Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Educação dos filhos

Como ajudar seu filho adolescente a vencer a timidez

Quando falar com os outros se torna um problema, muitas oportunidades na vida podem ser perdidas

Se seu filho é excessivamente tímido e inseguro, esforce-se para conseguir que esse caráter introvertido não seja necessariamente uma paralisação nas suas relações com os outros. Adotar uma atitude protecionista é uma tentação: ao contrário, o adolescente necessita, gradualmente, ser forçado a se valer por si mesmo na medida em que sua idade o permita.

É fundamental conversar (falar e escutar) com o adolescente tímido e evitar fazer comparações que possam ferir sua suscetibilidade. Deixe que ele se expanda, saia de seu mundo e aprenda a compartilhar suas inquietações.

Nesse sentido é importante reforçar sua segurança, elogiando aqueles pontos em que tem especial facilidade. O contato com outros adolescentes que tenham os mesmos passatempos que os seus pode ser o ponto de partida para que comece a se soltar e se integrar.

 

 

Apresentamos abaixo algumas dicas para lidar com a timidez de um filho:

1) É necessário ajudar o adolescente a assimilar o valor de conceitos como esforço, vontade, luta, entrega, etc., pois esse é um primeiro passo nas relações de amizade, que exigem várias destas atitudes.

2) Devemos abandonar as posturas excessivamente protecionistas para exigir do adolescente solitário algum esforço no lar, como pôr a mesa e arrumar a cama. Não permita comodidades que reforcem sua ociosidade, como deixar que se levante na hora que querem ou que fiquem de pijama durante todo o fim de semana.

3) O fato de não sair com os amigos e ficar sempre em casa pode ser o sintoma de algum outro problema como, por exemplo, a existência de complexos, bullying no colégio, etc.

4) Motive o adolescente a compartilhar seus hobbies com outros meninos e meninas. Pode ser inscrevendo-o em uma academia numa atividade que lhe agrade, numa associação juvenil, num grupo de voluntariado. Se não há interesse, será necessário usar de esperteza para que faça amizades, mas sem forçar as relações.

5) Não há problema que escutem música e que fiquem encantados em estar isolados com seus fones de ouvidos e seus celulares, mas não podem fazer isso na hora da comida ou da conversa familiar.

6) Limitar as horas de vídeo games isoladores, estabelecendo com o adolescente um limite de tempo diário.

 

Com informações de Hacer Familia.

Colaborou: Felipe Koller

Leia também