Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

Apenas mau comportamento ou problema psicológico? Como saber qual é o caso do seu filho

Muitas crianças apresentam problemas de comportamento em algum momento da infância, mas como identificar que se trata de um sintoma mais sério?

Nos últimos anos, cada vez mais ouvimos falar de crianças diagnosticadas com algum problema psicológico ligado à hiperatividade, ao déficit de atenção ou a outros fatores. Mas como podemos saber se uma criança realmente tem algum tipo de problema psicólogo ou se está simplesmente sendo caprichosa e indisciplinada?

“Geralmente, os alunos não chegam à escola certo dia e dizem: ‘Agora vou me comportar mal’”, garante Pepe Di’Iasio, diretor executivo da Wales High School, de Sheffield, Inglaterra. Ele diz que cerca de 80% dos problemas de comportamento com que as escolas se deparam têm a ver diretamente com alguma situação na vida familiar da criança.

O que acontece no cérebro do seu filho quando você grita com ele

Já a psicóloga Karen Young ressalta que comportamentos ligados à ansiedade podem muito bem vir de um cérebro são, que não experimenta qualquer tipo de patologia. “Quando o cérebro detecta uma ameaça, real ou imaginária, libera hormônios como a adrenalina, para fazer com que o corpo seja rápido, forte e capaz de suportar a pressão”, diz ela. “Essa é a resposta natural que nos fez sobreviver por milhares de anos”. O problema, então, de crianças com ansiedade é que qualquer situação nova, desconhecida ou difícil é vista como uma ameaça em potencial.

“Quando se trata de uma falta de comunicar algum problema (familiar, de relacionamento, de conduta) e quando é um sintoma mais sério? É muito difícil determinar”, diz Brenda McHugh, cofundadora da Family School. Para ela, a chave é a frequência em que determinado comportamento ocorre.

“A maioria das crianças vez ou outra leva alguma situação ao limite, demonstra pouco controle sobre seus impulsos ou não se comunica bem”, afirma ela. “Mas quando esses comportamentos persistem no tempo e não respondem a padrões lógicos, é preciso investigar de forma mais profunda o que acontece”.

Segundo McHugh, um problema psicológico desenvolvido já na infância é um grave risco para o desenvolvimento das crianças. “Se não abordamos esses problemas já bem cedo, correremos o risco de levar à falência a próxima geração quando ainda estão começando as suas vidas”, alerta ela.

Com informações de BBC.

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

Leia também