver disposto a enfrentar o que virá. terá dimensão dos problemas, mas seguirá em frente.

 

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos  Twitter.

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também