Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Religião

Cristãos perseguidos arriscam a vida para traduzir a Bíblia em sua própria língua

Uma equipe de tradutores está capacitando nativos a tornar mais acessíveis os textos bíblicos em áreas hostis ao cristianismo

Usando uma nova estratégia chamada MAST (Mobilized Assistance Supporting Translation), a Wycliffe Association, uma associação evangélica de tradutores, está treinando habitantes locais de áreas de risco para que traduzam a Bíblia em comunidades onde há perseguição aos cristãos.

“Nossa estratégia MAST acelera a tradução da Bíblia em um nível muito além do que poderíamos imaginar há poucos anos”, disse Bruce Smith, presidente e CEO da associação. “Não se trata de ocidentais indo a áreas remotas – são nativos sendo equipados para traduzir eles mesmos a Palavra de Deus.”

O MAST reduz significativamente o tempo que se leva na tradução porque trabalha com a tradução simultânea de diferentes livros da Bíblia.

“Usar pessoas nativas como tradutores já teve um impacto tremendo”, disse Smith. “Cria imediatamente autonomia para a igreja local. Eles passam a ver isso como algo em que estão engajados e não como o trabalho de estrangeiros. Estão engajados em cada estágio do processo, escolhem o ritmo, escolhem como fazer.”

Devido a severas perseguições nas regiões em que a associação opera, seus agentes não podem permanecer em cada área por longos períodos de tempo.

“Sim, é perigoso”, conta Smith. “Mas há muitas pessoas que nunca viram a Palavra de Deus em sua própria língua.”

A procura por traduções da Bíblia em línguas nativas partiu das próprias igrejas locais. A perseguição fez com que tradutores da Bíblia fossem compelidos a fugir ou a suspender seu trabalho por segurança. Dependendo do país, as pessoas enfrentam desde “perseguição pessoal a perseguição estrutural”, diz Smith.

“Muitos foram presos e alguns torturados. Um foi morto. Outros estão trabalhando cuidadosamente e silenciosamente para evitar antagonismos diretos.”

A organização vai equipar tradutores nativos com tecnologia que os auxilie a trabalhar secretamente e de forma colaborativa, garantindo máxima rapidez e segurança na tradução.

Em um país do Sudeste Asiático, cujo nome não pode ser mencionado por razões de segurança, uma dúzia de tradutores trabalhando por duas semanas foi capaz de traduzir dezoito livros. No sul da Ásia, 29 tradutores conseguiram traduzir 76% do Novo Testamento em apenas quatro dias.

A associação está agora tentando levantar 400 mil dólares para lançar 80 projetos de tradução em áreas vulneráveis do mundo. O grupo planeja iniciar os dez primeiros nas próximas semanas.

 

Colaborou: Felipe Koller

Com informações de Christian Today.

Leia também