Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

7 dicas para acompanhar o desenvolvimento de um filho gênio

Se o seu filho demonstra um desempenho intelectual acima da média, saiba que é preciso estimular de modo apropriado as suas habilidades desde cedo.

Se o seu filho demonstra um desempenho intelectual acima da média, saiba que é preciso estimular de modo apropriado as suas habilidades desde cedo. Não é recomendável forçá-lo a se tornar um gênio, mas é importante incentivar os interesses que ele demonstra naturalmente.

Em um projeto de pesquisa iniciado em 1968, o psicólogo Julian Stanley, da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, nos Estados Unidos, acompanhou mais de 5 mil crianças e adolescentes que apresentavam um coeficiente intelectual alto – incluindo o cofundador do Google Sergey Brin, o cofundador do Facebook Mark Zuckerberg e a cantora Lady Gaga.

Segundo os resultados de sua pesquisa, batizada de Estudo Matemático de Jovens Precoces (SMPY, na sigla em inglês), a habilidade cognitiva precoce influencia mais os resultados intelectuais ao longo do tempo do que o treino ou o status socioeconômico. Por isso, é necessário acompanhar de maneira adequada as crianças que apresentam comportamentos indicativos como alfabetização precoce, boa memória, senso de humor muito desenvolvido e tendência à liderança. Confira estas dicas se esse for o caso de seu filho:

 

  1. Exponha o seu filho a atividades diferentes

Crianças que demonstram ser bastante inteligentes precisam de novidades para se manter motivadas. Assim, incrementar as suas experiências de vida os ajudará a desenvolver a confiança de que precisam para encarar o mundo. A comodidade vem da rotina e é preciso coragem para tentar coisas novas.

 

  1. Estimule os talentos e interesses que ele demonstra

Não se deve forçar o seu filho a ser algo que ele não é. Se ele, em contato com diversas possibilidades, demonstra interesse e talento em um determinado esporte, tema de estudo ou modalidade artística, é preciso incentivá-lo e acompanhá-lo de tal maneira que desenvolva habilidades importantes como a resiliência e a determinação.

 

  1. Apoie suas necessidades intelectuais e emocionais

A curiosidade é a porta de entrada para o conhecimento. As crianças fazem infinitas perguntas e, mesmo que isso pareça um pouco desesperador, é importante cuidar de manter acesa essa chama de busca de conhecimento, que é essencial para o seu desenvolvimento.

 

  1. Elogie o seu esforço, não o seu talento

As crianças aprendem a reagir aos estímulos a partir de sua relação com seus pais. Por isso, é importante celebrar o esforço que elas fazem para aprender algo e não simplesmente o seu talento natural. Dessa forma, se promove a vontade de aprender e a determinação para alcançar alguma conquista.

 

  1. Ensine-o a não ter medo do fracasso

Os erros são passos necessários para o aprendizado. Reconhecer isso é parte fundamental do nosso desenvolvimento – porque, sim, cometeremos erros, e caso não o admitamos, desistiremos facilmente depois do primeiro deles. Os erros são oportunidades para crescer, porque nos mostram como lidar com determinada questão de uma maneira melhor na próxima vez.

 

  1. Evite rótulos

Catalogar as crianças ajuda a afastá-la de seus colegas e amigos, tornando-as frequentemente vítimas de bullying. Além disso, pode fazer com que elas se sintam pressionadas a fazer tudo perfeitamente ou, ainda, pode acomodá-la no seu talento natural sem que ela possa desenvolvê-lo bem.

 

  1. Coordene estratégias com os professores

Os alunos mais interessados geralmente precisam de materiais que os desafie intelectualmente e de liberdade para aprender em seu próprio ritmo. Por isso, planejar as suas atividades considerando as particularidades do sistema escolar é algo muito importante. Em diálogo com os professores, é possível pensar em caminhos que ajudem o seu filho a dar o melhor de si.

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também