Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Divulgação/Rainbow Hospice
Divulgação/Rainbow Hospice
Defesa da Vida

Bebê declarado com morte cerebral sobrevive milagrosamente e completa 15 meses

Os pais de Kaleb chegaram a se despedir do bebê, mas ele contrariou as expectativas dos médicos, sobreviveu e agora completa 15 meses

Quando tinha apenas 10 dias de vida, o pequeno Kaleb Crook, ao que tudo indicava, já tinha chegado ao ponto final de sua história. Seus pais, Becki e Phil, se despediram dele e os aparelhos que mantinham seu corpo vivo foram desligados depois de ter sido declarada a sua morte cerebral, causada por uma lesão devida à privação de oxigênio. Mas agora, 15 meses depois, Kaleb está vivo e se prepara para comemorar o primeiro Natal na casa da família em Leicestershire, na Inglaterra.

Em entrevista ao Daily Mail, a mãe lembra da “despedida”: “Kaleb deu um leve aperto no meu dedo e me olhou, como se quisesse dizer: ‘Tudo vai ficar bem, mamãe’”. O problema da falta de oxigênio e dos consequentes danos cerebrais havia sido diagnosticado já durante a gestação. Quando Becki deu à luz Kaleb eles rapidamente notaram que o bebê estava pálido e não respirava. Ele nasceu na própria casa da família após Becki entrar subitamente em trabalho de parto. “Ele foi conectado aos aparelhos ao chegar no hospital, e os médicos disseram que encontraram mínima atividade cerebral e que não havia muitas esperanças”, lembra a mãe.

Disseram que sua condição era “incompatível com a vida”, mas ela já tem 35 anos, trabalha e é casada

Becki e Phil não conseguiam acreditar no desfecho da gravidez que havia sido perfeita. “Não havia nada que nós pudéssemos fazer por ele”, desabafa Becki. O casal então precisou se preparar para desligar os aparelhos após os médicos revelarem que Kaleb tinha sofrido um dano cerebral catastrófico e que morreria imediatamente. Mas contrariando as probabilidades, o menino sobreviveu.

Agora a família se preparara para comemorar seu primeiro Natal com Kaleb. “É um Natal que nós nunca esperamos comemorar, porque agora nosso bebê pode estar com a gente, experimentando as alegrias da vida, contrariando todas as previsões”, alegra-se a mãe. Apesar da severa lesão cerebral e de suas necessidades complexas, ele adora sorrir, especialmente quando escuta a voz da irmã, contam os pais que estão esperançosos com o desenvolvimento do filho nos próximos anos. “Ninguém sabe o que o futuro reserva para o Kaleb, mas no momento ele está escolhendo a vida todos os dias, desafiando todos os diagnósticos. Ele é um milagre vivo”, completa Becki.

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
1 Comentário
  1. A Medicina precisa ser aprimorada e no mínimo que saibam a diferença entre Atividade Espiritual e Atividade Física (implícita a Cerebral). A escolha de vida deveria ser sempre do nasciturno (o bebê). É complicado ter boa atividade mental (e a mente não está no cérebro), mas pertencente à Psique (nome que se apossaram sem conhecimento) ou à Alma (espírito). A OMS já reconheceu a Ciência Espiritual (que também já se apossaram, invertendo valores). É um caso semelhante ao de Shumacher, pode estar muito bem mentalmente, mas seu corpo está com problemas, um carro sem motorista ou combustível, não funciona!

Leia também