Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
enquete - reduzida
Enquete

Trocar o Dia dos Pais e o Dia das Mães pelo Dia da Família. Você concorda?

A controversa medida vêm sendo adotada por várias escolas, mas muitos pais de alunos desaprovam a mudança

Várias escolas têm substituído o Dia dos Pais e o Dia das Mães pelo Dia da Família. A criação de um dia específico para se lembrar da família toda é uma ótima ideia, mas acabar com qualquer referência ao Dia dos Pais e o Dia das Mães nas atividades escolares é bastante discutível. Dependendo do motivo que leva à adoção da medida, muitas famílias consideram essa troca até desrespeitosa.

Queremos ouvir pais e mães sobre a questão. O que você acha da substituição do Dia dos Pais e do Dia das Mães pelo Dia da Família? Concorda? Discorda? Por que?

Sua ideia vai contribuir na produção de uma reportagem sobre o assunto. Conte-nos sua opinião no campo de comentários (abaixo) ou mande e-mail para leitor@semprefamilia.com.br.

Você também pode compartilhar o post em nossa página no Facebook ou marcar amigos para que participem da conversa.

Contamos com sua contribuição.

 

Cordialmente.
Equipe Sempre Família.

19 Comentários
  1. Sou favoravel à criação do Dia da Família, para que possa acolher diferentes tipos de família, mas não concordo que este dia venha substituir os demais dias em questão. Não creio que o caminho para acolher a minoria seja desfazer a harmonia da maioria. Em outras palavras, existe meios que pode ser bom para todas os lados. Assim como é sofrido para a crianças que não tem um pai participar das homenagens do Dia dos Pais, também será para aquela que quer homenagear seu pai, mas que por não haver mais esse dia, será tolido disso. Se a questão é inclusão, porque falar de exclusão? Que a escola adote os três dias de homenagens e que todas sejam felizes.

  2. Concordo que é impossível haver igualdade entre as pessoas em qualquer espaço social, afinal o gênero humano é diverso, em todas as dimensões. Entretanto estamos falando do ambiente escolar, mas especificamente da escola primária, onde geralmente acontecem as referidas homenagens ao dia das mães e ao dia dos pais. Sem dúvida é maravilhoso celebrar figuras tão ilustres e de tão grande importância na vida de uma criança. Mas e que quando, por alguma razão, essa figura não está presente? Certamente, a razão pela qual uma criança não tem uma mãe ou não tem um pai, ou mesmo nenhum dos dois, não é um motivo banal, como também não é banal o sentimento de angústia, humilhação, tristeza e frustração que elas sofrem, para que uma parcela de coleguinhas e pais vaidosos sintam-se homenageados, durante aquele instante; Sim! Porque a homenagem àquela figura imponente dura apenas instantes, mas a preparação para a tal festa pode durar dias, semanas… E eu pergunto, será que vale o sofrimento de uma criança, uma única que seja, tão impotente, frágil, confusa, pelo orgulho e vaidade de outras, especialmente daqueles que estão sendo os homenageados. Penso que não! Acredito que existem várias maneiras de celebrar o amor, a família, o acolhimento a amizade. Quando uma escola elege datas como Dia das mães, Dia dos pais, deve estar ciente de que muitos ou alguns estão comemorando, enquanto outros, estão chorando, lamentando sua sorte, como é o caso de crianças órfãs, seja por falecimento ou abandono; filhos de casais homoafetivos, ou solteiros etc. Essas crianças não possuem ferramenta para lidar com situações tão adversas ao seu universo infantil. Sendo assim, porque não eleger um dia para celebrar a família, as pessoas queridas, que amam e cuidam dessas crianças, desta forma todos teriam motivos para comemorar!

