Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Pais e filhos

Choro de bebês tem sotaque, dizem cientistas

Pesquisa conclui que idioma local interfere no tipo de choro que uma criança desenvolve

Um estudo na revista científica Current Biology mostrou que bebês de diferentes países têm “sotaques” distintos quando choram. O estudo sugere que os bebês podem ouvir mais atentamente a entonação e a “melodia” da fala de suas mães do que nós pensamos. Bebês ainda no ventre podem “memorizar estímulos auditivos vindos do exterior a partir do último trimestre da gestação”, de modo que, assim que nascem, conseguem reconhecer e emular a voz de suas mães.

Os cientistas gravaram e ouviram centenas de choros de trinta recém-nascidos franceses e trinta alemães. Eles mediram a intensidade e a melodia dos choros e viram que cada grupo tinha uma configuração diferente, enquanto padrões de choros dentro dos grupos eram “significativamente correspondentes”. Os bebês franceses tendiam a uma “melodia ascendente”, enquanto os alemães preferiam uma descendente, de forma muito parecida com a língua de seus pais.

Mas isso não significa que todos os sotaques de bebês sejam tão identificáveis. Kathleen Wermke, da Universidade de Wurzburg, na Alemanha, disse acreditar que é a grande diferença de entonação entre o francês e o alemão que fazem o choro dos bebês tão distintos.

“Acho que o francês e o alemão são diferentes demais em relação aos padrões de entonação”, disse. “Se comparássemos recém-nascidos alemães e ingleses, provavelmente não encontraríamos uma diferença tão significativa”.

Então, mesmo que o sotaque do choro do seu bebê não seja tão carregado, tente apreciá-lo: ele está tentando soar parecido com você.

 

Com informações de Deseret News.

Colaborou: Felipe Koller

Leia também