Exame

Como funciona o teste para o novo coronavírus

Sem exame de sangue, diagnóstico é indicado apenas para quem tem a epidemiologia do Covid-19; tem resultado rápido e auxiliar o paciente a ter orientações mais específicas

  • PorAdriano Justino
  • 13/03/2020 20:46
Exame covid-19
Exame covid-19| Foto: Bigstock

O exame que diagnostica o Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, não é indicado para todo mundo. Por enquanto, segundo Myrna Campagnoli, médica endócrino-pediatra e diretora médica do Frischmann Aisengart, laboratório que integra a rede Dasa e que oferece o exame na rede privada (a rede pública já faz o exame). Ela acredita que em pouco tempo isso irá mudar.

Hoje, é preciso que o paciente tenha os seguintes critérios para que o exame possa ser solicitado por um médico:

  • Pessoa deve ter vindo de fora do país;
  • Pessoa deve ter tido contato com alguém sabidamente positivo para o novo coronavírus;
  • Pessoa deve manifestar a epidemiologia.

"São sinais e sintomas de uma gripe, que não são específicos: febre, dor de cabeça, coriza e tosse. Só assim, hoje, o exame pode ser solicitado pelo médico", diz ela, que crê que mais para frente, com a transmissão dentro da comunidade, esse protocolo talvez se altere e bastem sintomas gripais para o exame seja pedido.

Como o exame funciona?

Ao contrário do que possa parecer, não é um exame de sangue que faz o diagnóstico. O teste para o novo coronavírus é feito a partir do recolhimento de secreções da região da nasofaringe e da orofaringe.

Para isso, um bastonete (swab) é introduzido no nariz e outro na garganta e ficam umedecidos com a secreção. Esse material é analisado em teste bem específico para a presença de vírus através de metodologia PCR, que identifica o material genético do vírus, o seu RNA.

O resultado do exame sai em 24 horas, mas o volume muito grande de solicitações atuais tem levado o prazo para 48 horas, segundo a médica.

"O exame hoje não é coberto por plano, e tem custo de R$ 280. Ontem mesmo a Organização Mundial de Saúde trouxe a questão de planos negociarem a cobertura desse exame e acredito que em um período de 10 dias os convênios devam começar a cobrir", diz ela.  

Nesta terça (10), o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, anunciou que os planos de saúde serão obrigados a incluírem o exame de diagnóstico do novo coronavírus no rol de cobertura. Com relação ao tratamento, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) reforça que os pacientes diagnosticados possuem por direito essa cobertura.

Positivo, ou não

Não existe falso positivo para o exame do novo coronavírus. Porém, segundo Myrna Campagnoli, se o resultado der negativo, isso não garante a não infecção, pois o diagnóstico pode mudar entre 48 e 72 horas. "Isso acontece porque a pessoa pode não estar ainda em um período de multiplicação viral, ou seja, pode ser portador do vírus, mas sem desenvolver a doença. Quando a pessoa fica gripada e produz secreção, há a proliferação do vírus e pode ser identificado", diz ela.

Segundo a médica, o alerta para a população do Sul do Brasil fica para o mês de abril, pelo aparecimento de casos de influenza, que devem se confundir com os casos do Covid-19.

"Hoje muitos médicos têm solicitado exames casados, para fazer um painel de vírus respiratórios, a partir de um mesmo swab coletado. Se o coronavírus deu negativo, ainda há o vírus sincicial respiratório (VSR), a influenza e o rinovírus, da gripe comum", diz ela.

O tratamento muda? Segundo a diretora médica do laboratório Frischmann Aisengart, saber qual é o vírus responsável pela infecção não modifica o tratamento, pois que não se diferenciam, mas altera as orientações ao paciente.

"O rinovírus, a gripe simples, dura de 3 a 5 dias sem colocar em risco as pessoas da família, mas a evolução pode ser grave se a infecção for transmitida para idosos (novo coronavírus) e idosos, mas principalmente bebês e gestantes (influenza). Então o ganho é nas orientações ao paciente", diz ela, que assinala que as coletas de material para exame têm sido feitas em domicílio, justamente para evitar uma possível disseminação do novo vírus.

Deixe sua opinião

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.