Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.
Entrevista, Saúde

Conheça medidas que podem salvar a vida de um bebê

Para trazer algumas orientações a fim de evitar tragédias num caso de asfixia, conversamos com a socorrista e fisioterapeuta ergonomista Thaise Novaes Glaser, que trabalha como instrutora de primeiros socorros e suporte básico de vida

A asfixia é a primeira causa de morte, entre os acidentes, de crianças de até um ano no Brasil. Causada pela insuficiência de oxigenação no organismo, ela pode ser consequência de vários fatores, sendo o principal deles a obstrução mecânica de vias aéreas (quando o bebê se engasga com líquidos, alimentos ou pequenos objetos).

Para trazer algumas orientações a fim de evitar tragédias num caso de asfixia, conversamos com a socorrista e fisioterapeuta ergonomista Thaise Novaes Glaser, que trabalha como instrutora de primeiros socorros e suporte básico de vida. “Quando os pais estão preparados e sabem como agir, um atendimento imediato e correto pode favorecer em até 80% a sobrevida do bebê”, afirma Thaise.

Por que o engasgo acontece?

O engasgamento consiste no bloqueio (completo ou parcial) de vias aéreas e em qualquer falha na comunicação de elevação ou abaixamento da epiglote, que serve como uma “porta” que se movimenta para permitir a passagem de ar para os pulmões ou de alimentos para o esôfago. Outra forma de engasgamento é por refluxo do leite, comum também para os bebês que não arrotam após mamar.

Como evitar?

A melhor forma de evitar o engasgamento com alimentos ou objetos pequenos é a prevenção. Cortar bem os alimentos para reduzir seu tamanho e não deixar objetos pequenos ao alcance dos bebês. Quanto ao engasgamento por leite, o ideal é colocar o bebê na posição de arrotar após a mamada, deixando-o de 5 a 10 minutos nesta posição ou até que o ar saia pela boca do bebê.

Como agir?

A insuficiência de oxigenação pode ter consequências graves, como a parada respiratória que pode evoluir para uma parada cardíaca. A cada minuto em parada, uma pessoa pode perder até 10% da sua capacidade vital. O cérebro também sofre com a falta de oxigenação e, quanto mais tempo exposto a esse fator, mais chances de apresentar danos cerebrais. Diante disso, a aplicação de manobras de desobstrução realizadas de forma imediata e eficaz pode fazer toda a diferença para a vida do bebê. É importante lembrar que as manobras de desobstrução iniciadas pelos pais são fundamentais, mas não substituem o atendimento médico especializado.

 

Após identificar o engasgamento, inicie a manobra de desobstrução para bebês:

  • Bigstock.
    Bigstock.

    Coloque o bebê de bruços em cima do seu antebraço [como na foto no topo desta reportagem], com a cabeça mais baixa que o corpo, usando sua mão para sustentar a cabeça do bebê (use sua coxa como apoio).

  • Dê 5 batidas com o “calcanhar da mão” na região entre as escápulas.
  • Vire o bebê de frente para você (mantendo a cabeça mais baixa que o corpo) e com dois dedos faça 5 compressões no “osso do peito” ou região entre os mamilos.
  • Este ciclo deve ser repetido até que o objeto ou alimento seja expelido e o bebê volte a respirar ou até que chegue o serviço médico especializado. Nesses casos o maior inimigo é o tempo.

O momento de pedir ajuda

Além de chamar ajuda especializada imediatamente, manter a calma – por mais assustadora que seja a situação – é fundamental. Os pais precisam estar calmos e centrados, para identificar os sintomas e executar as manobras de desobstrução de forma adequada e eficaz.

“Quando os pais estão preparados e sabem como agir, um atendimento imediato e correto pode favorecer em até 80% a sobrevida do bebê.”

Assim que o bebê apresentar sinais de engasgamento (dificuldade para respirar, choro fraco, tosse fraca, coloração da pele vermelha que pode mudar e ficar roxa), os pais devem pedir ajuda imediatamente no 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu). Enquanto o serviço especializado está a caminho da ocorrência, os pais podem e devem iniciar as manobras de desobstrução. Conforme a gravidade do quadro, o bebê pode precisar de um suporte avançado e por isso é tão importante que o serviço especializado seja chamado.

Prevenção

Primeiro conheça a importância desse tipo de urgência. “Se formos perguntar para um grupo de pais e mães se seus filhos já deram ‘sustos’ devido a engasgamento com leite, alimentos ou brinquedos, praticamente 100% vão responder que sim. Portanto, além de adotar meios de prevenção, os pais e os responsáveis devem buscar orientação profissional através de palestras e treinamentos especializados em primeiros socorros para atender crianças e bebês.”

Busque orientação

“A busca em livros e internet favorece este tipo de acesso e orientação. Mas é importante tomar cuidado quanto à fonte e data dos textos. A área da saúde tem eventuais variações de diretrizes e protocolos, que precisam ser constantemente atualizados, interpretados e aplicados da maneira correta. ”

Mais informações: contato pelo e-mail contato.sbvtraining@gmail.com para saber sobre palestras de primeiros socorros específicas para atender gestantes, mães e pais de Curitiba e Região Metropolitana.

1 Comentário
  1. Parabéns Thaise pela matério, muito importante e esclarecedora. Nós socorristas do SAMU, sabemos o quanto importante é esse primeiro atendimento, até a chegada de nossas equipes, muitas vezes quando os pais, acompanhantes e cuidadores estão preparados e calmos, são eles que realmente salvam a vida de quem está necessitando naquele momento, e nós só chegamos para ver de está tudo bem, e levar a criança para um periodo de observação com um médico especialista, para saber se houve algum dano causado pelo tempo que as vias aéreas ficaram obstruídas. Continue com esse belíssimo trabalho, que muitas vidas serão salvas.

Leia também