Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Crédito: Bigstock.
Crédito: Bigstock.
Artigo, Educação dos filhos

A importância de pais e escola educando juntos

Pais e professores são uma fonte riquíssima de estimulação e podem coordenar suas ações de modo a se reforçarem mutuamente

Por Lélia Cristina de Melo, diretora de Formação da Escola do Bosque Mananciais. E-mail: lelia@escoladobosque.org.br

Nenhuma escola deve se eximir de educar as dimensões afetiva e moral, além da intelectual e social. Toda escola existe para educar – e ninguém educa apenas uma parte da pessoa. Para promover o desenvolvimento total de uma criança, pais e escola, de mãos dadas, devem impulsionar o crescimento infantil compatibilizando os objetivos essenciais, sendo os pais os protagonistas dessa empreitada.

Cada criança é inédita e demanda um estilo personalizado de educar para que atinja o máximo de suas capacidades.

A educação de qualidade é mais preventiva que corretiva, adiantando-se ao futuro e às dificuldades e dotando a criança de todo o necessário para que se supere

Diz-se que umas décadas atrás, quando perguntados, os pais respondiam que desejavam que seus filhos, quando crescessem, fossem pessoas de bem. Hoje, para a mesma pergunta, respondem que desejam que seus filhos sejam felizes. Ora, uma condição não exclui a outra, devemos querer que as crianças sejam intelectualmente eficazes, afetivamente resolvidas, moralmente formadas, fisicamente saudáveis e espiritualmente plenas. Isso é educação de verdade.

Jamais se contentar com jovens promissores apenas na carreira, eles devem ser preparados para passarem em todos os concursos da vida: na profissão, no casamento, nas relações sociais, na cidadania, na vida transcendente.

Os filhos estão na escola por quase 20 anos, em um processo de dependência desta e da família, que se reduz gradativamente, mas que, enquanto permanece, é salutar que essas duas instituições lhe prestem o melhor serviço educacional e, para isso, a coerência entre as duas é indispensável. Nada como pais e professores conversarem para estabelecer ações educativas preventivas.

 

Exemplos de metas a serem alcançadas no âmbito humano:

– Levar a pensar, potencializando o sentido crítico e buscando a verdade.

– Respeitar toda pessoa, compreendendo-a.

– Estimular a responsabilidade.

– Fortalecer a vontade com o exercício das virtudes.

– Fomentar a iniciativa pessoal.

 

Exemplos de metas a serem alcançadas no âmbito acadêmico:

– Adquirir hábitos estáveis de estudo.

– Esforçar-se consistentemente.

– Saber trabalhar em grupo.

– Aprender a se concentrar para aprender com eficácia.

– Ajudar os colegas e aceitar ser ajudado.

– Adquirir gosto pela boa leitura e se empenhar em escrever bem.

– Falar em público expressando-se com propriedade.

 

Pais e professores são uma fonte riquíssima de estimulação e podem coordenar suas ações de modo a se reforçarem mutuamente. Sabe-se que o aporte genético em uma pessoa é de 30%, e que a incidência da educação é de nada menos que 70% sobre a criança, o que implica enormes possibilidades educativas!

Qualquer criança obtém avanços sem precedentes se estimulada apropriadamente em quantidade e variedade de estímulos em uma fase ligeiramente prévia (período sensitivo) a que o desenvolvimento o permita.

Dentro de um programa desse, estimulador e alegre, observa-se nelas a conquista da maturidade, segurança, autoestima e desenvoltura social, finalidades de um projeto educativo completo e eficaz.

Cada criança é inédita e demanda um estilo personalizado de educar para que atinja o máximo de suas capacidades

A educação de qualidade é mais preventiva que corretiva, adiantando-se ao futuro e às dificuldades e dotando a criança de todo o necessário para que se supere.

A criança é ativa, curiosa, sedenta, procura sempre algo, explora, revelando que deve estar exposta a atividades construtivas e ao contato humano agradável.

É possível educar pessoas de bem, completas e plenas, capazes e felizes, é só utilizar as ferramentas que temos em mãos. Toda criança corresponde.

Leia também