Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Vídeo, Virtudes e Valores

Vídeo sobre exame de DNA viraliza e desmonta preconceitos étnicos

O projeto The DNA Journey examinou o material genético de 67 pessoas para mapear a sua ancestralidade e fez os participantes se surpreenderem.

O site de viagens Momondo produziu um vídeo que tem quebrado preconceitos e mostrado como somos muito mais conectados do que pensamos. Em parceria com a AncestryDNA, o projeto The DNA Journey fez o exame de DNA de 67 pessoas para mapear a sua ancestralidade genética.

Os participantes do vídeo, que já teve mais de 29 milhões de visualizações, são atores e figurantes encontrados através de agências, mas cada um teve seu próprio DNA examinado e suas reações aos resultados são “espontâneas”, disse a companhia ao Today.

No vídeo, alguns dos participantes da experiência demonstram alguns de seus preconceitos antes de terem o DNA examinado. “O que você pode contar que eu já não saiba?”, diz Jay, que diz ter orgulho de ser inglês e admite não gostar de alemães. Depois do teste, porém, ele descobriu que é 55% irlandês, 30% inglês e 5% alemão.

Uma curda, que mantinha antipatia pela Turquia, descobriu ter ancestrais turcos. Ela até mesmo descobriu que um dos participantes na pesquisa era seu primo distante: Waj, que se descobriu descendente de judeus e muçulmanos.

Um jovem da Islândia que dizia ser “100% islandês” descobriu ter ascendência na Europa Oriental, em Portugal, na Espanha, na Itália e na Grécia. Já uma francesa, que dizia não gostar de ingleses, descobriu ser 33% inglesa. “Acho que isso deveria ser obrigatório”, disse ela depois de ver os resultados. “Não haveria extremismo no mundo se as pessoas conhecessem suas raízes dessa maneira”.

4 Comentários
  1. O vídeo é legal, mas é mais uma propaganda do globalismo. Dizer que a moça curda tinha “antipatia” pela Turquia mostra isso. Os curdos lutam pela independência da Turquia, e são reprimidos violentamente. Eles são em grande parte yazidis, e têm uma cultura diferente da Turquia. O oriente médio foi dividido levando em conta território, e não a cultura dos povos. Esse vídeo me lembrou a propaganda da tv sueca, incentivando o genocídio cultural do seu próprio povo, em favor dos estrangeiros. É bom procurar saber o que está por trás desse tipo de campanha.

Leia também