viuvez

O difícil tempo da

“Deparar-se com a  solidão depois de anos  de convivência pode  parecer assustador"

Perder alguém com quem se criou vínculos afetivos fortes é experimentar “algo radicalmente humano”.

Cada pessoa lida com o luto de uma forma, mas é preciso vivê-lo.

Viver o luto

Para quem se torna viúvo ainda jovem e para aqueles que perdem seu companheiro já no final da vida

HÁ DIFERENÇAS

Viuvez precoce

Pode ser um choque para quem se casou há pouco tempo e pode ter filhos pequenos, adolescentes ou jovens.

Além da dor

Quem fica viúvo precocemente terá de se preocupar com a criação dos filhos, o sustento e a organização da vida, e sua saúde física e mental.

Viuvez tardia

É preciso despedir-se de alguém com quem se compartilhou a vida toda. 

Na velhice os filhos já estão criados, já têm suas próprias famílias e, por isso, o sentimento de solidão pode ser maior.

Solidão

É importante retomar gradualmente a vida, buscando suporte em amigos, familiares, comunidade religiosa.

SEM ESQUECER

o enlutado precisa se sentir amado por meio de pequenos gestos e pequenas disposições de se fazer presente.

EM FAMÍLIA