Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

Talvez seu filho pequeno esteja se transformando em uma bomba relógio

Quando a criança não sabe lidar com a raiva, a compreensão dos pais e a ajuda profissional são fundamentais

Todo mundo sente raiva um dia. Ela é uma emoção normal e até saudável em algumas ocasiões. Mas quando se torna um sentimento constante é preciso cuidar. E é justamente isso que acontece com algumas crianças: elas sentem raiva quase que o tempo todo.

Esse comportamento surge devido a um conjunto de fatores. São sentimentos não resolvidos como tristeza relacionada ao divórcio dos pais, a perda de uma pessoa querida ou ainda um trauma podem levar à raiva profunda. E se para os adultos enfrentar esse sentimento já é complicado, imagina como é para os pequenos que ainda estão formando seu caráter, construindo suas relações sociais e aprendendo a lidar com todo tipo de emoção.

Como ajudar um filho adolescente a lidar com seus sentimentos

Nesse momento, a compreensão dos pais e a ajuda profissional são fundamentais. Isso porque, essa mudança de temperamento pode ser estressante para toda a família e se os pais, com carinho e amor, não descobrirem a raiz do problema, correm o sério risco de criarem uma criança irritadiça e que no futuro terá problemas de relacionamento.

E como saber se seu filho está se transformando em uma bomba relógio? Abaixo trazemos alguns comportamentos a serem observados por mães e pais e que foram listados recentemente pela psicoterapeuta Amy Morin, no site Verywell Family.

1. As explosões de raiva têm interferido nos relacionamentos dele

Os conflitos entre irmãos são normais. Porém, se as explosões de raiva de seu filho o impedem de manter amizades ou interferem em sua capacidade de desenvolver relacionamentos saudáveis ​​com os membros da família e colegas de escola, resolva o problema o mais rápido possível. Do contrário, ele pode ter dificuldades em se relacionar no longo prazo.

2. O comportamento do seu filho perturba a vida em família

Se suas atividades em família são interrompidas por causa da raiva de seu filho ( ou de um deles), isso não é saudável para o ambiente em que vivem. Ignorar o que ele faz ou dar aquilo que ele deseja para evitar que ele mantenha o mau comportamento podem ser soluções temporárias que levarão a mais problemas no longo prazo. Seu filho pode se tornar hostil e dependendo da repercussão das atitudes de seu pequeno, outros membros da família podem ficar ressentidos.

3. Seu filho usa a violência como ferramenta para resolver conflitos

Normalmente uma criança com raiva se torna agressiva e essa, em muitas das vezes, se torna a primeira linha de defesa dela. A violência jamais deve ser considerada durante um conflito e não deve se tornar algo normal na vida de seu filho. Às vezes, o ensino de novas habilidades pode ajudar a criança a aprender que um comportamento agressivo não é necessário.

4. Ele faz birras comuns a outras idades de desenvolvimento 

Embora seja normal para uma criança de dois anos se jogar no chão quando está bravo, isso não deve  ser um comportamento comum para alguém com oito anos. As birras devem diminuir em frequência e intensidade à medida que seu filho amadurece. Se elas parecem piorar, é um sinal de alerta de que ele está tendo dificuldade para regular suas emoções. Nesse caso, seu pequeno provavelmente precisará de ajuda para expressar seus sentimentos de maneira apropriada à idade.

5. Seu filho não tolera a frustração

À medida que as crianças amadurecem, elas devem desenvolver a capacidade de tolerar atividades frustrantes. Se seu filho de sete anos jogar seus brinquedos ou seu filho de nove anos amassar os papeis toda vez que cometer um erro na lição de casa, ele poderá precisar de ajuda para aumentar sua tolerância. Portanto, se tudo isso estiver acontecendo, considere obter ajuda profissional. Um terapeuta poderá ajudá-lo a ensinar estratégias de controle da raiva.

***

Recomendamos também:

***

Acompanhe-nos nas redes sociais: Facebook Twitter | YouTube

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também