  3. É impossível haver igualdade para todos, pois todos sendo vertiginosamente diferentes, não se enquadrarão no esquema do que é politicamente correto de todos. Isso sendo considerado, passo a dizer que sempre que formos cobrir alguém, estaremos a descobrir outros tantos, pois nossa manta jamais dará conta de cobrir a todos. Quando alegam que comemorar o Dia dos Pais ou das Mães seria inviável pressupondo que dentro da família “Doriana perfeitinha” nem todos teriam um modelo de pai e de mãe, é no mínimo contraditório. Se nem todos tem aqueles modelo (fato), pode haver quem os tenha, e não considerar isso seria também é uma forma de exclusão. Quanto ao termo família, nem todos tem família (no sentido lato), pois há alunos em situações de risco que vivem em situações diversas, como na Fundação Casa, por exemplo, e não com seus familiares. Há tb os que vivem em orfanatos e lares provisórios, com agregados e famílias provisórias. De certo que todos nasceram de um pai e de uma mãe, mas nem todos possuem essas figuras presentes em suas vidas. Contudo, extinguir o dia destes progenitores do cotidiano escolar sob a alegação daqueles que não mais os possui, seria injusto com aqueles que os possuem. Logo, fica evidente que ao fazer uma escolha e assumir um posição, qualquer que seja, significa na mesma proporção, rejeitar outras escolhas e assim, não assumi-las. Qual seria o papel da escola então, em vista de ser praticamente impossível fazer justiça com todos, abarcando e agradando a todos? Não espero que haja respostas tão exatas e fechadas para questões tão amplas, complexas e abertas como estas. A discussão e o diálogo sobre estes e outros tantos temas polêmicas deve permear todo o processo escolar, pois o que se suscita na escola e pela escola, acaba por influenciar a vida e a sociedade como um todo.

  4. Acho que se queremos a tolerância, não precisamos mudar o que existe é sim mostrar que existem outros modelos. Sempre existirá pai e mãe, mesmo que este não sejam os biológicos. Alguém ocupará e fará esse papel na vida de uma criança.
    Acho que seria muito mais rico se fosse normal no dia dos pais aparecerem duas mães, avós ou seja lá quem ocupe esse espaço. A escola tem um papel fomentador do orgulho da criança de mostrar o seu pai para as outras, e as crianças crescem aprendendo que existem várias formas de amor. Que o pai e mãe podem ter “caras” diferentes, mas que o amor que prevalece. Acabar com o Dia dos pais e das mães não prepara ninguém, perde sim uma grande oportunidade de apresentar as várias formas de família, de amor.

  5. Concordo com boa parte dos posicionamentos já colocados. Destaco o comentário da Viva. É preciso encarar e lidar com as situações diversas. Não se pode confundir o lidar com as diferenças com eliminar as diferenças. O fato de se extinguir o dia dos pais, por exemplo, não irá, de maneira nenhuma ajudar uma criança que porventura não tenha um pai. A postura da escola deveria ser a de auxiliar os familiares dessa criança a como lidar com essa situação – caso fosse necessário. A Christine deu um excelente exemplo de como lidou com uma festa do dia dos pais sendo viúva. O grande perigo é seguir uma lógica de afastar tudo que possa levar a algum tipo de sofrimento. Ora, aprender a lidar com situações difíceis é um dos maiores ensinamentos que se pode dar a uma criança. O depoimento da Michele corrobora com isso. Extinguir o dia dos pais e o dia das mães, sem os quais a criança não existiriria com base em uma definição de família bastante amorfa e fazendo da exceção a regra não me parece adequado. Quando tudo pode ser considerado família, nada é família. Como pai acredito que o dia dos pais é uma excelente oportunidade para celebrar a paternidade, estreitar os laços com os filhos e serve como um momento de balanço tanto para o pai refletir como está exercendo seu papel quanto para os filhos (sobretudo quando maiores) sobre como estão se relacionando com seus pais. É um momento para renovar boas disposições, serve de desculpa para reaproximações, enfim. Discordo da substituição do Dia dos Pais e do Dia das Mães pelo dito Dia da Família (que se baseia, em geral, em uma definição equivocada de família).

  6. se for usar essa lógica vamos acabar com o dia dos namorados para não ‘constranger’ aqueles que não tem namorado, vamos acabar com a páscoa, festa junina e com o natal para não ‘constranger’ os ateus e assim vai… essa lógica perversa acabaria com toda e qualquer tradição saudável porque alguém pode não estar contemplado…isso é ridículo

  7. Não há motivo para acabar com tradições tão importantes como as comemorações do dia dos pais e dia do das mães. Existem situações de exceção aonde uma criança é orfã ou foi abandona por uma dos pais? Sempre existiu. É preciso encará-las e não negá-las. Se a mãe não pode participar, que participe aquela pessoa que faz o papel equivalente ou mais próximo disso na vida da criança. Trata-se de reconhecer e promover carinho e retribuição da criança para com o seu pai e a sua mãe. Não é o caso de negar essa realidade tão ampla como se isso fosse diminuir a dor de uma criança que não tem o seu pai ou a sua mãe junto de si. Eu tiraria imediatamente um filho meu de uma escola que substituísse um desses dias por dia da família. O dia da família pode ser acrescentado, mas não ser o substituto do dia dos pais e nem do dia das mães.

