Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Pais e filhos

7 falhas de relacionamento com os filhos das quais a maioria dos pais se arrepende

Saiba como aproveitar, ao máximo, os primeiros anos de vida da criança para não se arrepender depois

Lucian Haro, especial para o Sempre Família

Assim que Enzo nasceu, o administrador curitibano Rogerio Giroldo procurou ajustar sua rotina para poder estar mais perto do menino. “Não conseguia passar o dia inteiro com ele como gostaria, porque precisava trabalhar, mas quando chegava em casa tirava o atraso”, conta. Hoje Enzo tem 17 anos e para Rogério, tudo o que eles construíram juntos na infância do filho, valeu a pena. “Sempre tive a clara intenção de estar presente, de não perder nada”, diz.

Quando essa fase de desenvolvimento da criança não é aproveitada pelos pais, como fez Rogerio, é comum que eles se sintam culpados anos depois. “Os primeiros anos de uma criança são um período mágico que os pais precisam aproveitar ao máximo”, explica a psicóloga Bianca Bortolini. “O tempo passa rápido demais e logo os filhos crescem e você se arrepende de não ter tirado mais fotos, de ter segurado pouco ele no colo, de não ter anotado as primeiras palavras”, ressalta.

Para evitar o sofrimento no futuro, a especialista aponta as sete falhas mais comuns de relacionamento com os filhos e que fazem com que os pais se arrependam quando eles crescem.

1. Raramente sair só com os filhos

É claro que os passeios em turma estimulam o convívio social e são sempre mais divertidos, mas tenha conversas e momentos a sós com o seu filho. Eles são fundamentais para que vocês se conheçam melhor e fortaleçam os laços fraternos.

2. Deixar para viajar a lugares legais só depois que os filhos crescem

As crianças também se divertem em viagens (do jeito delas, mas se divertem). Aproveite os momentos em família, logo estarão apenas na saudade. A adolescência chega cada vez mais cedo e logo o foco deles passa a ser a presença dos amigos. Pense nisso!

3. Dizer pouco que ama

Somente demonstrar não é suficiente. Ouvir que é amado pelos pais traz segurança e fortalece a autoestima da criança, além de ensiná-la a demonstrar e verbalizar o afeto.

4. Tirar poucas fotos

Com certeza daqui a um tempo você vai querer lembrar como as mãozinhas do seu filho eram gordinhas, como o cabelo dele era claro e cacheado, qual foi a fantasia que ele usou na primeira festa de aniversário, ou, quais amiguinhos estavam junto na formatura do Jardim de Infância. As fotos, mesmo que digitais, ainda são a forma mais segura de guardar essas memórias valiosas. Mas guarde-as para você, se possível. Evite a exposição das crianças em redes sociais, por questão de segurança.

5. Pegar pouco no colo

Os filhos crescem rápido demais e sempre vem aquela saudade de carregá-los nos braços. Sentir-se amado e acolhido não prejudica em nada o seu filho, pelo contrário, o colo também é parte essencial do seu desenvolvimento. 

6. “Adultizar” a criança

“Você já é mocinho” ou “Faça isso, faça aquilo”. Autonomia é importante para o desenvolvimento das crianças, mas, em excesso, pode prejudicá-las. Afinal, elas vão ter a vida toda para ter essa independência. Então, não exagere nas roupas adultas, nos comportamentos e no modo de falar. Tudo terá seu tempo.

7. Apresentar a tecnologia cedo demais

Dar o celular precocemente faz com que a criança deixe de brincar. Hoje em dia já se brinca muito menos. Deixe para fazer isso quando essa fase já estiver passando. Temos milhares de pessoas ao redor do mundo com dependência virtual. Não caia nessa você também.

 

***

Recomendamos também:

 

Newsletter Estilo de Vida

Aqui os valores fazem parte da notícia

Clique e leia
Leia também