Um novo estudo sobre a vacina para coronavírus (Covid-19) de Oxford trouxe resultados bastante animadores. Será que estamos próximos da imunidade? Entenda com a gente em um minuto.

O estudo foi publicado nesta semana na revista científica The Lancet e traz os resultados das duas primeiras fases da pesquisa. Segundo cientistas da Universidade de Oxford, os dados preliminares mostram que a vacina é segura e eficaz.

Ao todo, 1077 pessoas receberam a vacina nessas duas etapas do estudo e os pesquisadores identificaram que houve uma produção de anticorpos e células T entre os voluntários em um período de até 56 dias da aplicação.

Além disso, as respostas podem ser ainda melhores com uma segunda dose, um segundo grupo analisado revelou.

O estudo também analisou possíveis reações adversas, mas não identificou nenhum efeito mais sério. Cansaço e dores de cabeça foram os mais comuns.

Com isso, a pesquisa avança para a sua terceira fase, que vai determinar se ela realmente protege as pessoas da Covid-19.

E a boa notícia para nós é que o Brasil é parceiro da Universidade de Oxford no desenvolvimento dessa vacina para coronavírus. A Universidades Federal de São Paulo está trabalhando em conjunto com os pesquisadores britânicos e 5 mil brasileiros já são voluntários nos testes.

Se tudo correr bem, a expectativa é que essa vacina tenha seu registro liberado pelos órgãos de saúde em junho do ano que vem.

Michael Ryan, diretor-executivo da OMS (Organização Mundial da Saúde), afirmou que é uma boa notícia ver publicados dados de estudos sobre as vacinas e o trabalho de Oxford é bem-vindo. “É um bom resultado, mas ainda se refere a adultos saudáveis, em condições controladas. Temos que passar a uma escala maior, para dar novos passos no processo de obter uma vacina.”

>> Brasil é parceiro de vacina para coronavírus da China

Conteúdo editado por:Rodrigo Fernandes

semprefamilia

Deixe sua opinião