  8. Substituir o dia dos pais e o dia das mães não, agregar ao calendário o dia da família sim. Por que? Porque para a criança pai e mãe são referências individuais importantes, além de ser uma realidade objetiva. Essas referências são importantes na medida em que, através delas a criança pode estabelecer, para si, modelos de comportamentos e identificar-se com os mesmos, inclusive para estabelecer sua identidade sexual. A família é a estrutura onde os papéis de pai e de mãe, esposo e esposa são estabelecidos e vividos entre eles, e onde até o papel dos filhos são estabelecidos e vividos em relação aos papéis de pais e conjuges. A família merece um dia no calendário para ser lembrada mas os dia dos pais e o dia das mães não podem ser esquecidos.

  9. Como pai que, lamentavelmente, um dia coloquei meu filho numa creche digo que existe sim grupos de pessoas que de maneira consciente querem destruir (nada de reformular) o conceito de família. Eles convencem outras pessoas com um discurso Politicamente correto de que é para não constranger crianças que perderam ou não tem contato com seu pai ou sua mãe; crianças criadas pelos avós ou até por duplas de homossexuais. No entanto, não se preocupam em eliminar dias comemorativos tão especiais para crianças que possuem pai e mãe. Por que não acrescentar o dia da família (lembrando que família não é qualquer aglomerado de seres vivos)? Tem muito mais a ser dito.

  10. Acho uma ideia excelente. Famílias são muito mais que pai e mãe. E nas famílias quais as crianças são criadas por avós, ou as monoparentais, as homoafetivas? Acho uma mudança importante, para que o rótulo “mãe” e “pai” deixe de excluir os demais modelos de família, que por vezes são constrangidas por eles. Dia da família é muito mais inclusivo que dia das mães e dia dos pais e a alteração não visa diminuir a importância de pessoas tão importantes em nossa vidas, mas aumentar o número de homenageados que muitas são tão ou mais importantes para a criança.

  11. Os dia dos pais e o dia das mães é especial porque todos sem exeção tem um pai e uma mãe, afinal ninguem é filho de chocadeira, se o pai ou a mãe faleceu, se a criança é adotada, não importa, é um dia para honrar aqueles que geraram a criança! Se os pais foram bons ou ruins, que diferença faz, de qualquer forma eles são o motivo da vida!

  12. Não concordo em trocar o dia dos pais e mães pelo dia da familia, concordo sim em agregar (criar) este dia dando-nos ênfase na base familia.
    Todos nós tivemos um pai e uma mãe que gerou, e este dia nos traz a lembrança de um dia tê-los e isso é bom. Aqueles que já não o têem poderão suprir com avós, avôs, tios, primos que fará o papel de um pai e uma mãe.

  13. Há muitos anos comemora-se o Dia dos Pais e das Mães. Sempre foi assim , e creio que deve continuar assim. Mesmo porque , toda criança tem um pai e uma mãe , que o gerou, e se por acaso ela já tiver perdido um deles, com certeza ficará na memória os tempos vividos , ou mesmo terá uma pessoa da família(avós,tios.primos,irmãos) e amigos que falará sobre seus pais. NINGUÉM ocupa o lugar dos pais.Mesmo se a criança for adotada , ela terá um Pai e uma Mãe que irá amá-la incondicionalmente !! Afinal , filho é filho , seja biológico ou do coração. E devemos sim, homenagear aqueles que nos deu a vida !!

  14. Fiquei viúva quando o meu filho tinha apenas um ano e meio de vida. Ainda assim sou à favor das escolas comemorarem o dia das mães e dos pais. É uma forma de mostrar as crianças a importância desse casal que foi o responsável pelo nascimento dela. De homenagear. De interagir. Da criança se sentir importante na vida daquele pai e daquela mãe. No dia dos pais na escola do meu filho era difícil para ele e para mim. Mas fazíamos as atividades e os presentinhos ele me dava. Teve um ano que o dever era fazer uma linha do tempo dele com o pai. Caprichei com ele e transformamos em uma homenagem ao pai dele. Colamos os cartões que meu marido me escreveu durante a gravidez falando do bebê que estava por vir e o primeiro ano de fotos e foi importante para o meu filho. Esses eventos de pai e mãe que participamos na escola são muito importantes para que a importância da família seja lembrada numa sociedade que quer destrui-la a todo custo.

Leia também