Vacinas contra a Covid-19

Pfizer e BioNTech fazem estudo para avaliar vacina contra Covid-19 em grávidas

    • Equipe Sempre Família com Estadão Conteúdo
    • 23/02/2021 09:00
    Estudo clínico vai avaliar 4 mil gestantes distribuídas em diferentes países, inclusive no Brasil
    Estudo clínico vai avaliar 4 mil gestantes distribuídas em diferentes países, inclusive no Brasil| Foto: Bigstock

    As farmacêuticas Pfizer e a BioNTech informaram, em comunicado divulgado no site, o início de um estudo clínico global para avaliar a vacina contra a Covid-19 em mulheres grávidas. Os estudos de fases 2 e 3 envolverão aproximadamente 4 mil gestantes saudáveis em diferentes países, como Estados Unidos, Canadá, Argentina, Brasil, Chile, Moçambique, África do Sul, Reino Unido e Espanha.

    As participantes terão 18 anos ou mais, e serão vacinadas entre a 24ª e 34ª semana de gestação. Cada grávida irá participar da pesquisa por aproximadamente sete a 10 meses, dependendo de qual grupo ela for colocada: o que receberá a vacina em teste ou o que receberá a substância placebo.

    Depois do nascimento dos bebês, as mulheres saberão em quais grupos estavam e, caso estivessem recebendo o placebo, receberão a vacina. O objetivo do estudo, segundo as farmacêuticas, é avaliar a segurança, tolerância e imunogenicidade das duas doses da vacina BNT162b2, administradas com 21 dias de intervalo.

    Além disso, a pesquisa vai avaliar também a segurança dos bebês cujas mães forem vacinadas, e a transferências de anticorpos protetores. Os bebês serão monitorados até os seis meses de idade.

    "Mulheres grávidas têm um risco aumentado de complicações e de desenvolver uma Covid-19 mais severa, e por isso é crítico desenvolvermos uma vacina que seja segura e eficaz para essa população. Nós estamos profundamente agradecidos pelas voluntárias que participarão do estudo clínico, e pelos pesquisadores que vão liderar esse trabalho", disse William Gruber, vice-presidente sênior de Pesquisa Clínica e Desenvolvimento de Vacinas da Pfizer.

    Crianças e jovens

    As empresas dizem também que planejam começar nos próximos dois meses estudos adicionais sobre a vacina contra o novo coronavírus em crianças de 5 a 11 anos. Mais para o fim de 2021, estudos clínicos com crianças menores de 5 anos também devem ser conduzidos, segundo as farmacêuticas.

    A avaliação da vacina em jovens entre 12 e 15 anos já está na fase 3. Dados mais aprofundados sobre esse grupo deverão ser divulgados e submetidos às autoridades de saúde até junho. Há ainda a expectativa de testes clínicos da vacina em pessoas com problemas no sistema imunológico.

    Deixe sua opinião

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.