Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Casamento e Compromisso

5 dicas para lidar com o ciúme de forma saudável

É normal ter ciúme às vezes, mas esse sentimento se torna problemático quando nos deixamos guiar por ele. O sentimento passageiro acaba virando uma paranoia.

O ciúme não é necessariamente algo ruim. É normal sentir ciúme algumas vezes. Mas esse sentimento se torna problemático quando nos deixamos guiar por ele ou ficamos chafurdando nessa lama. O sentimento passageiro, natural e irrelevante de ciúme acaba virando uma paranoia.

Quando o ciúme se torna um problema, geralmente o que está por trás é a insegurança pessoal: é quando nos sentimos ameaçados, nos comparamos com os outros ou não nos sentimos bons o bastante. Feridas do passado também podem influenciar nesse sentido. Confira algumas dicas para lidar com isso:

  1. Avalie seu relacionamento

Para saber o que fazer com o ciúme, é preciso primeiro observar atentamente o seu relacionamento. Seu parceiro é honesto com você? Seu relacionamento está baseado na confiança, no respeito e no amor? Se vocês têm um histórico de desonestidade no relacionamento, o ciúme é previsível. Continuar nesse relacionamento vai fazer com que você continue se sentindo mal com frequência. Esperar que o outro mude não é um bom caminho se ele não evidencia que está dando passos para mudar.

  1. Avalie a si mesmo

Bem, se você sabe que está em um relacionamento saudável e que o seu parceiro é confiável, então é hora de olhar para dentro de si mesmo. E não se trata de ficar se culpando, mas de descobrir seus pontos fracos e aprender a não se autossabotar.

9 sinais de que sua vida amorosa está passando por uma crise

Pessoas que desenvolveram boas relações durante a infância, seja com os familiares ou com amigos, tendem a ser menos ciumentas e menos dependentes. Você pode refletir sobre o seu desenvolvimento, perguntando-se: eu tenho um sentimento de vazio ou de baixa autoestima? Fui criado em um ambiente de pressão? Meus pais (ou quem me criou) eram confiáveis?

E não se desespere: mesmo se você constatar que sua infância teve problemas como esses, saiba que é possível desenvolver boas relações mesmo assim. Experiências de confiança e segurança ajudam a tornar mais saudável o nosso modo de nos relacionarmos. Por exemplo, um bom terapeuta pode ajudar você a desenvolver uma postura de confiança e boa autoestima.

  1. Cultive interesses fora do seu relacionamento

Calma: não estamos falando de interesse em outras pessoas. Muitas vezes, o ciúme é alimentado quando toda a nossa vida parece girar em torno de um relacionamento, já que temos a sensação de que tudo, absolutamente tudo, desmoronaria caso o relacionamento acabasse. É claro que seu relacionamento é importante, mas a sua vida não se esgota nele. Cultive hobbies, temas de interesse, desenvolva suas habilidades e aproveite as suas amizades.

  1. Não faça joguinhos

Às vezes, ao sentirmos ciúme, achamos que causar ciúme é uma boa ideia. Que fique bem claro: não é. Flertar com alguém na frente do parceiro, dar indiretas ou rememorar relacionamentos passados não vai resolver problema nenhum. Não entre em um jogo onde o comportamento de cada um só vai servir como munição para jogar na cara do outro.

  1. Cultive uma imaginação saudável

O ciúme começa a se tornar perigoso quando começa a usar a imaginação de forma destrutiva. A imaginação é uma ferramenta maravilhosa, mas não para julgar as outras pessoas. Não confie nela para isso.

Todo mundo conhece esse percurso: seu parceiro está atrasado para chegar em casa; você começa a imaginar que ele está em uma conversa interessante com aquela pessoa do trabalho que você já viu uma vez e pensou ser uma ameaça; você fica chateado, irritado, amedrontado – mas é tudo pura imaginação, você não sabe de nada. E mesmo assim, quando o parceiro chega, você o trata de forma fria ou tem um acesso de raiva. Saber não cair nessas armadilhas é um enorme passo para superar o ciúme.

Com informações de PsychCentral e UncommonHelp.

***

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

1 Comentário
Leia também