Sempre Família - Porque cuidar é fundamental

Conecte-se ao Sempre Família

Siga-nos:
PUBLICIDADE
Bigstock
Bigstock
Casamento e Compromisso

10 razões pelas quais a pornografia destrói o casamento

A pornografia nunca esteve tão acessível – e já está muito clara a sua influência na destruição de casamentos.

A pornografia nunca esteve tão acessível – e já está muito clara a sua influência na destruição de casamentos. Já há 13 anos, em 2004, uma investigação da pesquisadora Jill Manning, autora do livro What’s the Big Deal about Pornography: A Guide for the Internet Generation, revelou que em 56% dos casos de divórcio nos Estados Unidos ao menos um dos cônjuges experimentava um interesse obsessivo em conteúdo pornográfico.

Rússia bloqueia sites de pornografia e aconselha: busque alguém na vida real

Para ter uma ideia do tamanho do problema da pornografia, basta saber que, segundo dados de 2013, as páginas de conteúdo pornográfico receberam 450 milhões de visitantes únicos por mês – mais do que a soma dos visitantes da Amazon, do Twitter e da Netflix. Enquanto você lê esta frase, mais de 28 mil pessoas estão vendo pornografia na internet. Além disso, 30% de todo o conteúdo que está na internet é pornografia.

É claro que um fenômeno dessas dimensões tem muita influência no relacionamento de um casal. Entenda dez razões pelas quais a pornografia pode destruir um casamento:

 

  1. A pornografia destrói a confiança

Como qualquer pessoa sabe, a pornografia e a manutenção de hábitos escondidos andam de mãos dadas. Não é por acaso, portanto, que o consumo de conteúdo pornográfico mina a confiança entre um casal. O cônjuge se sente traído quando se dá conta do que ficou em segredo por tanto tempo e naturalmente se pergunta: o que mais aconteceu que eu não sei?

 

  1. A pornografia põe obstáculos à intimidade emocional

A pornografia faz com que passamos a ver a outra pessoa como objeto e não possamos, então, ter uma interação significativa com ela. Sobra busca de prazer, mas falta uma conexão íntima com a pessoa.

 

  1. A pornografia destrói a autoestima

O consumo de pornografia afeta também como você vê a si mesmo. Você passa a se comparar – e a comparar seu cônjuge – com os modelos que aparecem nos filmes e fotos e se torna mais crítico com a sua própria aparência e a de seu cônjuge, bem como com o seu rendimento sexual.

Contra a pornografia: medalhista olímpico admite vício e conta como conseguiu parar

  1. A pornografia gera egoísmo

Quando “educamos” a nós mesmos para obter prazer imediato, reforçamos cada vez mais o nosso desejo de receber prazer e esvaziamos nossa vontade de nos doarmos, de nos entregarmos e de fazermos o que é bom para o outro. É curioso que o dia em que menos se vê pornografia nos Estados Unidos é o Dia de Ação de Graças, o que torna patente como a gratuidade e o egoísmo são opostos.

 

  1. A pornografia degrada as mulheres

Muitas pesquisas já deixaram claro que quanto mais um homem consome pornografia, mais tende a exigir submissão das mulheres e a agir com violência. A maneira como ele as vê muda – o que se deve obviamente à normalização da maneira como elas são tratadas nos filmes pornográficos.

 

  1. A pornografia deteriora a vida sexual

Uma pesquisa recente mostrou que 19% dos homens que veem pornografia regularmente sofrem de ejaculação precoce, 25% perderam o interesso no sexo com sua parceira, 31% têm dificuldades para chegar ao orgasmo e 34% experimentam disfunção erétil.

Por outro lado, em uma pesquisa com homens que se comprometeram a deixar de lado a masturbação e a pornografias, 60% deles sentiu uma melhora em suas funções sexuais e 67% teve um aumento no seu nível de energia e produtividade.

 

  1. A pornografia conduz à insatisfação com o cônjuge

Homens expostos continuamente a pornografia se veem como menos apaixonados por sua parceira do que os que não consomem conteúdo pornográfico. A pornografia apresenta sexo fácil e rápido. Tecer uma relação de amor verdadeira – e mesmo uma relação sexual profunda – é algo que exige dedicação.

Cinco celebridades de Hollywood que falam contra a pornografia

  1. A pornografia é uma porta de entrada para a infidelidade

O consumo de pornografia por um dos cônjuges aumenta em 300% a chance de infidelidade. Isso inclui casais que veem pornografia juntos. O modo como a pornografia apresenta o sexo e desvela a intimidade de outros casais diminui o compromisso com a própria relação.

Pensar que a pornografia é uma válvula de escape que evita uma traição “concreta” é nada mais do que um mito.

 

  1. A pornografia está relacionada à depressão, ao estresse e à ansiedade

Homes que consomem pornografia costumam apresentar índices altos de depressão, ansiedade e estresse. Isso afeta não só eles mesmos, como, evidentemente, a relação com suas esposas.

 

  1. A pornografia altera o nosso cérebro

Da mesma maneira que acontece com o consumo de narcóticos, quanto mais se vê pornografia, mais severo é o dano causado ao cérebro e mais difícil se torna deixar esse hábito de lado.

A pornografia libera uma alta carga de dopamina no cérebro. Quanto mais se vê conteúdo pornográfico, mais essa carga diminui, a menos que se mude o “estilo” do conteúdo que se vê. Por isso é comum que usuários de pornografia passem a ver conteúdo cada vez mais perverso e bizarro, ou seja, para que altas cargas de dopamina, que viciaram o cérebro, continuem sendo liberadas.

 

Com informações de La Familia.

 

*****

Recomendamos também:

***

Curta nossa página no Facebook e siga-nos no Twitter.

2 Comentários
  1. Pornografia é degradante tanto para os homens quanto para as mulheres. Acredito que o prazer sexual deva ser uma coisa real, entre duas pessoas que se possa tocar, e não cenas de sexo sem amor.
    Vou te falar, eu, como mulher, te digo que a maioria das mulheres que se submetem a fazer filmes pornográficos não sentem nem 10% do prazer que elas querem passar para quem está assistindo.
    Infeliz de quem sente prazer as custas de pornografia.

Leia também