Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE

Felipe Koller

Acreditamos no Amor

Onde há amor, Deus aí está.

A história da escultura de Jesus sem-teto que o papa doou à Arquidiocese do Rio

A obra do artista canadense Timothy Schmalz já conta com cerca de 40 exemplares pelo mundo.

Divulgação/Timothy Schmalz
Divulgação/Timothy Schmalz

A Arquidiocese do Rio de Janeiro vai inaugurar no domingo (18/11), junto à sua catedral, uma escultura chamada “Jesus sem-teto”. A obra do artista canadense Timothy Schmalz foi um presente do Papa Francisco à Igreja carioca e representa um mendigo em tamanho real deitado em um banco de praça, protegido por um cobertor que deixa entrever os seus pés, chagados como os de Jesus.

Schmalz realizou a primeira versão da estátua em 2013 para o Regis College, uma faculdade de teologia dos jesuítas em Toronto. Em novembro do mesmo ano, durante uma audiência geral com o Papa Francisco, apresentou a ele uma miniatura da obra. “Quando o pontífice a viu, tocou os joelhos e os pés da miniatura, fechou os olhos e rezou. O Papa Francisco está fazendo exatamente isso: aproximar-se dos marginalizados”, contou o escultor na ocasião.

O escultor com o papa, no Vaticano em 2013. Divulgação/Timothy Schmalz
O escultor com o papa, no Vaticano em 2013. Divulgação/Timothy Schmalz

Hoje, há cerca de 40 estátuas semelhantes pelo mundo – uma delas perto da entrada da Esmolaria Apostólica, no Vaticano, instalada em 2016. Outras ficam junto a catedrais católicas de grandes cidades, como Madri, Dublin e Singapura, e também em igrejas anglicanas, episcopalianas ou de outras confissões – uma das réplicas está na Catedral de São João o Divino, a sede nova-iorquina da Igreja Episcopal.

Há até mesmo uma estátua em Cafarnaum, em Israel, cidade em que Jesus morou. No Rio, a obra será inaugurada por ocasião do Dia Mundial dos Pobres, que a Igreja Católica comemora no domingo anterior ao da Solenidade de Cristo Rei desde 2017.

No começo, porém, não foi assim. Antes de ir para a faculdade jesuíta, o primeiro exemplar foi oferecido à catedral de Toronto e à de Nova York. Em ambos os casos, os reitores das igrejas se entusiasmaram com a possibilidade, mas parte da administração das dioceses achou que a escultura seria muito controversa. “Não é uma imagem apropriada”, responderam.

Outras obras

Entre as outras obras de Schmalz, está uma série que, assim como a estátua de Jesus sem-teto (Homeless Jesus, no original), foi inspirada na parábola do juízo universal, contada no capítulo 25 do Evangelho de Mateus. Um exemplar de When I Was Hungry & Thirsty (“Quando tive fome e sede”), por exemplo, está disposto junto ao Hospital Santo Spirito, em Roma, bem próximo ao Vaticano. Perto da estátua, está outra, chamada When I Was Sick (“Quando estive doente”).

"Quando tive fome e sede", no Hospital Santo Spirito, em Roma. Divulgação/Timothy Schmalz.
“Quando tive fome e sede”, no Hospital Santo Spirito, em Roma. Divulgação/Timothy Schmalz

A Basílica de São Paulo Fora-dos-Muros, também em Roma, tem em seu jardim outra peça da série, chamada When I Was in Prison (“Quando estive preso”). Em outra igreja da capital italiana, a Basílica de São Pedro Acorrentado, está When I Was Naked (“Quando estive nu”).

"Não matarás". Divulgação/Timothy Schmalz
“Não matarás”. Divulgação/Timothy Schmalz

Em outra obra, chamada Love Your Enemies (“Amai os vossos inimigos”), Schmalz retratou Jesus abraçando uma figura que se assemelha a um terrorista. Já em Thou Shalt Not Kill (“Não matarás”), Jesus aparece ajoelhado diante de uma pessoa morta, chorando. Uma obra do escultor também retrata o padre Mychal Judge, a vítima número 0001 do atentado de 11 de setembro de 2001 ao World Trade Center.

***

Leia também:

***

Por

Comentários

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Leia também