Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.
Saúde

Quais os 10 piores alimentos para crianças?

Conheça os 10 alimentos que mais fazem mal às crianças

Nós já mostramos aqui que os índices de obesidade e doenças relacionadas à má alimentação estão chegando a números muito altos. Hoje nós vamos mostrar uma lista com os 10 piores alimentos que você pode oferecer a seu filho.

De acordo com Flávia da Silva, professora do curso de Nutrição da Faculdade Anhanguera de Niterói, os hábitos alimentares saudáveis são adquiridos nos primeiros anos de vida. “Como hábito é definido como ato de repetição, aconselhamos iniciar a alimentação complementar (a partir do 6.º mês de vida) estimulando o consumo de frutas e legumes e manter esse estímulo após o primeiro ano de vida”, conta Flavia.

O problema é que muitos pais, diante da recusa do filho em se alimentar, trocam alimentos saudáveis por alimentos de melhor aceitação pelas crianças, que normalmente são calóricos (biscoitos, sucos industrializados etc.). Ocorre então a desconstrução dos hábitos. “Estudos mostram que, para definirmos que uma criança não gosta de determinado alimento, ela precisa ter experimentado em torno de 8 a 10 vezes em momentos distintos. O exemplo também é importante. Consumir as refeições à mesa e compor as refeições dos pais com legumes, verduras e frutas é imprescindível para estimular a criança”, finaliza Flavia, que lista aqui os 10 piores alimentos que você pode oferecer ao seu filho. Confira: 

  1. Refrigerante – Rico em açúcar, favorece o risco do desenvolvimento da obesidade desde a infância e de cáries. Possui altos teores de sódio e, aqueles à base de cola, excesso de fósforo (ácido fosfórico), fatos que podem diminuir o aproveitamento do mineral cálcio pelo organismo e/ou proporcionar a perda de cálcio óssea.
  2. Suco de soja – Rico em açúcar e fitoestrôgenos (isoflavonas), que possuem atividades semelhantes a hormônios sexuais femininos, podendo aumentar o risco de alterações hormonais precoces.
  3. Sucos industrializados (pó, néctar, garrafa) – Ricos em açúcares e aditivos (corantes, adoçantes, etc.). Aumentam o risco de obesidade e alergias alimentares.
  4. Embutidos – Ricos em sódio, gordura e nitratos. Aumentam o risco do desenvolvimento de hipertensão arterial e de cânceres.
  5. Biscoitos recheados – Ricos em açúcares e gordura. Aumenta o risco de obesidade e doenças crônicas não transmissíveis associadas (diabetes, cânceres, etc.).
  6. Biscoitos salgadinhos – Ricos em sódio aumentam o risco de hipertensão e perda de cálcio no organismo.
  7. Balas – Ricas em açúcares e corantes. Aumenta o risco do desenvolvimento de cáries, alergias e obesidade.
  8. Salgados – Ricos em gordura e sódio podendo levar ao risco do desenvolvimento de obesidade, hipertensão e alterações de colesterol.
  9. Gelatinas industrializadas – Ricos em corantes, açúcares e algumas versões adoçantes. Aumenta o risco do desenvolvimento de alergias e obesidade.
  10. Frituras em geral – Ricos em gorduras podendo favorecer o desenvolvimento de obesidade e alterações de colesterol.
Leia também