Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

Como escolher o animal de estimação adequado para o seu filho

Cães? Gatos? Pássaros? Cada espécie tem suas necessidades e trazem benefícios distintos à rotina da família

Pretende comprar um animal de estimação para o seu filho? Então, fique atento às necessidades e características de cada espécie.

Cães

Fiel, protetor, carinhoso, inteligente, obediente. Se você for comprar um cachorro para o seu filho, procure um filhote que tenha estado com sua mãe pelo menos por oito semanas. O Sempre Família já publicou uma lista com as raças de cães mais adequadas para conviver com crianças. Confira lá.

Cuidados: comem uma ou duas vezes ao dia e devem ter água fresca sempre à disposição. Precisam de tratamento contra pulgas com frequência, além de tosas e escovações no caso dos mais peludos. Se não houver um grande quintal na residência, passeios diários são essenciais. Não esqueça também das vacinas, especialmente contra raiva.

Gatos

Muitos especialistas alertam os pais que gatos podem não ser, a princípio, o companheiro ideal para uma criança, porque tendem a arranhar e são muito independentes. Ainda assim, não é preciso descartar a possibilidade: se você escolher um filhotinho de dois ou três meses, que foi criado pela mãe (órfãos e abandonados são mais hostis) e que já tenha tido contato com pessoas, ele certamente vai se adaptar à família. O gato mais aconselhado pelos especialistas é o persa; a raça menos recomendada é o siamês, por ser muito tímido.

Cuidados: é preciso deixar comida e água fresca sempre no mesmo lugar, escovar o pelo e trocar diariamente a areia da caixinha. Fique de olho na agenda de vacinas e produtos contra parasitas a cada seis meses. Machos castrados tendem a ser mais tranquilos, caseiros e carinhosos.

Peixes para os inquietos

Seus movimentos calmos são um relaxante perfeito para as crianças serelepes. Além disso, são ótimos para desenvolver a capacidade de observação e atenção dos pequenos. O inconveniente é que conservar e manter um aquário é uma tarefa complicada, que não pode ser delegada a crianças menores de sete anos.

Cuidados: dar o alimento diariamente e aprender a limpar o aquário.

Pássaros e periquitos

As aves requerem pouquíssimos cuidados. Se você der um pássaro ao seu filho, ele poderá tomar conta dele, o que o fará mais responsável, detalhista e atento com todos. Se for um papagaio, o desejo de ensiná-lo a falar aumentará a paciência da criança. É importante destacar, contudo, que manter um pássaro preso numa gaiola é algo que incomoda pessoas muito sensíveis, que tendem a ver a prática como desnecessária e abusiva.

Cuidados: alimentá-los e limpar a gaiola diariamente, deixando água fresca à disposição. Só precisam de veterinário quando doentes.

Coelhos, chinchilas e hamsters

São carinhosos e fofinhos, fazem muita companhia e ajudam as crianças a exteriorizar seus afetos e superar os seus medos, além de desenvolver a responsabilidade e a capacidade de levar em conta os sentimentos e as necessidades alheias. Os mais recomendáveis são os porquinhos-da-índia (chinchilas), que nunca mordem e são bem maiores que os hamsters. Coelhos requerem mais cuidado nos primeiros dias, pois demoram para se acostumar à casa e podem morder.

Cuidados: é preciso trocar a areia da gaiola diariamente, dar ração, frutas e verduras e levá-los ao veterinário umas duas vezes por ano. Convém tirá-los da gaiola de vez em quando, para se exercitarem mais e serem mais sociáveis.

Tartarugas

Como todo réptil, não aparentam ser carinhosas, mas conseguem reconhecer os donos. As crianças adoram observar os seus movimentos, o que favorece a sua capacidade de concentração. Espere que o seu filho tenha ao menos cinco anos para lhe comprar uma, porque são animais muito frágeis.

Cuidados: comem ração e é preciso trocar a água todos os dias. Quando pequenas, precisam tomar pastilhas de cálcio para endurecer o casco.

 

Colaborou Felipe Koller

Com informações de Crecer Feliz

3 Comentários
Leia também