Vacinas contra a Covid-19

Vacina da Pfizer/BioNTech é 93% eficaz após duas semanas com apenas uma dose

    • Equipe Sempre Família com Estadão Conteúdo
    • 18/02/2021 17:30
    A farmacêutica disse que um regime diferente de uso ainda não foi avaliado e a decisão estaria com as autoridades de saúde
    A farmacêutica disse que um regime diferente de uso ainda não foi avaliado e a decisão estaria com as autoridades de saúde| Foto: JUSTIN TALLIS/AFP

    Em uma carta publicada pela revista científica The New England Journal of Medicine na última quarta-feira (17), dois pesquisadores do Canadá destacam que a segunda dose da vacina da Pfizer/BioNTech poderia ser postergada, visto que a eficácia de apenas uma dose, depois de duas semanas, chegava a quase 93% (92,6%).

    Para chegar a essa conclusão, os autores Danuta Skowronski e Gaston De Serres basearam suas análises nos documentos que foram submetidos pelas desenvolvedoras ao FDA, órgão regulatório norte-americano similar à Anvisa.

    A farmacêutica, no entanto, disse que um regime diferente de uso da vacina ainda não foi avaliado, e essa decisão estaria com as autoridades de saúde. Os autores da carta destacam, ainda, que não se sabe ao certo a duração da proteção com uma única dose.

    Siga o Sempre Família no Instagram!

    Variantes

    Na corrida pelos imunizantes, um estudo de laboratório sugere que a variante sul-africana do coronavírus pode reduzir a proteção de anticorpos das vacinas da Pfizer e BioNTech em dois terços. Segundo a pesquisa, não está claro se a injeção será eficaz contra a mutação.

    O estudo apontou que a vacina é capaz de neutralizar o vírus, mas ainda não há evidências de testes em pessoas de que a variante reduz a proteção do imunizante. Ainda assim, os laboratórios estão fazendo investimentos e conversando com reguladores sobre o desenvolvimento de uma versão atualizada de sua vacina ou uma injeção de reforço, se necessário, relata a agência Reuters.

    Enquanto isso, cientistas sul-africanos se reunirão nesta quinta-feira, 18, para discutir uma pesquisa que apontou que a vacina Oxford/AstraZeneca oferece apenas 10% de proteção contra a variante da África do Sul.

    Deixe sua opinião

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.